BENVINDO

Minha foto

 Sou servo do Senhor desde 2001,sirvo a Deus na Igreja do Evangelho Quadrangular,  obreiro formado no Instituto Teológico Quadrangular, professor da Escola Bíblica,  casado com Elisângela a 25 anos , pai de 2 filhos maravilhosos,  buscando cada dia conhecer mais ao Senhor. Meu maior desejo é ser " uma bênção" e abençoar àqueles que estão perto e através da web os que estão longe.  Que as bênçãos do Senhor seja transbordante sobre a sua vida, sobre sua casa , sobre sua família, sobre o seu ministério, querido(a) e amado(a) irmão(ã) em Cristo Jesus. 

domingo, 31 de outubro de 2010

Como Um Submarino



Como Um Submarino
"Não são do mundo, como eu do mundo não sou" (João 17:16).


"Nós estamos no mundo mas não somos do mundo. Podemos
ilustrar essa verdade olhando para um submarino. Está na
água mas não é da água. Se ele estiver no chão, fora da
água, não serve para nenhum propósito... pois, não está
realizando sua missão. Quando ele está na água, deve estar
separado (não isolado) da água. Quando a água entra no
submarino, é motivo de alarme e emergência. Nós, da mesma
forma, devemos ser separados do mundo mas, não isolados do
mundo." (Wayne Sams)


Grande é o propósito do Senhor na vida daqueles que estão no
mundo e, ao mesmo tempo, separados dele. O Senhor Jesus
entrou em nossos corações para que fôssemos a Sua igreja
reluzente, vivendo no mundo sem luz, iluminando-o, sem que a
nossa luz seja ofuscada por sua escuridão. Esta é a nossa
missão e nenhum propósito haveria em nos afastar do mundo.


Se as trevas nos rodeiam, vamos semear a luz do Senhor. Se
as mentiras se aproximam de todos os lados, vamos rebatê-las
com a Verdade que liberta. Se nossos amigos continuam
andando sem rumo, vamos mostrar-lhes o verdadeiro Caminho.
Para isso fomos salvos, para isso fomos libertos, para isso
fomos chamados -- para sermos bênção e para abençoarmos a
todos aqueles para os quais fomos enviados.


E como garantia que a nossa missão será cumprida
perfeitamente, não podemos permitir que o pecado nos atinja.
Assim como o submarino aciona o alarme de emergência quando
a água penetra em seu interior, deixemos o alarme de Deus
ligado para impedir que o mundo penetre em nossas vidas.


Quando as nossas atitudes são revestidas de oração e
submissão à vontade do Senhor, as portas de nossos corações
estarão lacradas contra os enganos e armadilhas do maligno.
Estaremos no mundo, seremos sal para dar sabor e luz para
clarear os ambientes, e a missão que o Senhor nos confiou
será realizada plenamente, engrandecendo e glorificando o
Seu nome.


Sua vida espiritual tem cumprido os propósitos de Deus?




Paulo Roberto Barbosa

Minha Vida tem alguma importância para Deus?

 

Minha Vida tem alguma importância para Deus?
Deus se preocupa comigo? Deus esqueceu o mundo? abandonou seu povo, seus filhos ?


