BENVINDO

Minha foto

 Sou servo do Senhor desde 2001,sirvo a Deus na Igreja do Evangelho Quadrangular,  obreiro formado no Instituto Teológico Quadrangular, professor da Escola Bíblica,  casado com Elisângela a 25 anos , pai de 2 filhos maravilhosos,  buscando cada dia conhecer mais ao Senhor. Meu maior desejo é ser " uma bênção" e abençoar àqueles que estão perto e através da web os que estão longe.  Que as bênçãos do Senhor seja transbordante sobre a sua vida, sobre sua casa , sobre sua família, sobre o seu ministério, querido(a) e amado(a) irmão(ã) em Cristo Jesus. 

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

BÍBLIA A PALAVRA DE DEUS

BÍBLIA A PALAVRA DE DEUS


Onde na Bíblia está escrito que temos anjo da guarda desde que nascemos? Porque uma pessoa me disse que temos e está escrito na Bíblia e eu nunca vi!

Posted: 11 Oct 2016 07:18 AM PDT

Existe um versículo no AT que ajuda a defender a ideia de que existe um anjo que nos protege, quando diz: "Vou enviar um anjo adiante de ti para te proteger no caminho e para te conduzir ao lugar que te preparei". (Ex 23, 20).
Na realidade, a Bíblia não diz explicitamente que temos um anjo da guarda desde que nascemos. Comentários posteriores sobre textos do Evangelho suscitaram interpretações, como por exemplo, a de Jerônimo a respeito de Mateus: "Vede, não desprezeis a qualquer destes pequeninos; porque eu vos afirmo que os seus anjos nos céus veem incessantemente a face de meu Pai celeste." (Mt 18,10). Ele diz: "Grande é a dignidade das almas, pois ao nascer cada uma tem um anjo delegado à sua guarda". Jeronimo interpretou "Pequeninos" como sendo crianças que tem seus anjos no céu e que os defendem diante de Deus.
Para responder bem à tua pergunta devemos nos perguntar o que é um anjo. Seria alguém separado de Deus? Ou seria o próprio Espírito de Deus que nos acompanha desde a nossa concepção? Para responder a esta pergunta teríamos que fazer um grande discurso de como a Bíblia apresenta o Anjo. Talvez num próximo momento poderemos tratar do assunto. 

Anjo da guarda é bíblico?

Posted: 11 Oct 2016 07:16 AM PDT



A Escritura menciona claramente que Deus envia os seus anjos para a nossa proteção: "Porque a seus anjos ele dará ordens a seu respeito, para que o protejam em todos os seus caminhos; com as mãos eles o segurarão, para que você não tropece em alguma pedra" (Sl 91.11,12).

Mas algumas pessoas vão além dessa ideia de proteção geral e pensam que Deus dá um "anjo da guarda" específico para cada indivíduo no mundo, ou ao menos para cada cristão.

As palavras de Jesus a respeito dos pequeninos têm servido de apoio para essa ideia: "Pois eu lhes digo que os anjos deles nos céus estão sempre vendo a face de meu Pai celeste" (Mt 18.10). Contudo, nosso Senhor pode estar dizendo que os anjos designados para a tarefa de proteger as criancinhas têm pronto acesso à presença de Deus. (Para usar uma analogia esportiva, os anjos podem valer-se da marcação "por zona" em vez da marcação "homem a homem".)

Quando os discípulos em Atos 12.15 dizem que o "anjo" de Pedro devia estar batendo à porta, isso não implica necessariamente na crença do anjo da guarda individual. Poderia ser que um anjo estivesse guardando ou tomando conta de Pedro naquela situação específica.

Parece não haver, entretanto, qualquer apoio convincente para a ideia de "anjos da guarda" individuais no texto da Escritura. Mas cremos que os anjos em geral têm a tarefa de proteger o povo de Deus.


Não adore anjos, não ore a eles nem os procure.

A "adoração de anjos" (Cl 2.18) era uma das doutrinas falsas ensinadas em Colossos. Além disso, no livro de Apocalipse um anjo adverte João para que ele não o adore: "Não faça isso! Sou servo como você e como os seus irmãos que se mantêm fiéis ao testemunho de Jesus. Adore a Deus!" (Ap 19.10).

Nem devemos orar aos anjos. Devemos orar a Deus somente, o único que é onipotente e, assim, capaz de responder à oração e o único que é onisciente e, portanto, capaz de ouvir as orações de todo o seu povo de uma só vez.

Paulo nos adverte contra o pensamento de que outro "mediador" possa estar entre nós e Deus: "Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus" (1Tm 2.5).

Se oramos aos anjos, estamos implicitamente atribuindo-lhes posição igual à de Deus, o que não devemos fazer. Não há exemplo na Escritura de alguém orando a um anjo específico ou pedindo ajuda a anjos.

Além disso, a Escritura não nos autoriza a buscar aparições de anjos. Eles se manifestam a nós de forma que não os vemos. Buscar tais aparições parece indicar curiosidade doentia ou o desejo por uma espécie de evento espetacular em vez do amor a Deus e a devoção a ele e à sua obra.



Embora os anjos tenham realmente aparecido em várias ocasiões na Escritura, com toda a certeza as pessoas a quem eles apareceram nunca procuraram essas aparições. Nosso papel é antes conversar com o Senhor, que é o próprio comandante das forças angelicais.



Contudo, não parece errado pedir a Deus para cumprir a sua promessa em Salmos 91.11 de enviar anjos para proteger-nos em tempos de necessidade.

Jesus perante Pilatos

Posted: 11 Oct 2016 08:00 PM PDT


Mateus 27: 11-24

INTRODUÇÃO

Os quatro Evangelhos foram escritos e destinados a povos específicos, e apresentam o Senhor Jesus com quatro características diferentes:

1.O Evangelho de Mateus foi escrito aos Judeus e apresenta Jesus como Rei;
2.O Evangelho de Marcos foi escrito aos Romanos e apresenta Jesus como Servo;
3.O Evangelho de Lucas foi escrito aos Gregos e apresenta Jesus como Homem Perfeito; e
4.O evangelho de João foi escrito a todo o mundo e apresenta Jesus como Filho de Deus.

DESENVOLVIMENTO

Pilatos foi um homem que teve um dos maiores privilégios, e a maior oportunidade que alguém poderia ter de conhecer o Senhor Jesus com profundidade. No entanto, ele não soube aproveitar esta oportunidade. Sua mulher até falou-lhe de um sonho que tivera com o Senhor Jesus, dizendo que tivesse cuidado com o que iria fazer com Ele, mas nem isso ajudou Pilatos a receber uma bênção para sua vida.

Na conversa que teve com Jesus, Pilatos reconheceu que Ele era:
           
1. Rei – Mateus 27: 11
2. Servo – Mateus 27: 14                                    
3. Homem Perfeito – Mateus 27: 24

Pilatos só não reconheceu que Jesus era Filho de Deus, por isso o entregou para ser torturado e depois crucificado pelos soldados romanos. Pilatos não fez caso do Senhor Jesus; ele o ignorou e o rejeitou, e depois lavou as mãos diante da multidão, querendo dizer com isso que estava inocente do sangue e do destino que ele mesmo deu ao Salvador da humanidade. No entanto ele foi conivente e culpado pela morte do Senhor, juntamente com os religiosos de Jerusalém e a multidão que pediu a sua crucificação e mandou que Barrabás fosse posto em liberdade.

Quando o homem tem a oportunidade de conhecer Jesus, e não o reconhece como Filho de Deus, enviado para dar sua vida em sacrifício pelos nossos pecados, mesmo que o veja como Rei, Servo de Deus ou alguém que nunca pecou, ele termina por rejeita-lo, não o recebendo em seu coração como Salvador.

CONCLUSÃO

Um dia Jesus perguntou aos discípulos o que eles diziam a respeito dele, e Pedro respondeu: "Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo". Depois deste reconhecimento, Jesus disse que Pedro era bem-aventurado, pois ele havia alcançado a revelação de que Jesus era o Filho de Deus.
Muitos hoje em dia têm tido a oportunidade de conhecer o Senhor Jesus, mas continuam agindo como Pilatos, que viu nele apenas uma pessoa majestosa, humilde e inocente, mas não o viu como Filho de Deus; e para alcançar a salvação e a vida eterna o homem precisa crer e abrir o coração para o Filho de Deus, como fizeram Natanael, Tomé e um dos ladrões que foram crucificados com Jesus.


Felicidade conjugal não é um acidente – 1/6

Posted: 11 Oct 2016 08:00 PM PDT




Cinco decisões que podem estabelecer sua felicidade conjugal e familiar

"Lar é onde habita o coração", já dizia Plínio, o moço. E nada pior que morar na tristeza. Na família, cada membro tem uma importância única e insubstituível. O pai deve ser o provedor, o protetor e o professor que chega em casa no final do dia cansado de sua labuta e, ao passar pela porta de entrada, encontra uma recepção de general que chegou vitorioso da batalha.

A esposa é pérola raríssima. Mulher competente, que investe sua vida e seus talentos em alguns poucos. Quantos mortais gostariam de ter aquela benção por perto, mas somente alguns poucos – marido e filhos – a possuem. Ela deve ser valorizada, elogiada e amada. Seu trabalho pede reconhecimento, seus olhos, gratidão e cuidado, e seus braços precisam de abraços e dengos. Grandes executivas, ao serem entrevistadas, segredaram seu desejo mais oculto de preparar um jantar para o marido e filhos e desfrutar do que a maioria das filhas de Eva desfrutam diariamente.

Os filhos devem ser vistos pelos pais como únicos e preciosos. Em meio a sete bilhões de habitantes, Deus escolheu aquela família para cuidar dessas crianças. É um privilégio único alimentar, proteger, educar e amar um outro ser. Eles se parecem muito com os pais, que se surpreendem ao ver nos pequenos seus traços mais característicos.

A família é oásis no deserto da vida. O pai, mesmo que tenha uma profissão sem nenhum glamour na sociedade é, naquele ambiente, o herói de todos. A mãe, que raramente se parece com as modelos produzidas das revistas, é recebida em casa como a mais bela das mortais. Os filhos são apoiados, têm suas habilidades desenvolvidas e suas limitações trabalhadas. Queridos incondicionalmente, repreendidos e abraçados, treinados e alimentados, levam consigo a continuação do nome da família e dos ideais culturais e espirituais pelos quais os pais tanto prezam.

Ah, família, lugar de descansar e recobrar as forças. Espaço para recuperação das doenças e desfrute dos anos que passamos na terra. Mas nem sempre tudo funciona tão bem, não é verdade? Cada membro tem suas limitações, seus pecados, suas fraquezas e suas manias. Como liderar uma casa? Como educar os filhos? Como amar o cônjuge? Estas são perguntas que precisam de resposta, sem as quais não haverá felicidade.

Felicidade não é fruto do acaso, mas resultado de trabalho concentrado e embasado em princípios deixados pelo Criador, pelo Fabricante, que realmente deseja e está empenhado em fazer da sua casa o melhor lugar do mundo para se estar.

Sintetizar e concentrar. Simplificar e facilitar. Estes têm sido os desafios do Pr. Josué Gonçalves. Falar de família, para ele, é fácil, já que prega, aconselha, escreve e respira família há mais de 30 anos. Seu desafio neste volume é traduzir para qualquer leitor os princípios poderosos da Bíblia que, se colocados em prática, promoverão a chegada da paz, a permanência da prosperidade e a presença da tão desejada felicidade.

Se obedeceres ao mandamento que hoje te ordeno, de amar o SENHOR, teu Deus, de andar nos seus caminhos e de guardar os seus mandamentos, seus estatutos e seus preceitos, então viverás e te multiplicarás, e o SENHOR, teu Deus, te abençoará na terra em que estás entrando para possuir. Mas, se o teu coração se desviar, e não quiseres ouvir, e fores seduzido para adorar e cultuar outros deuses, declaro-te hoje que certamente serás destruído. Não prolongarás teus dias na terra em que entrarás para possuir, depois que atravessares o Jordão. Convoco hoje o céu e a terra como testemunhas contra ti de que coloquei diante de ti a vida e a morte, a bênção e a maldição. Portanto, escolhe a vida, para que vivas, tu e tua descendência, amando o SENHOR, teu Deus, obedecendo à sua voz e te apegando a ele, pois ele é a tua vida e a extensão dos teus dias; para que habites na terra que o SENHOR prometeu com juramento dar a teus pais Abraão, Isaque e Jacó. (Dt 30.16-20)

