BENVINDO

Minha foto

 Sou servo do Senhor desde 2001,sirvo a Deus na Igreja do Evangelho Quadrangular,  obreiro formado no Instituto Teológico Quadrangular, professor da Escola Bíblica,  casado com Elisângela a 25 anos , pai de 2 filhos maravilhosos,  buscando cada dia conhecer mais ao Senhor. Meu maior desejo é ser " uma bênção" e abençoar àqueles que estão perto e através da web os que estão longe.  Que as bênçãos do Senhor seja transbordante sobre a sua vida, sobre sua casa , sobre sua família, sobre o seu ministério, querido(a) e amado(a) irmão(ã) em Cristo Jesus. 

terça-feira, 16 de maio de 2017

Esboço de Sermão

Esboço de Sermão


Série: Cristianismo Prático - Ministério da Hospitalidade

Posted: 15 May 2017 05:51 AM PDT

Série: Cristianismo Prático - Ministério da Hospitalidade
Texto: 2 Coríntios 3:2

Introdução: Nós somos tradicionalmente um povo consciente da alma, enfatizando a necessidade do evangelho salvador de Jesus Cristo para um mundo perdido e morrendo. Isso está em contraste com a filosofia daqueles que promovem um "evangelho social". Minimizando ou ignorando as necessidades espirituais, seu foco está em cuidar das necessidades humanas ou físicas.

Essa filosofia reduz o ministério da igreja local a pouco mais do que uma agência social para alimentar, vestir e pagar as contas para quem pede. Pessoas literalmente ficaram indignadas comigo porque eu não concordei em fornecer-lhes dinheiro para luz, aluguel, ou qualquer número de outras necessidades.

Alguns questionaram por que a nossa igreja gasta milhares de Reais em missões estrangeiras, mas não apoia certos grupos locais. Embora muitos desses grupos tenham metas e aspirações adequadas, muitas vezes eles não estão de acordo com a filosofia e doutrina desta igreja local. Há aqueles que dizem que isso realmente não importa; mas eu acredito que sim!

O fato de que eu não posso, em boa consciência, levar esta igreja a apoiar muitas organizações sociais, não significa que não devemos ministrar a pessoas na área da hospitalidade. Observe os versículos a seguir.

(2 Coríntios 3:2) "Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens"

(Mateus 7:12) "Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós a eles; porque esta é a lei e os profetas".

Deus nos instrui a ter um ministério de hospitalidade para com os outros. Não somos "do mundo", mas estamos "no mundo"! Portanto, devemos estar conscientes de nossa influência sobre os outros que nos rodeiam.

Hoje à noite eu quero que pensemos em outra área do cristianismo prático. Como podemos ser uma influência positiva para a causa de Cristo? Podemos ter um impacto por ter um ministério de hospitalidade para com os outros.

I. Definição de Hospitalidade.

A. Mandamentos bíblicos.
1. Para Israel no Antigo Testamento. (Levítico 19:33-34) "Quando um estrangeiro peregrinar convosco na vossa terra, não o maltratareis. Como um natural entre vós será o estrangeiro que peregrinar convosco; amá-lo-eis como a vós mesmos; pois estrangeiros fostes na terra do Egito. Eu sou o Senhor vosso Deus".
2. Para o crente do Novo Testamento. (Romanos 12:10, 13) "Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros... acudi aos santos nas suas necessidades, exercei a hospitalidade" - (1 Pedro 4:9) "sendo hospitaleiros uns para com os outros, sem murmuração"
B. Definição prática.
1. Hospitalidade = "bom acolhimento dispensado a alguém"
2. A palavra aqui descreve a prática de graciosamente acolher alguém.
3. Muitos na Bíblia ilustram esse importante traço cristão.
a. Maria e Marta praticavam a hospitalidade. (Lucas 10:38) "Ora, quando iam de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa"
b. Lídia, e outros cristãos primitivos demonstraram essa característica. (Atos 16:14-15) "E certa mulher chamada Lídia, vendedora de púrpura, da cidade de Tiatira, e que temia a Deus, nos escutava e o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas que Paulo dizia. Depois que foi batizada, ela e a sua casa, rogou-nos, dizendo: Se haveis julgado que eu sou fiel ao Senhor, entrai em minha casa, e ficai ali. E nos constrangeu a isso"
c. Priscilla e Áquila foram dadas à hospitalidade. (Atos 18:26) "Ele começou a falar ousadamente na sinagoga: mas quando Priscila e Áquila o ouviram, levaram-no consigo e lhe expuseram com mais precisão o caminho de Deus".
C. Anjos desconhecidos? (Hebreus 13:2) "Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, sem o saberem, hospedaram anjos"
1. Esta é certamente uma razão para ser hospitaleiro, mas não é a única razão.
2. Deus nos ordenou a ter um ministério de hospitalidade.

