BENVINDO

Minha foto

 Sou servo do Senhor desde 2001,sirvo a Deus na Igreja do Evangelho Quadrangular,  obreiro formado no Instituto Teológico Quadrangular, professor da Escola Bíblica,  casado com Elisângela a 25 anos , pai de 2 filhos maravilhosos,  buscando cada dia conhecer mais ao Senhor. Meu maior desejo é ser " uma bênção" e abençoar àqueles que estão perto e através da web os que estão longe.  Que as bênçãos do Senhor seja transbordante sobre a sua vida, sobre sua casa , sobre sua família, sobre o seu ministério, querido(a) e amado(a) irmão(ã) em Cristo Jesus. 

quinta-feira, 24 de março de 2016

BÍBLIA A PALAVRA DE DEUS

BÍBLIA A PALAVRA DE DEUS


NÃO TEMAS DEUS É CONTIGO

Posted: 23 Mar 2016 08:00 PM PDT




Jó disse: "aquilo que temo me sobrevém, e o que receio me acontece..." ( Jó 3:25 )

Conta-se a história de um índio que olhando ao longe, viu uma figura surgindo no horizonte. Pensando que era um animal selvagem, ele se preparou para fugir...Mas, ao aproximar-se a figura, ele viu que tratava-se de um homem sobre um cavalo. Entendendo que era um inimigo, ele preparou-se para lutar...O homem à cavalo se aproximou, e ele viu que não era um inimigo, mas alguém de sua própria tribo...Então, o índio preparou-se para dar-lhe boas vindas...Quando o cavaleiro finalmente chegou perto, o índio reconheceu que era seu próprio irmão, e o abraçou...

O medo é uma sensação que todos nós experimentamos num momento ou outro de nossas vidas. Isto acontece simplesmente porque somos humanos. Existem temores naturais e praticamente involuntários, que inclusive nos ajudam a preservar a vida e a evitar o mal . Por exemplo, o temor de andar em um lugar escorregadio e perigoso, etc. Estes temores são uma resposta quase involuntária de auto-preservação, de proteção e trabalham a nosso favor quando se encontram dentro da realidade e do equilíbrio. Devemos ter bom senso, usar sabedoria no agir, ter equilíbrio e moderação. Isto é muito bom para a vida...

Mas existe um medo que é diferente destes simples temores naturais; é um medo que atormenta quem o possui, que o aprisiona, o impede de desfrutar de uma vida de paz e não o deixa viver em liberdade e confiança. A Bíblia, em 1 João 4:18, diz assim: "o medo produz tormento". Este tipo de medo é uma sensação paralisante que nos acovarda diante da vida, das oportunidades, dos desafios, dos relacionamentos, das dificuldades, dos problemas, e nos faz viver sempre fugindo!

De alguma forma, você está assim hoje? Você está sendo dominado e controlado pelo medo hoje? Qual é o seu medo? Medo de ficar sozinha? Medo do futuro? Medo de se relacionar com as pessoas? Medo de fracassar? Medo dos desafios que surgiram diante de você? Medo de perder o caminho? Medo de ser abandonado? Medo de viver? Todos nós experimentamos algum medo num momento ou outro dependendo da situação; mas o grande problema, não é senti-lo; é quando este momento de medo se transforma num ESTILO DE VIDA DE MEDO... Quando isto acontece, passamos a viver para nos defendermos, passamos a viver abortando sonhos, fugindo de responsabilidades, rejeitando oportunidades, fugindo dos relacionamentos...Não vivemos mais; só reagimos às feridas do nosso passado.

O problema, não é o que sentimos, mas O QUE CONSCIENTEMENTE ESCOLHEMOS FAZER COM O QUE ESTAMOS SENTINDO! Cristãos e não cristãos sentem medo! Isto é humano, e muito natural quando você está diante de uma situação para a qual sente-se despreparado ou inadequado, quando você se conscientiza de sua humanidade e pequenez. Mas nós podemos conscientemente escolher não desenvolver o medo como nosso estilo de vida! Em 2 Crônicas 20:3, o rei Josafá se viu cercado por um exército numeroso, e a Bíblia diz que ele teve medo! Mas ele não parou aí, ele teve medo mas se pôs a buscar ao Senhor! Esta é a resposta.

A primeira vez que o homem sentiu medo, de acordo com a Bíblia, foi quando ele se afastou de Deus. Sabe, nós fomos criados para desfrutarmos de íntima comunhão com Deus, e a quebra desta comunhão afetou todo o nosso ser. Quando o homem se afastou de Deus, ele se sentiu completamente desprotegido, exposto, nu. Ele percebeu sua fragilidade, sua pequenez, suas limitações pessoais. E ele passou a ter medo. Sua psiquê foi afetada pela insegurança, pelo temor, pela desconfiança, pela consciência de sua própria humanidade limitada. Em 1 João 4:18, a Bíblia diz "no AMOR NÃO EXISTE MEDO; ANTES, O PERFEITO AMOR LANÇA FORA O MEDO, o que teme não é aperfeiçoado (amadurecido) no amor" Você percebe? É quando estamos descansando nosso coração na certeza do amor de Deus que somos libertos do medo. O perfeito amor lança fora o medo. É quando temos esta convicção e verdade amadurecida e arraigada dentro de nós, que somos livres desta paralisia que o medo tenta causar às nossas vidas.

Deus ama você incondicionalmente! Ele se importa com você! Ele provou seu amor quando deu Seu Filho Jesus para morrer na cruz pelos seus pecados, para trazer você de volta para Sua comunhão. Você é amada! Você é querido! Alguém se importa com sua vida! Você é especial e importante para o Ser mais maravilhoso e magnífico do universo: DEUS! Mesmo que todos estejam contra você, "se Deus é por nós, quem será contra nós?" Você compreende este imenso amor de Deus por você? A Bíblia diz cerca de 365 vezes "não temas!". E a razão que ela nos dá é que Deus nos ama e que Ele tem um plano para as nossas vidas.

Se você entregar sua vida sinceramente a Jesus Cristo, e O receber em sua vida como Seu Senhor e Salvador (João 1:12,13), você vai ver que Deus faz com que todas as coisas, mesmo as mais absurdas, cooperem para o bem daqueles que O amam! Ele não nos promete um "mar de rosas", ou uma ausência de lutas e problemas, mas nos promete a Sua presença ao nosso lado! Ele disse "eu nunca te deixarei, jamais te abandonarei". O medo nos leva a vivermos sempre para agradarmos a maioria, para não sermos rejeitados por eles. Ficamos escravos da aceitação dos outros, porque temos medo de sofrermos sua rejeição. Alguns até abrem mão de princípios morais e éticos por causa deste medo da rejeição. Talvez isto esteja acontecendo com você. O medo nos leva a não desenvolvermos o potencial que Deus depositou dentro de nós.

Ficamos encolhidos, estagnados, parados no tempo! O medo nos amarra interiormente e nunca utilizamos os dons e talentos que recebemos de Deus. Temos medo de falhar, de que alguém não nos reconheça, de que riam de nós, etc. Será que isto está acontecendo com você? O medo nos leva a uma vida interior desequilibrada de ansiedade, angústia e desespero. O medo, diz a Bíblia, "produz tormento". Passamos a viver fugindo e prisioneiros de nossas circunstâncias. Não conseguimos crer que Deus possa intervir em nossas vidas! Se você vive apenas dependendo do que pode fazer, do que sabe, do que entende, do que conhece então você está preso às suas próprias limitações! Mas quando você confia em Deus, você vive com equilíbrio, bom senso, sabedoria.