Nossa história de vida é marcada por decisões. Na raiz dos nossos sucessos e fracassos lá estão elas, as decisões que tomamos em algum momento. Se estávamos com a cabeça quente ou serenos, se estávamos apressados ou tranquilos, se fomos bem influenciados ou não, se agimos por impulso ou se refletimos sobre a situação, todos esses elementos exerceram algum tipo de pressão sobre as decisões que tomamos. Por esta breve relação de agentes que nos influenciam, o leitor pode perceber que não devemos menosprezar o clima que envolve a tomada de uma decisão, qualquer que seja a decisão.

O clima no qual estamos envolvidos quando tomamos decisões interfere diretamente sobre o que decidimos, mas nós não podemos atribuir ao ambiente a responsabilidade por uma decisão errada da nossa parte: a decisão é nossa. Até mesmo se identificarmos uma pessoa próxima a nós, cujo conselho tenha nos levado a uma decisão desastrosa, em última instância a palavra final de quem foi? Foi nossa.

Pense em uma pessoa que decide por uma profissão qualquer. Ela planeja seus estudos na faculdade por quatro ou cinco anos. Talvez faça uma especialização por mais um ano, seguida de uma pós-graduação que dura mais dois anos. Forma-se. Entra em um programa para trainees e começa a sua carreira. Dali a um tempo, percebe que aquela não era bem a profissão que ela deveria ter escolhido. Veja quanto tempo, quanto dinheiro, quanto esforço empregado sem um resultado positivo, sem um momento de satisfação, de realização. Vem a frustração, que é seguida pelo desânimo, que se transforma às vezes em depressão. Tudo teve início em uma única decisão, mal tomada por sinal.

Com esse roteiro fictício, que representa inúmeras situações reais, quero mostrar a importância das decisões. Em muitos casos, as coisas são ainda piores, acredite. Eu poderia montar aqui o quadro dentro de outros cenários como a compra de um imóvel em uma vizinhança problemática, a compra de um carro com problemas mecânicos, o financiamento de algum bem a longo prazo, o começo de uma sociedade comercial com um sócio desonesto ou mesmo um namorico, sem maiores pretensões, que se transforma em algo sério e leva a um casamento indesejado, com filhos, com a interferência da família, com uma situação financeira precária. São muitas as possibilidades, todas elas dependentes de uma única decisão. Uma só.

Se uma decisão errada pode arruinar a vida de uma ou mais pessoas, o contrário também é verdadeiro: uma decisão acertada pode levar você a lugares espaçosos, a delícias que jamais imaginou provar, a sensações de grande alegria e gozo que podem ser divididas com as pessoas que você ama e para as quais você quer o melhor. E, novamente, lá está ela, a decisão, a sua decisão!

Do mesmo modo, eu poderia montar aqui um quadro de como uma decisão feliz e acertada pode mudar a vida de pessoas, de famílias, de igrejas, cidades e até mesmo um país. Não faltariam exemplos em nenhuma área para demonstrar isso a você: da filantropia ao negócio mais rentável, do Terceiro Mundo à biografia do homem mais rico do planeta, das missões cristãs no século I às atuais transmissões de TV em full HD. Se hoje sofremos com os problemas do pecado, foi pela decisão de alguém, a decisão deliberada de desobedecer à Palavra de Deus; mas por outro lado, até mesmo a salvação de todo aquele que crê em Jesus e a esperança que temos hoje a respeito da vida eterna também podem ser atribuídas a uma única decisão: Deus amou o mundo e decidiu dar seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

Que maravilha é ter consciência de que podemos contar com o Senhor na orientação dos nossos passos, das nossas decisões. É o que lemos nos versículos que abrem esta Introdução. Há quarenta e dois anos, o Senhor havia tirado o seu povo do Egito, onde era escravo e estava sendo oprimido pelo sofrimento imposto pelo faraó. O Senhor organizou a remoção do povo que saiu do Egito e foi dirigido por Ele à Terra Prometida, Israel. Isso aconteceu há mais de 3 mil anos. Pouco antes de aquela multidão apossar-se da terra herdada, o Senhor usou Moisés para aconselhar o povo nos passos seguintes.

Quando Moisés reuniu os milhares de Israel, disse que a terra seria para eles uma herança eterna, pois era o cumprimento de uma promessa que não pode falhar. O povo, porém, poderia tomar o caminho que quisesses, contanto que assumisse as consequências. O caminho bom e o caminho mal estavam diante do povo de Israel, e o Senhor aconselhou o seu povo a escolher o caminho que leva à vida.

Reconheço que tomar decisões não é tarefa fácil, mas podemos confiar no cuidado de Deus que nos acompanha e guia em nossas decisões. Ele deseja ver seu povo acertando e sempre escolhendo a vida.

Neste livro, reuni parte da experiência que tenho na área de decisões úteis para uma família, desde o relacionamento de um casal até a composição de uma família. São cinco decisões que podem fazer com que a sua vida como parte de um casal ou de uma família tome um rumo melhor. Há situações que vemos como imutáveis, monstruosas, mas que podem ser transformadas para melhor com uma decisão acertada. Por isso, quero compartilhar com você essas cinco áreas que interferem decisivamente no estabelecimento da felicidade entre marido e esposa, e sua família.

Espero que você seja beneficiado com a leitura, que a mão do Senhor ajude nas decisões que você precisa tomar, e que elas sejam as mais acertadas possíveis.



Pr. Josué Gonçalves é terapeuta familiar, pastor sênior do Ministério Família Debaixo da Graça - Assembleias de Deus em Bragança Paulista – SP, bacharel em teologia, com especialização em aconselhamento pastoral e terapia de casais, exerce um ministério específico com famílias desde 1990.

O cérebro pornô: estamos diante de um novo vício? (Veja)

Posted: 11 Oct 2016 10:23 AM PDT




Com a abundância de material de sexo explícito na internet, a ciência está começando a fazer uma investigação inusitada: será que a pornografia vicia?

Que impacto a atual avalanche de imagens pornográficas disponíveis na internet pode estar causando nos cérebros humanos? Reportagem de VEJA desta semana mostra que pesquisadores já falam na possibilidade de um vício em pornografia, que funcionaria à semelhança de drogas como a cocaína. Mas a questão está longe de um consenso na comunidade científica.

A falta de estudos do cérebro que comprovem o dano bioquímico, como já foi feito em relação ao uso da cocaína, é um problema. Em 2009, uma pesquisa do gênero fracassou pela impossibilidade de se formar um "grupo controle". Ou seja: não foi possível encontrar homens adultos que nunca tivessem consumido material sexualmente explícito. Outro desafio é encontrar uma definição universal para a pornografia, diferenciando-a do erotismo, para nortear os estudos.


Que é verdade?

Posted: 11 Oct 2016 04:56 AM PDT


DISSE-LHE PILATOS: QUE É A VERDADE?

João 18: 37, 38


            INTRODUÇÃO

Pilatos era governador da Judéia, no tempo de Jesus. Ele era um homem culto e poderoso, mas não conhecia a verdade. Quando Jesus foi trazido à sua presença, para ser interrogado, o governador se comportou com grande soberba, enquanto o Senhor Jesus com profunda humildade. Um era governador da Judéia, o outro o Rei do universo. Um era um pobre homem, o outro o Deus da Glória.
Pilatos perguntou se Jesus era rei, e Ele respondeu dizendo: "Tu dizes que eu sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz". Foi neste ponto, que Pilatos, com uma atitude de menosprezo por Jesus, perguntou: "Que é a verdade?"

            DESENVOLVIMENTO
           
Quando Pilatos dirigiu esta pergunta a Jesus, não estava interessado na resposta, tanto que logo em seguida à pergunta, ele se retirou de onde Jesus estava. Para Pilatos, aquilo que Jesus disse, não tinha sentido algum. Como é que Ele podia afirmar que veio ao mundo para testemunhar da verdade? Deve ter pensado Pilatos. O que é a verdade? Perguntou Pilatos e saiu. Ele estava convencido de que não precisava esperar para ouvir a resposta de Jesus, porque para ele a verdade era relativa, e não absoluta.

