BENVINDO

Minha foto

 Sou servo do Senhor desde 2001,sirvo a Deus na Igreja do Evangelho Quadrangular,  obreiro formado no Instituto Teológico Quadrangular, professor da Escola Bíblica,  casado com Elisângela a 25 anos , pai de 2 filhos maravilhosos,  buscando cada dia conhecer mais ao Senhor. Meu maior desejo é ser " uma bênção" e abençoar àqueles que estão perto e através da web os que estão longe.  Que as bênçãos do Senhor seja transbordante sobre a sua vida, sobre sua casa , sobre sua família, sobre o seu ministério, querido(a) e amado(a) irmão(ã) em Cristo Jesus. 

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Esboço de Sermão

Esboço de Sermão


Série: Comunhão - Condições para a Comunhão

Posted: 23 May 2017 11:00 AM PDT

Série: Comunhão - Condições para a Comunhão
Texto: I João 1:1 - 2:2

Introdução: Hoje eu quero começar a observar uma palavra da Escritura que é usada com frequência, mas eu me pergunto se nós verdadeiramente a entendemos. A comunhão significa ter algo em comum. Enquanto nós, como cristãos, temos muitas coisas em comum, o ingrediente essencial da comunhão cristã é o próprio Cristo.

Podemos ter comunhão uns com os outros, mas também podemos ter comunhão com o Pai e com Seu Filho. Nossa "união" com Cristo é nossa "filiação" e isso nunca muda. No entanto, nossa "participação" com Cristo é nossa "comunhão" e pode ser impedida pelo pecado. A "filiação" é uma questão de vida e morte, mas "comunhão" é uma questão de luz e escuridão.

Na primeira epístola de João, encontramos o assunto da comunhão explicado em grande detalhe. Nas próximas noites, veremos as condições para a comunhão, nossa conduta na comunhão, as características da comunhão, alguns cuidados na comunhão e as consequências da comunhão. Hoje à noite queremos considerar as condições para a comunhão.

I. Introdução 1:1-4

A. A Eternidade de Cristo, Humanidade, e Deidade v. 1-2
1. O que "era" - já existente não veio a existir.
2. "Desde o início" refere-se à criação Gênesis 1:1, "No princípio Deus ..."
3. Certamente Deus é um ser espiritual, mas João relata a experiência da encarnação.
4. Deus se tornou homem - Ele nasceu neste mundo através do nascimento virginal milagroso.
5. Como resultado, Ele podia ser visto, ouvido e tocado.
6. Ele "estava com o Pai" - nota João 1:1, "O verbo estava com Deus e o verbo era Deus" - Filipenses 2:6, Ele era "igual a Deus"
B. A mensagem de comunhão e alegria de João. V. 3-4
1. Como dissemos anteriormente, comunhão significa ter algo em comum.
2. É como uma parceria que envolve três relações diferentes.
a. Comunhão com crentes
b. Comunhão com Deus
c. Comunhão com Jesus Cristo
3. Vamos expandir este tema de comunhão ao longo de todo o nosso estudo.
4. Significa muito mais que salvação!
5. O resultado da verdadeira comunhão.

II. Condições para a comunhão. 1:5 - 2:2

A. Conformidade com um padrão. (5-7)
1. O contraste: Deus é luz e nele não há escuridão.
a. A luz representa santidade, pureza e glória.
b. A escuridão representa o mal e a maldade.
c. Com Deus não há áreas cinzentas ou sombras.
2. O conflito: a nossa conversa versus a nossa caminhada
a. Se dissermos que temos comunhão com Deus enquanto andamos nas trevas - nós não praticamos a verdade!
b. Andar em trevas se refere a uma vida caracterizada pelo pecado.
c. Se dizemos uma coisa e, no entanto, nossas vidas refletem o oposto, então somos mentirosos.
3. A condição correta resulta em:
a. Caminhada consistente
b. Comunhão comum
c. Vida limpa
B. Confissão de Pecado (1:8 - 2:2)
1. A reivindicação. V. 8, 10
a. Da natureza sem pecado [8]
1) Não falar de atos de pecado.
2) Esta é uma completa negação do princípio do pecado interior.
3) Esta é uma negação da Escritura. NOTA: Romanos 3:23, Romanos 5:12
b. De nenhuma prática de pecado [10]
1) "Se dissermos que não temos cometido pecado..."
2) Essa afirmação tão estranha só poderia ser feita redefinindo o pecado.
3) Chamando o pecado de - erros de julgamento ou apenas erros.
4) No entanto, nenhuma distinção pode ser feita na Escritura.
c. O resultado de tais reivindicações.
1) Enganamos a nós mesmos.
2) Fazemos de Deus um mentiroso.
3) Sua verdade, Sua Palavra não está em nós - não pode haver comunhão com Deus
2. A Confissão. V. 9
a. Confessar = dizer o mesmo sobre o pecado que Deus diz.
b. O Caráter de Deus.
1) Deus é fiel
2) Deus é justo ou reto
c. A purificação efetuada por Deus
1) NOTA: João está escrevendo aos crentes - precisamos de confissão e purificação diariamente!
2) Deus perdoa e purifica
3) NOTA: A comissão do pecado por um crente interrompe sua comunhão com Deus - mas a confissão de pecado restaura essa comunhão.
3. A cura. 2:1-2
a. O pecado e as Escrituras.
1) Pode-se erroneamente assumir que podemos desculpar o nosso pecado porque é a nossa natureza, e afinal de contas, Deus vai perdoar se confessarmos.
2) João deixa bem claro que não devemos chegar a essa conclusão.
3) Sem dúvida, diz: "Não, não"
4) "Meus filhinhos"; nos lembra de nossa nova vida na família de Deus e, uma vez que nascemos de novo, devemos viver de acordo com nossa nova natureza - não a velha natureza!
b. O pecado e o Salvador
1) Ele é nosso defensor - nosso advogado - Ele está do nosso lado!
2) Ele é a satisfação pelo pecado - Sua morte no Calvário pagou o preço da penalidade do pecado.
3) Ele é o Salvador de todo o mundo - a salvação está disponível para todos os que a receberem pela fé.

Conclusão: Quais são as condições para a comunhão com Deus? Existem apenas duas:
1. Conformidade com um padrão: Jesus Cristo
2. Confissão de pecado: ao nosso Salvador

Estamos em comunhão com Deus esta noite? Se conhecemos Suas condições, nós estamos. Ele é nosso padrão ou é o mundo? Temos mantido nossa conta em ordem? A confissão diária de nossos pecados é necessária para a purificação diária!

Nenhum comentário:

Postar um comentário