II. Três grupos de pessoas necessitadas deste ministério.

A. O primeiro grupo são nossos próximos.
1. Um próximo é um amigo, um vizinho, ou alguém que vive nas proximidades.
2. Jesus incluiu estranhos nesta definição de quem deveria ser nosso próximo.
3. Lembra-se da parábola do Bom Samaritano? (Lucas 10:36) "Qual, pois, destes três te parece ter sido o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores?"
4. Estamos ministrando ao nosso próximo?
B. O segundo grupo são os pobres.
1. A Bíblia tem muito a dizer sobre os pobres.
2. Sempre haverá aqueles que são considerados "pobres".
3. Jesus disse que foi ungido para pregar o evangelho aos pobres.
4. O jovem governante rico foi instruído a distribuir sua riqueza aos pobres.
5. Uma e outra vez somos instruídos a cuidar dos pobres entre nós.
6. Mas devemos estar discernindo neste ministério.
7. Há os "pobres profissionais" que mudam ou pedem de igreja em igreja.
8. Estas pessoas foram condicionadas pela nossa sociedade a acreditar que as igrejas são obrigadas a fornecer para eles.
9. Eles acreditam que a igreja "deve" isso a eles.
10. Este grupo crescente de "pedidores" e "artistas da fraude" não deve nos dissuadir de ministrar aos que são verdadeiramente necessitados em nossa comunidade.
C. O terceiro grupo é naturalmente nossos amigos e nossos irmãos. (Gálatas 6:10) "Então, enquanto temos oportunidade, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé".
1. Não é que "tenhamos" que fazer, mas sim que "queremos" fazê-lo
2. Nosso objetivo deve ser não apenas satisfazer uma necessidade, mas também encorajar e fortalecer a fé de nossos irmãos.
3. Exemplo de nosso primeiro Natal como pastor.
4. Devemos estar prontos para fazer isso, porque a oportunidade pode surgir a qualquer momento.
5. Se hesitarmos, ou esperar muito tempo ... a oportunidade pode passar. Ex. Selma
6. Não devemos esquecer de ministrar aos nossos amigos perdidos também.
7. Esta pode ser uma oportunidade para expressar de forma muito prática, o amor de Cristo.

III. Maneiras práticas de ministrar a hospitalidade.

A. Esteja sempre atento às oportunidades de ajudar os outros.
B. Esteja realmente interessado em outras pessoas.
C. Tenha interesse pelo nosso bairro e pelos outros que lá vivem.
D. Faça algo para aqueles que são menos afortunados do que nós.
E. Seja motivado pelo Espírito de Deus para ministrar e não por culpa.
F. Não minimize o valor de ajudar alguém.

(2 Coríntios 3:2) "Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens"

(Mateus 7:12) "Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós a eles; porque esta é a lei e os profetas".

Conclusão: Como tem sido nossa hospitalidade para com os outros? Estamos ministrando efetivamente? Venha a frente esta noite e deixe que Deus faça Sua vontade em nossa vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário