BENVINDO

Minha foto

 Sou servo do Senhor desde 2001,sirvo a Deus na Igreja do Evangelho Quadrangular,  obreiro formado no Instituto Teológico Quadrangular, professor da Escola Bíblica,  casado com Elisângela a 25 anos , pai de 2 filhos maravilhosos,  buscando cada dia conhecer mais ao Senhor. Meu maior desejo é ser " uma bênção" e abençoar àqueles que estão perto e através da web os que estão longe.  Que as bênçãos do Senhor seja transbordante sobre a sua vida, sobre sua casa , sobre sua família, sobre o seu ministério, querido(a) e amado(a) irmão(ã) em Cristo Jesus. 

sexta-feira, 31 de julho de 2015

COMO É A HIERARQUIA NO REINO DAS TREVAS?



Imaginamos que o reino do mal seja uma bagunça, sujo e desorganizado, mas não é assim. Mesmo consciente de que é um derrotado, Satanás é altamente organizado.

EXISTE UMA HIERARQUIA INFERNAL.
O diabo comanda espíritos malignos organizados em vários grupos: principados e potestades, príncipes das trevas e hostes espirituais, cada um com sua incumbência. É isso que observamos em Efésios 6.11,12: Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo; porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.

Assim como os príncipes, primeiros-ministros e presidentes de nações, os principados exercem autoridade sobre outros grupos de demônios que, por sua vez, comandam outros hierarquicamente inferiores.

As potestades representam outro nível na hierarquia, inferior ao dos principados, mas também muito poderoso, que comanda milhares de demônios.

Os príncipes das trevas são os demônios que comandam outros que agem em áreas específicas.

Enquanto os principados e potestades trabalham exclusivamente no mundo espiritual, para que o homem não veja a glória de Deus, não reconheça Jesus, os príncipes das trevas atuam diretamente contra o Reino de Deus e a Igreja.

As hostes espirituais da maldade são formadas por tropas, exércitos de demônios, que estão prontos para atacar a qualquer hora e em qualquer lugar onde a batalha for mais renhida. Essas entidades malignas são enviadas a todo instante contra pessoas, grupos ou nações. Exercem autoridade também sobre os homens perdidos e sobre aqueles que rejeitam Jesus.

O reino das trevas é tão organizado que não há divisão. Os demônios trabalham unidos. O próprio Jesus reconheceu isso em Mateus 12.25,26. Satanás é o príncipe deste século, e o mundo jaz no maligno.

Sabemos que somos de Deus e que todo o mundo está no maligno(1 João 5.19). O diabo tem muitos planos, mas o principal é matar o homem. O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir (João 10.10a).

O inimigo é tão terrível que pode transformar um simples fato em um caos na vida de qualquer pessoa. Contudo, não é onipotente. Mesmo não sendo todo-poderoso, ele tem alguns poderes. Quando caiu pela sua rebeldia, Lúcifer perdeu sua glória, mas não todo o seu poder.

Então, fique atento e permaneça firme em Cristo, orando, lendo a Sua Palavra e sendo fiel à Sua vontade.

Autor: Pr. Silas Malafaia

Por Litrazini

Graça e Paz


VEJA OS PROPÓSITOS DE DEUS EM TUDO


 

Manifesto - Olhe para frente, pois o fim vem!



 Palavra Que Transforma
Manifesto - Olhe para frente, pois o fim vem!  |  Pastor Sérgio Fernandes

Malaquias 4:1 - ¶ Porque eis que aquele dia vem ardendo como fornalha; todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade, serão como a palha; e o dia que está para vir os abrasará, diz o SENHOR dos Exércitos, de sorte que lhes não deixará nem raiz nem ramo.

O primeiro tema do profeta no capítulo final do livro diz respeito a vinda repentina do Senhor. "Está chegando o dia" (Ml 4.1) transmite um sentido de eminência. Não sabemos quando será o Dia do Senhor, mas sabemos as consequências que esse dia trará: "os soberbos e os que cometem impiedade serão como palha; e o dia que está por vir os abrasará, de sorte que lhes não deixará nem raiz e nem ramo.

Deus está trabalhando na história humana minuciosamente, para o grande dia em que o mal será extirpado do universo. O julgamento divino virá, mas o Senhor poupará os seus fiéis da Sua ira (1 Ts 1.10). Aqueles que, embora estejam no meio do povo de Deus, ainda tem vivido suas vidas sem respeito pela santidade divina e sem um desejo sincero de glorificar a Deus precisam estar atentos, para que esse dia não os surpreenda como um ladrão na noite.

-----------------------------------------------

ASSISTA AS PREGAÇÕES DA SÉRIE "MANIFESTO"

http://bit.ly/1Ipla16




Instrumento de Duas Pernas



"E não realizou muitos milagres ali, por causa da incredulidade deles." (Mateus 13:58)

A fé pode fazer toda a diferença entre algo acontecer ou não. A Bíblia nos diz que Jesus não realizou nenhum milagre em sua cidade natal por causa da incredulidade das pessoas (Mateus 13:57-58). Deus é soberano. Ele pode fazer o que quiser, sempre que quiser, com quem quiser. Ele não precisa da nossa opinião. Ele não precisa de nós para votarmos nele. Ele simplesmente faz o que bem entender.

No entanto, o soberano Deus que adoramos e seguimos, para realizar os Seus propósitos e levar a Sua Palavra, escolheu um instrumento humano de suas pernas. Se eu fosse Deus, não teria feito essa escolha. Teria feito as coisas sozinho. Por que mexer com a humanidade? Só trazemos confusão e problemas. Mas, apesar disso, Deus nos escolheu para realizar a Sua obra.

Quando Deus abriu o Mar Vermelho, Ele não precisava de Moisés segurando a sua vara. Deus estava fazendo o trabalho, mas Ele ordenou a Moisés que estendesse a sua vara sobre o mar e as águas se abriram. Deus não precisava de Elias para orar por fogo do céu. Deus não precisava que Noé construísse uma arca. Ele poderia ter criado seu próprio navio para os animais, Noé e sua família. Mas Deus operou por meio daqueles instrumentos humanos para cumprir os Seus propósitos.

É interessante notar que Jesus não curou a todos, mas curou os que o buscaram, como o cego que ouviu dizer que Jesus estava a caminho. Ele gritou: "Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim!" (Lucas 18:38). Alguém lhe disse para ficar quieto, mas ele gritou ainda mais. Então Jesus ouviu o seu grito, parou e o homem foi curado.

Deus responde à fé. A incredulidade impede a obra de Deus, mas a fé a liberta.

A SALVAÇÃO


 



Ezequiel 18:28

"Pois o que reconsidera e se converte de todas transgressões que cometeu, certamente vivera, não morrerá".

Ezequiel foi um profeta que viveu no período do cativeiro babilônico, ele fala, a responsabilidade pessoal de cada um para alcançar perdão de pecado e salvação.

A palavra do profeta foi bem clara, ela fala para o homem que tenha pecado, que tenha estado distante do Senhor, sempre houve um juízo de morte sobre o homem, aquele que pecasse profanado nome do Senhor morreria.

Mas se o homem se converter, reconhecer que necessita de uma vida melhor, de uma transformação, converter do seu mau caminho, certamente vivera. Há uma nova chance, uma nova oportunidade, uma certeza de vida eterna, sabendo que o seu tempo não será contado para a morte, mas sim, para vida eterna.

Quando o homem se arrepende, ele alcança misericórdia.

Wallace Oliveira Cruz

 

quinta-feira, 30 de julho de 2015

TUDO VAI DAR CERTO



CONFIA NO SENHOR E VOCÊ ESTARÁ SEGURO!

Isaías 46:9-10: " Lembrem-se do que aconteceu no passado e reconheçam que só eu sou Deus, que não há nenhum outro como eu. Desde o princípio anunciei as coisas do futuro; há muito tempo, eu disse o que ia acontecer. Afirmei que o meu plano seria cumprido, que eu faria tudo o que havia resolvido fazer."  

Esse é um dos textos mais abençoados da Bíblia e uma das mais ricas profecias. Sabe o motivo? Por que nesse texto o profeta Isaías subiu além da linha do tempo: ele entrou na prospecção da eternidade.

Toda vez que você entra no mundo espiritual, toda vez que você entra no louvor, na adoração e sente que invadiu a eternidade, você sente que está se movendo em um nível acima. Sabe o que aconteceu? Você subiu além da linha do tempo! E neste momento em que você está sob esta unção, não existe passado, não existe presente e não existe futuro. Somente o "agora". E você se move no mundo Espiritual.

Você concorda que nós vivemos extremamente dentro do "hoje"? E viver dentro do "hoje" nos aprisiona. Quem vive o hoje se preocupa com o futuro! Diz sempre: Será que vai dar certo? Será que eu vou conseguir? Eu não tenho certeza! Meu Deus me ajuda!

Já o profeta inspirado por Deus, o Senhor, começa dizendo assim: "Lembrem-se do que aconteceu no passado e reconheçam que só eu sou Deus, que não há nenhum outro como eu.".

Você concorda que a Bíblia raramente nos manda olhar pra traz? Aliás, o maior esforço do Senhor é dizer para esquecermos nosso passado e os pecados cometidos. Por quê? Porque o passado nos traz marcas, marcas trazem memórias, memórias congelam as dores que continuarão latentes. O texto diz: "Lembrem-se do que aconteceu no passado e reconheçam que só eu sou Deus"

Você deve vasculhar o seu passado, não para acusar alguém, mas para lembrar-se de quantas vezes Deus veio a intervir em sua vida!

E Deus diz assim: "Eu anuncio o fim desde o início, volta ao seu passado para lembrar que eu sou Deus na sua vida!" Sabe qual a maior necessidade do ser humano? Conhecer o final, porque no meio do processo é que estão os medos, as inseguranças, as incertezas. E o medo que trava suas ideias.

Eu, o profeta do Senhor digo a você que vai dar certo! Vai dar tudo muito certo. Sempre.

Confia no Senhor e você estará seguro!

Robson Rodovalho

Por Litrazini

Graça e Paz

DEPOIS DA VAZANTE VEM A ENCHENTE


 

O Coração Penitente de Davi



O Coração Penitente de Davi
Texto: Salmos 51:1-19
Assunto: Arrependimento
Título: O coração Penitente de Davi
Proposição: O coração penitente de Davi era um coração que 1) Reconheceu seu pecado, 2) Pediu perdão, e 3) Ajustou sua atitude.
Objetivo: Compreender o coração penitente para que possamos saber como se arrepender de nossos pecados também.

Introdução:
1. Leia: Salmo 51:1-19
2. Sobre o Texto:
a. O fundo deste salmo é o pecado de Davi com Bate-Seba.
b. Nós conhecemos a história.
1) Davi cometeu adultério com Bate-Seba.
2) Ela ficou grávida.
3) Davi não poderia seduzir Urias para dormir com ela, então ele mandou matar Urias em batalha.
4) Vários meses depois, o profeta Natã foi a Davi com a história da ovelha roubada.
5) Ele disse: "Tu és o homem"
c. Esse salmo foi escrito depois que Davi percebeu a gravidade do seu pecado.
d. É o reflexo do genuíno arrependimento do coração de Davi.
e. Ele nos ensina lições valiosas sobre o arrependimento também.
O coração de Davi era um coração que ...

I. Reconheceu Seu Pecado (Salmos 51:1-6)

1. Davi começa com um reconhecimento e o pedido de misericórdia e perdão (versos 1-2).
a. O nosso perdão depende da misericórdia e da bondade de Deus.
b. Salmo 103:10-11 diz: "Pois quanto o céu está elevado acima da terra, assim é grande a sua benignidade para com os que o temem. Quanto o oriente está longe do ocidente, tanto tem ele afastado de nós as nossas transgressões"
c. Lembro-me da história de Jesus do publicano que batia no peito e dizia: "Deus, sê propício a mim, pecador!" (Lucas 18:13).
d. A misericórdia e o amor de Deus sempre irão preceder o perdão dos nossos pecados.
e. Vamos humildemente reconhecer esse fato!
2. Davi então se move para o reconhecimento de seu pecado (versos 3-5).
a. Ele reconhece isso com seu intelecto (versículo 3).
1) Ele diz: "Eu conheço as minhas transgressões"
2) Para ser perdoado do pecado, é preciso primeiro saber que pecamos.
3) João não nos deixa nenhuma dúvida. 1 João 1:8, 10.
b. Ele reconhece isso com seu espírito (versículo 4).
1) Ele diz a Deus: "Contra ti, contra ti somente, pequei ..."
2) Quando pecamos, é nossa relação espiritual com Deus que é ferida.
3) Isaías 59:1-2 "Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para que não possa ouvir; mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados esconderam o seu rosto de vós, de modo que não vos ouça"
c. Ele reconhece isso com sua emoção (versículo 5).
1) O pecado também afeta nossas emoções.
2) Nós sentimos culpa, arrependimento, remorso, dor, tristeza, raiva e outras emoções.
3) Davi expressou o quanto ele sentia essas emoções com hipérbole.
4) Pecado é pecado porque dói; dói em Deus; dói nos outros; dói em nós mesmos.
3. Davi, em seguida, reconhece brevemente o remédio para o pecado (versículo 6).
a. Deus quer a verdade e a sabedoria em nossos corações.
b. Por quê? Porque conhecer e compreender a verdade vai nos impedir de pecar.
c. Salmo 119:11 "Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti"
d. Jesus respondeu a Satanás três vezes: "Está escrito"

II. Pediu Perdão (Salmo 51:7-13)

1. Davi pede para ser lavado (versículo 7).
a. De acordo com a Lei Mosaica o hissopo era usado com sangue no Dia da Expiação.
b. As lavagens cerimoniais também eram necessárias para o ritual de purificação nos termos da lei.
c. Davi chama metaforicamente essas coisas em sua oração como um símbolo do perdão.
d. Hoje, o sangue de Cristo expia por nós através da lavagem do batismo (Mateus 26:28 e Atos 2:38).
2. Davi pede para ouvir júbilo e alegria (versículo 8).
a. A alegria é a resposta adequada de saber que Deus perdoou.
b. O nobre etíope jubiloso seguia o seu caminho (Atos 8:39).
3. Davi pede a Deus para apagar o seu pecado e não olhar para eles (versículo 9).
a. Davi quer que Deus desvie de lembrar de seus pecados.
b. Isto implica que Deus se lembra de nosso pecado.
c. A menos que nós nos arrependamos disso, ele permanecerá escrito.
d. O arrependimento e a confissão resultarão na remoção dos nossos pecados.
4. Davi pede um coração limpo (versículo 10).
a. Ele quer um coração que não esteja sobrecarregado pela culpa do pecado.
b. Ele quer um coração que será contado como justo diante de Deus.
5. Davi pede a presença contínua de Deus (versículo 11).
a. Uma consequência do pecado é a separação entre o pecador e Deus.
b. Miqueias 3:4 "Então clamarão ao Senhor; ele, porém, não lhes responderá, antes esconderá deles a sua face naquele tempo, conforme eles fizeram mal nas suas obras"
6. Davi pede a salvação de seu pecado (versículo 12).
a. É a partir do qual nós precisamos ser salvos. Isaías 59:2.
b. 1 Timóteo 1:15 "Fiel é a palavra e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores; dos quais eu sou o principal"
7. Davi compromete-se a converter os pecadores (versículo 13).
a. A penitência de Davi não é apenas de palavra.
b. Atos 26:20 "antes anunciei primeiramente aos que estão em Damasco, e depois em Jerusalém, e por toda a terra da Judéia e também aos gentios, que se arrependessem e se convertessem a Deus, praticando obras dignas de arrependimento"

III. Ajustou sua Atitude (Salmo 51:14-19)

1. Sua promessa para louvar (versos 14-15).
a. Condicionada à sua libertação.
1) A pena para o adultério de Davi era a morte.
2) Mas o Senhor não exigiu a vida de Davi (2 Samuel 12:13).
b. Davi tinha razão para cantar e louvar.
1) Assim como todos nós.
2) Hebreus 13:15 "Por ele, pois vamos oferecer o sacrifício de louvor a Deus continuamente, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome."
2. Sua promessa de oferecer verdadeiros sacrifícios (versículo 16-17).
a. Sacrifícios físicos não eram o que Deus realmente desejava.
1) Oséias 6:6 "Pois misericórdia quero, e não sacrifícios; e o conhecimento de Deus, mais do que os holocaustos"
2) Hebreus 10:4 "Porque é impossível que o sangue de touros e bodes tire pecados"
b. Deus deseja o sacrifício de um espírito quebrado e um coração contrito.
1)Isaías 57:15 "Porque assim diz o Alto e o Excelso, que habita na eternidade e cujo nome é santo: Num alto e santo lugar habito, e também com o contrito e humilde de espírito, para vivificar o espírito dos humildes, e para vivificar o coração dos contritos".
2) Miquéias 6:8 "Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o Senhor requer de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benevolência, e andes humildemente com o teu Deus?"
3. Davi intercede pela nação (versículo 18).
a. O pecado do rei afetou a nação.
1) Deus disse a Davi que a nação seria dividida por causa do seu pecado. 2 Samuel 12: 11-12 "Assim diz o Senhor: Eis que suscitarei da tua própria casa o mal sobre ti, e tomarei tuas mulheres perante os teus olhos, e as darei a teu próximo, o qual se deitará com tuas mulheres à luz deste sol. Pois tu o fizeste em oculto; mas eu farei este negócio perante todo o Israel e à luz do sol"
2) O pecado de Davi levou ao conflito armado com seu filho, Absalão.
b. Os nossos pecados não são sem consequências.
4. Davi confessa o lugar adequado dos sacrifícios (versículo 19).
a. É depois que o coração foi endireitado.
b. João 4:24

Conclusão:
1. O coração de Davi era um coração que ...
a. Reconheceu seu pecado.
b. Pediu perdão.
c. Ajustou sua atitude.
2. Convite

Pr. Aldenir Araújo

Manifesto - Um convite a olhar para frente!




Pastor Sérgio Fernandes
 Palavra Que Transforma
Manifesto - Um convite a olhar para frente!  |  Pastor Sérgio Fernandes

Malaquias 4:1 - ¶ Porque eis que aquele dia vem ardendo como fornalha; todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade, serão como a palha; e o dia que está para vir os abrasará, diz o SENHOR dos Exércitos, de sorte que lhes não deixará nem raiz nem ramo.

O último capítulo de Malaquias possui apenas seis versículos. Uma conclusão bastante curta, tendo em vista a urgência da mensagem que Ele transmitiu. Enquanto meditava nesses versos, notei que eles funcionavam tanto no contexto quanto isoladamente. Cada um deles carrega consigo a realidade do futuro triunfo do bem contra o mal, da luz contra as trevas, do Reino de Deus contra os sistema que rege esse mundo. A conclusão da mensagem de Malaquias convida o povo de Deus a não atentar para as circunstâncias presentes, mas a confiar nas promessas futuras.

Deus nos convida constantemente a olharmos para frente. Um motorista desatento pode colidir se mantiver seus olhos na paisagem local, do mesmo modo, um cristão pode fracassar na caminhada se prestar muito atenção no entorno e se descuidar de conduzir sua fé para a glória de Deus. O Senhor tem nos chamado para fixarmos os olhos em Cristo Jesus, autor e consumador da nossa fé, e nas promessas eternas que Ele nos fez. Para onde você tem olhado?

-----------------------------------------------

ASSISTA AS PREGAÇÕES DA SÉRIE "MANIFESTO"

http://bit.ly/1Ipla16




Construindo a Fé



"Pois pela graça que me foi dada digo a todos vocês: ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter; mas, pelo contrário, tenha um conceito equilibrado, de acordo com a medida da fé que Deus lhe concedeu." (Romanos 12:3)

Muitas pessoas gostam de falar sobre sua fé. Gostam de cantar sobre ela. Inclusive costumam analisar a palavra "fé". Porém nunca usam sua fé realmente.

A fé é alinhar a nossa vontade àquilo que leva ao entendimento. Fé sempre implica na ideia de ação e movimento. Fé é algo vivo e que não se cansa. Não é algo inoperante. A fé se move, age e faz. Ela não fica parada. Ela avança.

A fé se desenvolve quando ouvimos, estudamos e imergimos na Palavra de Deus. Romanos 10:17 nos diz: "Consequentemente, a fé vem por ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo". Foi isso que Jesus disse em Mateus 11:15: "Aquele que tem ouvidos, ouça!". É como chamar a atenção, para que de fato ouçamos.

Se ouvirmos a Palavra de Deus, nossa fé irá crescer. E quando ouvimos a Palavra de Deus, ela coloca tudo no seu devido lugar, porque à luz das Escrituras vemos quem Deus de fato é. Consequentemente, também vemos os desafios da vida da maneira que são. Vemos tudo da forma que devemos ver. O apóstolo Paulo escreveu: "Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça" (2 Timóteo 3:16).

A fé também é desenvolvida pelo uso. Alguns de nós a tratam como algo frágil, mas ela não é. Ela é forte, é resiliente. A fé se torna mais forte à medida que a usamos. Ela é como um músculo que se desenvolve conforme é exigido e exercitado, tornando-se cada vez mais forte.

MÍDIAS SOCIAIS NA IGREJA






Imagem: Reprodução da Internet


Há oitos anos estou trabalhando profissionalmente com Comunicação Digital e Mídias Sociais. Acessei a Internet pela primeira vez na vida em 1996. Naquela época não tinha ideia do impacto que ela teria na minha vida pessoal e profissional. Acredito que poucos de nós tínhamos ideia.

Desde minha conversão em 2003, utilizo a Internet como fonte de pesquisa e estudos para ampliar meus conhecimentos sobre Deus. Lembro de chegar no trabalho diariamente e ir em busca de um devocional no site do Lagoinha.com - site da Igreja Batista da Lagoinha, em BH, da qual sou membro. A estrutura dos sites eram muito diferentes dos que temos nos dias de hoje. Naquela época, poucas igrejas estavam na WEB. Algumas tinham apenas (e ainda tem) uma página mais institucional com uma breve apresentação sobre a igreja, localização, e ainda, dias e horários dos cultos. Nada contra as igrejas que mantém uma página assim. Mas, acredito que podemos fazer mais e melhor.

Os anos foram passando e o fato de estudar Jornalismo e me aprofundar no uso profissional da Comunicação Digital e Mídias Sociais me despertou para algo: o que a Igreja tem feito com todas estas possibilidades digitais em nossa geração? Refletindo sobre a história de Jesus pude observar que em diversos momentos ele usou das ferramentas que dispunha para alcançar as pessoas e levar a mensagem do Reino de Deus. Seja andando sobre as águas, a pé ou de jumento, ele foi e cumpriu a missão dele. Mas, e nós? Temos utilizado todos os recursos que dispomos nos dias de hoje para falar do Reino?

Sempre estive bastante envolvida em questões ministeriais, vi e participei de diversos projetos evangelísticos, impactos, vigílias, entre outras atividades. Mas, minha primeira experiência de levar a mensagem do Reino de Deus por meio da Internet, foi em 2008, quando com autorização da liderança criei o Blog da Mocidade Lagoinha. Comecei a fotografar os cultos e eventos dos jovens e anotar as palavras ministradas. Ali, fazia breves resumos para possibilitar àqueles que gostariam de estar fisicamente na igreja e não podiam, seja por morar em outra cidade/estado ou porque não tiveram como ir ao culto naquele dia, e assim, dar a chance de receber "um pouquinho" do que recebíamos ali em nossa igreja local.

Isso começou a arder em meu coração de uma maneira tão grande que comecei a pesquisar cada vez mais sobre redes sociais. Comecei a estudar e implementar estratégias de Gestão de Conteúdo especificamente para o público digital. Assim, passei pela Comunicação da Lagoinha e a assessoria de imprensa (comunicação) de vários nomes como André Valadão, Diante do Trono, Nívea Soares, Mariana Valadão, Thalles, entre outros. Fui aprendendo na teoria e na prática sobre a importância do uso adequado de cada rede social.

Quando falamos de uso adequado, soa como regras de certo e errado. Mas, não é puramente isso. A questão é, será que nossas igrejas, ministérios e nós como cristãos temos utilizado cada canal digital da maneira correta? Você entende por que precisa ter um site ou blog? Sabe que é importante produzir conteúdo específico para cada rede social? Você sabia que as redes sociais possuem características bem diferentes e que o conteúdo errado no lugar errado não terá resultado? Sabia que o número de seguidores e likes não são sinônimo de "sucesso" na Internet?

É exatamente por isso que tenho levado há cinco anos, por onde tenho ido, este papo sobre "Mídias Sociais na Igreja". Desde então dou aulas sobre isso em três instituições diferentes e encontrado pessoas que entenderam a importância de utilizarmos as ferramentas certas e da maneira correta. Falo da importância de encontrarmos o ponto de equilíbrio na vida ON e OFFline. Refletirmos sobre a segurança pessoal e o excesso de exposição na Internet, bem como, de estratégias de Comunicação para falarmos com eficiência com o público, seja nas Igrejas, seja na WEB.

Quando falo de Mídias Sociais na Igreja, não estou apenas incentivando que as igrejas e ministérios estejam na Internet. Nem mesmo saiam criando perfis em todas as redes sociais. Mas sim, refletir sobre o alcance destas ferramentas, da eficiência e de como podemos alcançar ainda mais pessoas, além daquelas que temos alcançado em nossas igrejas locais e vizinhanças. Muitas vezes pela Internet, sua mensagem irá alcançar alguém que nunca pisaria em uma igreja. Já parou para pensar nisso? Eu penso todos os dias. E em nossa responsabilidade de ter algo tão extraordinário nas mãos e que usamos com tão pouco zelo. Espero um dia poder falar com você, nobre leitor que leu o texto até aqui, pessoalmente sobre isso. "Ide, por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura" (Marcos 16.15).

Fonte: http://www.elisamancio.com.br/2015/03/artigo-midias-sociais-na-igreja.html

Elis Amâncio
Posted: 29 Jul 2015 09:46 AM PDT

Excluindo "amigos" do Facebook

Lembro quando recebi convite para o Orkut ainda no início de 2004, um famoso site de relacionamento - como dizia a imprensa quando se referia à ele. A dinâmica girava em torno de ter muitos amigos e conhecer gente do mundo todo. Quanto mais o tempo passava, mais as pessoas pensavam - inclusive eu - que era importante ter muitos amigos. 

"Eu quero ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar", já dizia 
Roberto Carlos

Mas a verdade é que o Orkut só te permitia ter no máximo mil amigos... E quantas pessoas criavam perfis 1, 2 e 3 por terem mais do que mil amigos em cada perfil?!? (What?)O tempo passou e tantas outras redes sociais surgiram (no contexto de Brasil). Lembro que o Orkut ainda estava no auge quando no início de 2009 criei meu perfil no 
Facebook e Twitter.

Ao chegar no Facebook encontrei apenas quatro amigos do Orkut que já estavam ali. As pessoas no Brasil odiavam o Facebook. As 
comunidades virtuais continuavam em alta no Orkut e acredito que as atualizações do Face (dá licença, sou íntima da rede) trouxeram essa nova audiência aos poucos, principalmente do segundo semestre de 2011 para cá.

Uau, quanta volta para falar sobre "excluir amigos". A verdade é que ao chegar no Facebook convidei todos os meus quase mil amigos do Orkut para a "novidade". Aos poucos eles foram migrando, trazendo outros amigos e indicações. Confesso que ainda pensava como no Orkut: "quanto mais amigo melhor".

Até que um dia... em meados de 2010 essa infinidade de amigos (pois o Face possibilita até 5mil) começou a me trazer alguns constrangimentos. Enquanto o Facebook criava as fanpages, chamadas no Brasil de Páginas, comecei a entender a dinâmica de uma maneira bem diferente. "
Eureka! Quanto mais amigos selecionados melhor!!!"

Ali nasceu um novo processo de terapia para o meu dia a dia. A cada vez que me deparo com um engraçadinho que posta uma foto obscena, uma piada de mau gosto ou mensagem preconceituosa, tenho o imenso PRAZER de ir ao perfil do "dito cujo" e "desfazer a amizade". 

Deixando de seguir "amigos" no Twitter, o famoso "unfollow" - o meu Twitter está em Espanhol (risos)

Deixando de seguir "amigos" no Twitter, o famoso "unfollow" - o meu Twitter está em Espanhol (risos)
Pode soar cruel, mórbido ou humor negro. Podem chamar do que for, mas o meu maior prazer hoje no Facebook (e outras redes sociais: Twitter, Instagram, Linkedin, Pinterest, e afins.) é excluir amigos, os maus amigos, aqueles que não oferecem conteúdo do meu interesse. Acredito que uma das grandes conquistas da Internet é poder escolher quem você quer seguir, seja pela relevância do conteúdo, amizade ou admiração.

Amizades precisam ser sadias, inclusive nas redes sociais. De que adianta ter um milhão de amigos, mas sequer nunca ter trocado uma mensagem com ele? Cada vez mais tenho feito este filtro. E que me perdoem os carentes que não gostam de serem "excluídos" ou levarem "unfollow", mas a realidade é que precisamos ser cada vez mais nós mesmos do que criar avatares e estereótipos virtuais.

Vejo muita gente que conheço nas redes sociais que são tão perfeitos, inteligentes, engajados e concentrados em seus perfis, mas que pessoalmente, não conseguem falar um frase coerente. Temos vivido a era da inteligência digital, do compartilhamento, mas também a era da imbecilidade. Ouvi diversas vezes a frase que "menos é mais". E sinceramente? É mesmo.

Sair emitindo a opinião de tudo quanto é assunto, compartilhando tudo quanto é foto e curtindo qualquer bobagem postada te faz um consumidor e disseminador de conteúdo duvidável, no mínimo. Se você leu esta crônica até aqui, posso falar abertamente... Claro, amo Internet, tecnologia e redes sociais - quem convive comigo sabe disso muito bem - mas estou cada vez mais seletiva com as pessoas que fazem parte das minhas redes.

Todos reclamam da falta de tempo e da correria... mas já parou para pensar em quantas horas por mês você perde lendo informação, vendo vídeos ou fotos totalmente SEM IMPORTÂNCIA? Precisamos ser mais seletivos sim. Time is money? Não apenas isso, mas tempo é conhecimento. Não troque sua vida real pela virtual simplesmente.

Conheço muita gente, não tenho um milhão de amigos =) mas já fiz amigos pela Internet que conheci pessoalmente depois, já reencontrei amigos que conheci há muitos anos pessoalmente e que agora estão na Internet, já aprendi (e aprendo) muito com palestras, cursos e mensagens em vídeo que estão no YouTube, já me diverti vendo vídeos engraçados (amo o canal Improvável, ótimo para aliviar o stress #ficadica) e tenho amigos virtuais que talvez nunca encontre pessoalmente, mas tenho um carinho muito especial. Mas a questão é... até que ponto você deve consumir todo esse conteúdo, seguir e ser seguido por toda essa gente e também dar intimidade para as pessoas?

Quantas vezes sinto que minha privacidade foi invadida? Por outro lado, até que ponto exponho minha vida? Vivi diversas situações com pessoas que pegam meu telefone, MSN (graças à Deus que ele tem os dias contados) ou meu email e se acham íntimos, no direito de até me questionar sobre meus trabalhos e meus clientes?

E se de repente, já te exclui da minha "rede", entenda, a Internet te dá liberdade para seguir quem você quiser, mas isso não obriga o "outro" a te seguir. Direito de ir e vir? Sim, também nas ondas digitais. Faz parte da vida lidar com perdas, inclusive, as virtuais. Não #morra porque alguém te excluiu ou deu unfollow, mas entenda que é direito da outra pessoa escolher. 

Por isso, caros amigos, me perdoem a confissão, mas realmente AMO excluir amigos no Facebook. É como tirar tudo que está dentro do armário para fora e ir guardando somente o necessário, organizado, tudo limpo e claro. Tenha o cuidado de manter por perto pessoas coerentes, sinceras e que curtem você. Corra de pessoas mal humoradas, invejosas, pessimistas e mentirosas. Já percebeu como é deprimente seguir determinadas pessoas que "tudo" para elas está ruim? #PenseNisso

Pratique o desapego! Pratique excluir amigos no Facebook! É uma terapia e tanto, precisam tentar!

"A ninguém te mostres muito íntimo, pois familiaridade excessiva gera desprezo", by Tomás de Aquino, via Danilo Fernandes no Twitter.

#FicaDica =) http://www.elisamancio.com.br/2012/11/cronica-terapia-virtual-excluindo.html

Opa, quer me acompanhar nas redes sociais, sem essa do "me segue que te sigo de volta"? Então tá:
Twitter: @
elis_amancio
Facebook: 
facebook.com/elisamancio


Opa, quer me acompanhar nas redes sociais, sem essa do "me segue que te sigo de volta"? Então tá:
Twitter: @@FaleComWallace
Facebook: 
facebook.com/FaleComWallace