Você encara a realidade de frente, mas você sabe que há um Deus que te ama apaixonadamente e que Ele pode agir em teu favor! O que você pode fazer para quebrar esta paralisia? Reconheça seu medo diante de Deus! Fale para Ele exatamente o que você está sentindo seja honesto! Fale com Ele como quem fala com seu melhor amigo e confidente. Faça do Deus da Bíblia, o teu Deus! Convide Jesus Cristo a entrar em sua vida e a dirigir o teu viver de hoje em diante. Fale com Ele agora mesmo. Diga algo assim: "Senhor Jesus, eu preciso de Ti. Reconheço que tenho andado fora de tua vontade. Perdoa meus pecados. Entra em minha vida e dirija o meu viver de agora em diante. Seja o meu Deus, o meu Senhor e Salvador. Eu quero ser uma nova pessoa de hoje em diante. Faz o teu Espírito Santo habitar dentro de mim a partir deste momento, e dá-me tua paz, teu amor, tua alegria, teu poder. Eu te recebo em minha vida Jesus."

Você precisa conhecer e crer no amor que Deus tem por você! É este amor que nos liberta de um viver dominado pelo medo. Porque eu sei que minha vida está nas mãos de um Deus Todo-Poderoso e que é apaixonado por mim! Eu atravesso os vales da vida, como qualquer ser humano, e o medo bate na porta do meu coração, mas eu sei que Deus está comigo, e que Ele nunca vai me abandonar!

Coloque seus olhos em Deus e na grandeza de Seu amor e poder. Ainda que não entendamos tudo, podemos confiar no caráter e na sabedoria de Deus. Quando for tentado a escolher o medo como estilo de vida, lembre-se que você pode confiar em Deus! Entregue seu medo para Ele e escolha a vida! Deus nos deu um modo poderoso para combater o medo. Sabe qual é? A oração, o louvor e a Sua Palavra. Orar é falar com Deus. Fale para Ele tudo que você tem no seu coração. Entregue para Ele os seus temores e receba dEle a Sua paz. Louvar é declarar as grandezas de Deus, é lembrar-se de como Deus é bom, de como Ele é fiel, de como Ele nos ama, de como Ele é sábio, poderoso, grande, magnífico, e começar a exaltá-lo por isto! Você pode aprender muito sobre o louvor lendo os Salmos. Cante para Deus! Quando sentir o medo querendo te controlar, experimente cantar louvores a Deus. Experimente! Você vai ver que a alegria de Deus vai começar a encher o teu coração, mesmo em meio às lágrimas, e a certeza do amor de Deus vai lançar fora o temor e o desespero do teu coração. E então, leia a Bíblia. leia sobre as coisas maravilhosas que Jesus fez e ensinou. Isto vai fortalecer a sua vida interiormente e te levar a crescer no teu relacionamento com Deus.

Se você ainda não convidou Jesus Cristo a ser o Senhor de sua vida, faça-o agora. É simples; como uma criança dando seus primeiros passos. Jesus disse que precisamos nos tornar como crianças para entrar em seu reino. Convide Jesus, numa oração simples de fé, a entrar em seu coração, e a assumir o controle de sua vida; peça que Ele perdoe os seus pecados, que Ele traga a Sua doce presença e amor ao seu interior; e confie que na cruz Ele morreu por você, para que você pudesse voltar para os braços de amor de Deus. Depois, caminhe com Ele.


Ministerio de Casais

A IMPORTÂNCIA DO DESERTO

Posted: 23 Mar 2016 05:13 AM PDT



A importância do deserto.

"Ele está gritando no deserto: Preparem o caminho para o Senhor passar! Abram estradas retas para Ele" (Mc 1:3)

O maior de todos os profetas, João Batista, escolheu desenvolver o seu ministério no deserto. Creio que a escolha foi baseada numa direção divina, que tinha como objetivo fazer com que, tanto João, quanto o próprio povo, tivessem experiências significativas com Deus. Sobre as bênçãos decorrentes do deserto, é que queremos falar nesta ocasião.

1. Um Lugar Para Ouvir a Deus
O deserto, para João Batista, representava um lugar especial onde teria condições de se afastar das distrações desta vida, a fim de poder ouvir as ordens de Deus.
Todos nós vivemos num mundo agitado, onde nos vemos, muitas vezes, obrigados a correr para cima e para baixo tentando cumprir nossas agendas diárias; mas nem sempre nos damos conta de que tal agitação pode nos distanciar daquele lugar de comunhão, no qual podemos ouvir a suave voz de Deus.

Nestas horas é que percebemos o quanto necessitamos tomar a decisão de procurar o "deserto nosso de cada dia", para que ali Ele fale de maneira que possamos ouví-Lo, sem as interferências que, naturalmente, nos rodeiam todos os dias.
O nosso deserto pode significar um quarto fechado para oração, um tempo recolhido à sós com Deus, ou apenas um lugar e um tempo, quando estar em Sua presença é a coisa mais importante para nós.

Se deixarmos de ouvir a Deus em nosso caminhar diário, correremos o risco de perder a direção, a visão e o propósito maior para nossa existência. Por isso, precisamos ouví-Lo.

2. Um Lugar de Renúncia
O texto bíblico mostra que as multidões partiam para o deserto a fim de se encontrar com João e ouvir sua mensagem. Com isso, cada um estava deixando de lado sua casa, seu compromisso, seu conforto, seu trabalho. Tal atitude representava renúncia e despojamento da velha estrutura de vida rotineira, em busca de algo que eles consideravam ser importantes para suas vidas. Cada um estava demonstrando com esse comportamento, a disposição de renunciar algo de valor para obter o que era ainda mais precioso.
Essa experiência nos ensina a não esperar a bênção "em domicílio", mas a valorizá-la a ponto de seguir em sua busca.
Os que não estavam dispostos a deixar tudo e partir para o deserto, também não estariam dispostos a deixar posturas erradas para assumir um compromisso com Deus.

Não queremos, com isso, dizer que precisamos "comprar" a bênção de Deus, anulando, assim, a graça que há em Cristo Jesus. É claro que todas as bênçãos nos são concedidas pela graça, e não pelo esforço humano. No entanto, nossas atitudes externas demonstram a intensidade do desejo do nosso coração.

3. Um Lugar Desprovido De Religiosidade
Cremos que ao pregar o Evangelho de Deus no deserto, João Batista estava promovendo a ruptura com a hipocrisia dos líderes religiosos de sua época, que dava mais valor às suas vestimentas sacerdotais e objetos sagrados, do que fazer verdadeiramente à vontade de Deus. Muitos queriam impressionar o povo com uma aparência de piedade, mas seus corações estavam vazios de Deus e da sua unção. João Batista chocava a multidão, por que suas vestes não eram semelhantes às de um religioso. Sua comida e sua habitação eram totalmente diferentes do convencional. Mas a sua vida expressava tremendo poder e unção do Alto.
Contudo, isso cremos que Deus estava querendo incutir na mente das pessoas, que elas deveriam estar preparadas para receber algo diferente do habitual. O objetivo era o de ajudar o povo a romper com aquela religiosidade infrutífera para que pudesse receber de Deus a verdadeira mensagem, totalmente desprovida de religiosidade, o que faria toda diferença em suas vidas.

Conclusão: O deserto no ministério de João Batista foi um lugar especial onde ele e o povo puderam separar-se para ouvir a voz de Deus, de forma mais clara. Para receberem a mensagem do Altíssimo, as pessoas tiveram de deixar o conforto do lar, demonstrando interesse de renunciar coisas importantes por algo de maior valor: a Palavra de Deus.
João Batista vestia-se de forma diferente dos religiosos da época, passando sempre a mensagem de que a verdadeira transformação procede de dentro para fora, e não o contrário, por meio de uma verdadeira atitude de arrependimento.
Separe-se agora um pouco, a fim de ouvir a voz de Deus no seu coração.
Mesmo durante a semana, escolha lugares de menor movimento para que ali você possa ter condições de discernir em seu coração, o que Ele tem para sua vida.


Ministério de Casais

Nenhum comentário:

Postar um comentário