Para Pilatos a verdade dependia do ponto de vista de cada pessoa, de modo que cada um tinha a sua verdade. Esse é o pensamento e a opinião das pessoas hoje em dia também. Cada um tem a sua própria verdade e o seu ponto de vista sobre ela. As pessoas não consideram a possibilidade de existir uma verdade absoluta, por isso, assim como Pilatos, não estão preocupadas em descobri-la e vivê-la.

Jesus disse aos seus discípulos que uma das características da Verdade, é que ela liberta e conduz à vida eterna. Mas o que vemos hoje no mundo, na vida das pessoas que defendem a sua própria verdade, é que estas não são livres e não têm vida eterna, mas vivem escravizadas pelo mundo e pelo pecado, e ao invés de esperança de vida eterna, as pessoas vivem infelizes, desesperadas e angustiadas, sem saber o que vai lhes acontecer no futuro, vivem mergulhadas nas trevas, cegas pela sua própria verdade.

A verdade que as pessoas defendem está sujeita a argumentações e mudanças, mas a Verdade que é Jesus, esta é inabalável e contra Ela não há argumentações, pois é absoluta. A Verdade quebra os grilhões do pecado e traz o homem para a Luz, fazendo com que ele conheça sua real situação e busque se libertar pela fé na Verdade, que é Jesus. Quando o homem conhece Jesus, descobre a Verdade, e percebe que aquilo em que confiava como sendo a verdade, não passava de mentira e engano. Ele percebe que a religião em que vivia, e o que possuía como sendo a verdade, não passavam de sofismas e ilusões que o prendiam e escravizavam. Por isso sua vida era vazia e sem sentido.

            CONCLUSÃO

Quando Jesus se revela através da sua Palavra, a Verdade enche o nosso coração, preenchendo todo o vazio e nos dando a libertação das coisas que nos dominavam antes. A paz, a felicidade e o descanso para a alma enchem a nossa vida e passamos a conhecer o Caminho e a Vida, que estão associados à Verdade, que é o Senhor Jesus - Jo 14: 6.


            

Os sonhos de Deus jamais vão morrer

Posted: 11 Oct 2016 01:58 PM PDT




"Oi, pastor. Desde pequena eu sempre ajudei na obra de Deus. Eu participava de todos eventos da igreja e ajudava quem precisava, mas o tempo passou e eu casei, tive filhos e hoje não sinto mais que Deus tem sonhos para a minha vida. É como se uma voz dissesse que eu não sou digna de estar na presença Dele. Estou muito triste."
R: Olá, minha irmã. Antes de te responder, gostaria que você lesse com atenção esse trecho do Salmo 139:
"Tu criaste o íntimo do meu ser e me teceste no ventre de minha mãe. Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Tuas obras são maravilhosas! Disso tenho plena certeza. Meus ossos não estavam escondidos de ti quando em secreto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir. Como são preciosos para mim os teus pensamentos, ó Deus! Como é grande a soma deles!" (Salmos 139:13-17).
Deus nos criou com um propósito: conhecê-Lo e torná-Lo conhecido. No entanto, a vida coloca uma série de empecilhos e problemas para nos atrapalhar nesta missão. E, geralmente nessas situações, o inimigo aponta os nossos pecados, tentando nos convencer de que somos incapazes e indignos de servir a Deus. O problema é que, muitas vezes, nós acabamos caindo na conversa dele.
Isso que você me contou é uma armadilha de Satanás para te enganar! Jesus disse que ele veio para matar, roubar e destruir (João 10:10). E que "ele foi homicida desde o princípio e não se apegou à verdade, pois não há verdade nele. Quando mente, fala a sua própria língua, pois é mentiroso e pai da mentira" (João 8:44). O diabo é inimigo de Deus e, consequentemente, nosso inimigo, pois ele sabe que Deus tem planos maravilhosos para a nossa vida, e principalmente, a vida eterna através de Jesus.
Então, minha irmã, você precisa saber que as promessas de Deus são reais e vão se cumprir em sua vida, independentemente do fato de você ser pecadora; pois todos nós somos. É muito importante que você entenda também que os seus sentimentos nem sempre estão corretos, pois as emoções nos enganam (Jeremias 17:9), e a única forma de você vencer esta batalha, é tomando posse do que a Bíblia diz a seu respeito. A Palavra de Deus é comparada a uma espada que atinge o nosso interior e nos mostra quem realmente nós somos. Veja:
"Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração" (Hebreus 4:12).
Essa passagem mostra que a Bíblia é capaz de dividir alma e espírito, ou seja, ela nos ajuda a diferenciar o que é espiritual daquilo que não passa de emoção. Por isso, não dê atenção aos seus sentimentos, mas creia no que a Palavra diz sobre você, e ela declara que você é mais que vencedora (Romanos 8:37) e que Deus terminará a boa obra que Ele começou em você! (Filipenses 1:6)
A Bíblia conta muitas histórias de mulheres e homens que, mesmo sendo falhos e fracos, cumpriram os planos de Deus de forma poderosa. O interessante é que todos eles pecaram, passaram por momentos difíceis, pensaram em desistir. Mas, mesmo assim não desistiram dos sonhos de Deus e fizeram a diferença na sua geração. Veja alguns exemplos:
JOSÉ
José recebeu a promessa de que um dia ocuparia uma posição de autoridade, mas acabou sendo jogado em um poço pelos irmãos e em seguida foi vendido como escravo. Ele foi levado ao Egito e chegou a ser preso injustamente. Porém, Deus não é homem para mentir e, no tempo certo, Ele cumpriu o sonho que havia colocado no coração daquele rapaz:
"Por isso o faraó lhes perguntou: 'Será que vamos achar alguém como este homem, em quem está o espírito divino?' Disse, pois, o faraó a José: 'Uma vez que Deus lhe revelou todas essas coisas, não há ninguém tão criterioso e sábio como você. Você terá o comando de meu palácio, e todo o meu povo se sujeitará às suas ordens. Somente em relação ao trono serei maior que você'. E o faraó prosseguiu: 'Entrego a você agora o comando de toda a terra do Egito'" (Gênesis 41:38-41).
MOISÉS
Moisés tinha sérios problemas de baixa autoestima e chegou a dizer a Deus que não era ninguém e que não poderia libertar o seu povo da escravidão no Egito. Deus, porém, lhe respondeu: "Eu estarei com você" (Êxodo 3:12). Ele, então, decidiu confiar no Senhor e libertou Israel.
ANA
Ana era estéril e, por isso, era humilhada diariamente pela outra mulher de seu marido. Até que um dia, depois de clamar e chorar aos pés do Senhor, Ele atendeu a sua oração e realizou o Seu sonho na vida dela. "Assim Ana engravidou e, no devido tempo, deu à luz um filho. E deu-lhe o nome de Samuel, dizendo: "Eu o pedi ao Senhor" (1 Samuel 1:20).
MARIA
Maria parecia ser uma jovem comum, sem um grande propósito na vida. Porém, o sonho de Deus para a vida dela, era muito maior do que ela poderia imaginar. A missão dessa moça? Ser a mãe de Jesus!
"No sexto mês Deus enviou o anjo Gabriel a Nazaré, cidade da Galiléia, a uma virgem prometida em casamento a certo homem chamado José, descendente de Davi. O nome da virgem era Maria. O anjo, aproximando-se dela, disse: 'Alegre-se, agraciada! O Senhor está com você!' Maria ficou perturbada com essas palavras, pensando no que poderia significar esta saudação. Mas o anjo lhe disse: 'Não tenha medo, Maria; você foi agraciada por Deus! Você ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe porá o nome de Jesus'" (Lucas 1:26-31).
Percebeu como Deus opera milagres? Viu como Ele capacita pessoas comuns para realizarem os Seus sonhos? O Senhor é o mesmo ontem, hoje e sempre. O que Ele fez no passado com José, Moisés, Ana, Maria e tantos outros, também vai fazer com você! Ele jamais te abandonará e jamais vai desistir de cumprir os sonhos Dele em sua vida! Espero que você se inspire nessas pessoas, tão humanas quanto você e eu, para não desistir dos sonhos de Deus. E quando o inimigo te disser que você não é digna de ser usada por Deus, deixe ele falando sozinho e volte seus olhos para Aquele que nunca irá mentir para você, nem deixar de cumprir uma promessa sequer em sua vida. Os sonhos de Deus jamais vão morrer!



Nenhum comentário:

Postar um comentário