Em algumas manhãs, o mundo parece um paraíso. Você acorda, abre a janela, inspira profundamente o ar puro e observa os raios dourados de sol refletindo sobre as árvores. Alguns momentos fazem a vida parecer muito preciosa: o rosto de um amigo querido quando se despede de você, uma peça musical bem executada e que combina com seu estado de espírito, um carinho inesperado de uma criança pequena.
Mas noutras manhãs, o mundo parece ser um lugar de horror. Você acorda com as manchetes do jornal anunciando sobre outro atentado à bomba terrorista que aleijou ou cegou uma criança, outro matador em série que acabou de exterminar sua décima vítima, ou quem sabe fome, enchentes, guerras, terremotos. Esses são momentos nos quais nada faz sentido, nada parece justo.
Qual o significado de tudo isso? Será que temos como descobrir algum sentido no nosso maravilhoso e terrível mundo? Por que estamos aqui? Será que minha vida realmente importa para Deus, ou será que sou apenas uma peça secundária em alguma imensa engrenagem cósmica?
1. DEUS CRIOU UM MUNDO PERFEITO
Deus é o Criador, o arquiteto e o projetista de tudo, desde as estrelas até as asas da borboleta.
"Mediante a palavra do Senhor foram feitos os céus, e os corpos celestes, pelo sopro de Sua boca... Pois Ele falou, e tudo se fez; Ele ordenou, e tudo surgiu". Salmos 33:6, 9 (A não ser quando indicado, todos os textos bíblicos da série DESCOBERTAS BÍBLICAS são da Nova Versão Internacional da Bíblia [NVI].).
Deus tem apenas que falar e os elementos obedecem a Sua vontade.
2. SEIS DIAS PARA FAZER O MUNDO
"Pois em seis dias o Senhor fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles existe, mas no sétimo dia descansou. Portanto, o Senhor abençoou o sétimo dia e o santificou". Êxodo 20:11
O Criador eterno e todo poderoso poderia ter formado o mundo num momento "pelo sopro de Sua boca". Mas Deus escolheu usar seis dias para fazer - seis minutos, ou até seis segundos, teriam sido suficientes. O primeiro capítulo da Bíblia, Gênesis 1, descreve o que Deus criou em cada dia da semana da criação. Que obra prima para coroar a criação Deus criou no sexto dia?
"CRIOU DEUS O HOMEM À SUA IMAGEM, à imagem de Deus o criou; HOMEM E MULHER OS CRIOU". Gênesis 1:27
Deus decidiu criar indivíduos semelhantes a Si, que poderiam conversar, sentir e amar. Cada pessoa é feita à "imagem" de Deus.
Por volta do sexto dia, o mundo estava cheio de plantas e animais, e então Deus introduziu Sua obra prima da criação. De acordo com Gênesis 2:7, o Todo Poderoso formou o corpo de Adão a partir do pó da terra. Então, quando Deus soprou em suas narinas o "fôlego de vida", o homem se tornou "alma vivente", isso é, ele viveu. Deus chamou o primeiro homem criado à Sua imagem, Adão, uma palavra que simplesmente significa "homem". A primeira mulher chamou Eva, que significa "viva" (2:20; 3:20). Um amorável Criador viu a necessidade do ser humano de ter companhia.
Recém saído das mãos de Deus, tanto Adão quanto Eva refletiam Sua imagem. Deus poderia ter programado os seres humanos como se fossem robôs para que admirassem constantemente o Jardim do Éden e sempre erguessem a voz em adoração a Ele. Mas Deus queria mais: um relacionamento verdadeiro. Robôs podem sorrir, falar, e até mesmo fazer as tarefas domésticas, mas eles não podem amar.
Deus nos criou à Sua imagem, com a capacidade de pensar e escolher, de lembrar, entender e amar. Adão e Eva eram filhos de Deus, e inexplicavelmente amados por Ele.
SEMANA DA CRIAÇÃO:
Primeiro Dia: luz; ciclo dia e noite
Segundo Dia: atmosfera da terra
Terceiro Dia: terra seca e vegetação
Quarto Dia: aparecem o sol e a lua
Quinto Dia: pássaros e peixes
Sexto Dia: animais terrestres e homem
Sétimo Dia: o Sábado
3. O MAL CHEGA A UM MUNDO PERFEITO
Adão e Eva tinham tudo para que fossem felizes. Eles usufruíam perfeita saúde física e mental, viviam num jardim maravilhoso num mundo sem defeito. (Gênesis 2:8; 1:28-31). Deus lhes prometeu filhos e a capacidade de pensar criativamente, e de encontrar satisfação no trabalho de suas mãos (Gênesis 1:28; 2:15). Eles experimentavam um relacionamento face a face com Seu Criador. Nenhum traço de preocupação, medo ou doença manchavam seus dias felizes.
Como o mundo se transformou tão drasticamente para um lugar de sofrimento e tragédia? O segundo e terceiro capítulos de Gênesis contam toda a história sobre como o pecado entrou em nosso mundo. Leia-os quando tiver algum tempo livre. Aqui está um breve sumário do que aconteceu.
Algum tempo depois de Deus estabelecer um mundo perfeito, o Diabo veio ao Jardim do Éden para tentar Adão e Eva a desobedecerem a Deus. Deus limitou a esfera de influência do diabo a uma árvore no jardim, a "árvore do conhecimento do bem e do mal". Ele alertou ao primeiro casal humano que deveriam evitar essa árvore e nunca comer de seu fruto, caso contrário, eles morreriam.
No entanto, certo dia Eva estava vagueando por perto da árvore proibida. O Diabo rapidamente apresentou suas audaciosas tentações. Ele argumentou que Deus havia mentido para ela, e que se comesse do fruto da árvore ela não iria morrer, mas se tornaria sábia como o próprio Deus, conhecendo o bem e o mal. Tragicamente, Eva, e depois Adão, que conheciam apenas o bem, permitiram que o Diabo os convencesse, e eles provaram do fruto proibido, quebrando, como isso, sua ligação de confiança e obediência a Deus.
Deus planejou que Adão e Eva "governassem" nosso mundo como mordomos das coisas criadas de Deus (Gênesis 1:26). Mas, por terem quebrado a ligação de fé com Deus e terem escolhido o Diabo como seu novo líder, o casal perdeu sua jurisdição. Hoje, o Diabo clama o mundo como seu, e tenta ao máximo escravizar as pessoas.
Muitas vezes nos pegamos fazendo algo egoísta ou até mesmo cruel quando na verdade gostaríamos de estar agindo de maneira oposta. Por quê? Porque o inimigo invisível, o Diabo, trabalha para fazer com que as pessoas falhem moralmente.
Ao ler o capítulo 3 de Gênesis, você irá descobrir que o pecado fez com que Adão e Eva se escondessem de Deus com medo. O pecado afetou toda a criação. Os espinhos apareceram juntamente com as flores. O solo começou a sofrer com a seca, e o trabalho ficou mais pesado. A doença começou a afetar a todos, sem exceção. Ciúme, animosidade, e orgulho multiplicaram as misérias humanas. E o mais terrível de tudo, com o pecado veio a morte!
4. QUEM É ESSE DIABO QUE INFETOU NOSSO MUNDO COM O PECADO?
"Ele foi HOMICIDA DESDE O PRINCÍPIO,... não há verdade nele. Quando mente, fala sua própria língua, pois é mentiroso e PAI DA MENTIRA". João 8:44
De acordo com Jesus, o Diabo é o precursor do mal no universo, o "pai" do pecado e, por conseqüência, do assassinato e da mentira também.
Tomas Carlyle, o grande filósofo inglês, uma vez conduziu Ralf Waldo Emerson através de algumas das piores ruas de Londres. Enquanto caminhavam, observavam silenciosamente a miséria e o mal ao redor deles. Carlyle finalmente perguntou: "Você acredita no Diabo agora?".
5. FOI DEUS QUEM CRIOU O DIABO?
Não! Um Deus bondoso não criaria um diabo. Além disso, a Bíblia afirma que o Diabo, juntamente com os anjos que enganou, perderam seu lugar no céu e vieram ao nosso mundo.
"Houve então uma GUERRA NOS CÉUS. Miguel e seus anjos lutaram contra o dragão, e o DRAGÃO E SEUS ANJOS revidaram. Mas estes não foram suficientemente fortes, e assim PERDERAM O SEU LUGAR NOS CÉUS. O grande dragão foi lançado fora. Ele é a antiga serpente chamada Diabo ou Satanás, que engana o mundo todo. Ele e os seus anjos foram lançados à terra". Apocalipse 12:7-9.
Como o Diabo chegou ao céu?
"Você foi ungido como um QUERUBIM GUARDIÃO, pois para isso eu o designei. Você estava no monte santo de Deus... VOCÊ ERA INCULPÁVEL EM SEUS CAMINHOS desde o dia em que FOI CRIADO até que SE ACHOU MALDADE EM VOCÊ". Ezequiel 28:14, 15.
Deus não criou o Diabo. Ele criou Lúcifer, um anjo perfeito, um dos anjos de mais destaque no céu, que ficava ao lado do trono de Deus. Mas, quando Lúcifer pecou, "se achou maldade" nele. Expulso do céu, e se apresentando como amigo de Adão e Eva, ele se tornou o mais mortal inimigo da humanidade.
6. POR QUE LÚCIFER, ESSE ANJO PERFEITO, PECOU?
"Como VOCÊ CAIU DOS CÉUS, ó estrela da manhã, filho da alvorada! COMO FOI ATIRADO À TERRA... Você, que dizia em seu coração 'Subirei aos céus; erguerei o meu trono acima das estrelas de Deus;... SEREI COMO O ALTÍSSIMO'". Isaías 14:12-14.
O ser que se tornou o Diabo era originalmente chamado de Lúcifer, que significa "estrela da manhã" ou "estrela de luz". No se coração angélico, vaidade e ambição começaram a tomar lugar da devoção. A semente do orgulho cresceu e ele ficou obcecado a tomar o lugar de Deus.
Lúcifer deve ter tentado persistentemente persuadir os outros seres celestiais. Dá até para imaginar Satanás argumentando que Deus estava escondendo algo deles, que a lei divina era muito restritiva e que Deus era um soberano despreocupado com os outros. Ele caluniou Aquele cujo caráter define o que é o amor.

Como esse conflito no céu se resolveu?
"Seu coração tornou-se orgulhoso,... por isso eu o atirei à terra". Ezequiel 28:17
O orgulho transformou o chefe dos anjos em Diabo ou Satanás. E, a fim de preservar a paz e a harmonia do céu, ele e um terço dos anjos celestiais que se uniram a ele em rebelião tiveram que ser expulsos. (Apocalipse 12:4, 7-9)
7. QUEM É RESPONSÁVEL PELO PECADO?
Por que Deus não criou seres incapazes de pecar? Se Ele tivesse feito isso, não haveria problema de pecado em nosso mundo. Mas, Deus desejava pessoas que pudessem ter relacionamentos significativos com Ele. Por isso, "Deus criou o homem à Sua própria imagem" (Gênesis 1:27). Isso significa que somos livres e responsáveis. Podemos decidir amar a Deus ou virarmos as costas para Ele.
Deus deu aos anjos e aos seres humanos de cada geração uma natureza espiritual e uma real capacidade de fazer escolhas.
"Escolham hoje a quem irão servir". Josué 24:15
Deus desafia os seres que Ele criou à Sua imagem a escolherem fazer o que é correto, pois seu poder de raciocinar lhes diz que o "jeito de Deus é o melhor". Eles também podem evitar o que é errado, pois sua capacidade de raciocinar lhes alerta contra os resultados da desobediência e do pecado.
Apenas seres com o poder de raciocínio e escolha podem experimentar amor verdadeiro. Deus ansiava criar indivíduos que pudessem compreender e apreciar Seu caráter, respondendo livremente a Ele em amor, e ser cheios de compaixão para com os outros. Deus desejava tanto partilhar Seu amor que estava disposto a assumir um grande risco de criar anjos e pessoas com o poder de escolha. Ele sabia que era possível que qualquer dia algum desses seres criados poderiam escolher não Lhe servir. O Diabo foi o primeiro ser no universo a fazer essa terrível escolha. A tragédia do pecado começou com ele (João 8:44, I João 3:8).

8. A CRUZ POSSIBILITA A DESTRUIÇÃO DO PECADO
Por que Deus não destruiu Lúcifer antes que a doença do pecado pudesse se espalhar? Lúcifer tinha desafiado a justiça do governo de Deus. Ele havia dito mentiras sobre Deus. Se Deus tivesse destruído Lúcifer imediatamente, os anjos teriam começado a servir-Lhe por medo ao invés de por amor. Isso teria destruído o propósito inicial de Deus de criar seres com o poder de escolha.
Como alguém poderia realmente saber se a vontade de Deus é a melhor? Deus deu a Satanás uma chance de demonstrar seu sistema alternativo de governo. Foi por isso que ele teve oportunidade de tentar Adão e Eva.
Esse planeta se tornou um campo de provas onde o caráter de Satanás e a natureza de seu reino é contrastada com o caráter de Deus e a natureza de Seu reino. Que está certo? Em quem podemos finalmente confiar? Lúcifer foi tão enganoso que se tornou necessário dar tempo para que seres do universo se convencessem completamente sobre quão desastrosa realmente é a alternativa de Satanás. Com o tempo, todos reconhecerão que "o salário do pecado é a morte" e que "o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor" (Romanos 6:23).
Todo o universo enfim concordará que:
"Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus todo-poderoso. Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das nações... Todas as nações virão à tua presença e te adorarão, pois os teus atos de justiça se tornaram manifestos". Apocalipse 15:3, 4
Depois que todos compreenderem a natureza mortal do pecado e a natureza destrutiva da filosofia de Satanás, Deus poderá destruir Satanás e o pecado. Ele também destruirá aqueles que obstinadamente resistirem à Sua graça e se apegarem à alternativa de Satanás.
Deus está tão ansioso para resolver o problema do pecado e o sofrimento como nós. No entanto, Ele está esperando até que possa fazer isso de maneira definitiva, e até que possa tanto preservar nosso livre arbítrio quanto prevenir que o pecado apareça novamente.
Deus prometeu destruir o pecado para sempre quando purificar os céus e esta terra com fogo. "De acordo com Sua promessa", podemos olhar o futuro e esperarmos "novos céus e nova terra, onde habita a justiça" (II Pedro 3:10, 13). O pecado nunca mais infetará o universo. Os resultados trágicos do pecado ficarão tão claros para todos que a desobediência a Deus será repugnante por toda a eternidade.
Quem possibilita a destruição final do Diabo e do pecado?
"Portanto, visto que os filhos são pessoas de carne e sangue, Ele [Cristo] também participou dessa condição humana, para que, por sua morte, derrotasse aquele que tem o poder da morte, isto é, o Diabo, e libertasse aqueles que durante toda a vida estivessem escravizados pelo medo da morte". Hebreus 2:14, 15.
Na cruz, os anjos e os mundos não caídos viram como Satanás realmente é: um enganador, um mentiroso e um assassino. Ali, ele revelou seu verdadeiro caráter ao incitar homens a assassinarem o inocente Filho de Deus. Os habitantes de todo o universo viram quão insensível e cruel realmente é o pecado. A cruz desmascarou completamente os motivos de Satanás, e quando Deus destruir o Diabo e aqueles que persistirem em pecado, todos irão reconhecer que Deus é justo.

A morte de Jesus na cruz expôs as verdadeiras intenções de Satanás diante de todos os seres criados (João 12:31, 32). A cruz também revelou a Cristo e o que Ele é: o Salvador do mundo. No Gólgota, o poder do amor ficou num profundo contraste com o amor ao poder. A cruz eliminou qualquer dúvida que ainda poderia existir de que o amor que leva ao sacrifício é o mesmo que motiva Deus a lidar com Satanás, com o pecado, e com homens e mulheres pecadoras.
Na cruz, a demonstração eloqüente de Cristo do amor incondicional de Deus derrotou decisivamente o Diabo. A batalha tinha sido sobre quem deveria governar o mundo, Cristo ou Satanás. A cruz colocou um ponto final nessa disputa para sempre. Essa função pertence a Cristo!
Você já descobriu o relacionamento pessoal com o Salvador que morreu para revelar seu amor incomparável e imutável? Como você se sente sobre Aquele que veio ao mundo como ser humano e morreu em seu lugar para salvar você das conseqüências do pecado? Por que você não inclina sua cabeça agora mesmo e agradece a Jesus, pedindo para Ele entrar e tomar posse de sua vida?


Copyright © 2004 The Voice of Prophecy Radio Broadcast
Los Angeles, California, U.S.A.

Tatiana Leal 
Deus te abençõe


Pornografia na internet

 
Pornografia na Internet
Pornografia na Internet: A Maldição e a Cura
A Internet é tão persistente quanto potente, uma presença indelével e incontida na cultura. De fato, a Internet nem está separada em absoluto da cultura; é a cultura. Todo o lixo, refugo e dejetos de nossa sociedade ali encontra o seu espaço, e a menor das obsessões encontra ali o seu nicho, juntamente com Bach, obras caritativas e pôres-do-sol. A Internet permite que um milhão de flores desabrochem, bem como um milhão de ervas daninhas.--Javier, Herron, & Primavera, 1998.
O dia havia sido longo e agitado, mas finalmente Jerry estava sozinho no seu escritório em casa. Estava bastante cansado após oito horas de infindáveis reuniões na Igreja. Ao mesmo tempo estava contente pelo que vinha conseguindo realizar. Seu grupo de jovens estava aumentando, e a congregação lhe dera muitos tapinhas nas costas. O sentimento geral era de que Jerry--o líder de jovens em sua igreja--estava fazendo uma diferença positiva com os jovens. Ele se sentia bem com isso.

Jerry atirou o paletó sobre uma poltrona num canto e acomodou-se diante de seu computador para desfrutar uns poucos minutos "só dele". Após alguns cliques--ali estavam suas amigas: mulheres posando eroticamente, pessoas tendo sexo das formas mais esquisitas. Ele partia de um site da Internet para outro como que hipnotizado. A luz de mensagens de seu telefone piscava e uma pilha de cartas aguardavam sua atenção, mas ele não conseguia afastar-se do computador.

Todos os amigos de Jerry imaginavam que ele era o exemplo do sucesso. Em seus 30 e poucos anos tinha uma bela esposa, duas filhas pequenas e um lar confortável. Qualquer fotógrafo teria orgulho de exibir uma foto da família de Jerry em seu estúdio. Profissionalmente, Jerry estava em alta demanda como orador por toda a região e mesmo pelo estado.

Mas Jerry era também um viciado--dominado pelo sexo, obcecado pela pornografia internética.

O escopo do problema
A pornografia online é imensa. Tornou-se uma das formas mais lucrativas de comércio no disputadíssimo campo das 'pontocoms'. Estimativas de ganhos anuais situam em um bilhão ou vários bilhões de dólares. O número de pessoas que visitam sites sexuais cada dia tem sido estimado em 60 milhões. Juntos, os cinco sites pornográficos mais freqüentados na Internet recebem mais visitas do que os grandes sites noticiosos MSNBC.com e CNN.com combinados. Todos esses sites estão disponíveis cada minuto do dia e são fáceis de encontrar--bastando somente alguns segundos para sua localização.

A pornografia internética é tão ampla que provavelmente é certo dizer que veio para ficar. Provavelmente jamais será bloqueada. Todo dia, aproximadamente 400 novos websites pornográficos são abertos na rede Internet a partir de locais como a Tailândia e a Rússia.
As boas novas são que a recuperação do vício da pornografia internética é possível.

O que vem a ser vício sexual?
Pessoas que não são sexualmente viciadas--eu as chamarei "normais"--são capazes de desfrutar uma experiência sexual de tempos em tempos e daí dar atenção a outras coisas. Também são capazes de dizer não quando se sentem sexualmente excitadas mas não há possibilidade para atividade sexual.

O viciado sexual, por outro lado, está continuamente obcecado com pensamentos e emoções sobre sexo, e seu comportamento é controlado por seus impulsos sexuais. (Eu me referirei a viciados sexuais como homens neste artigo, uma vez que a maioria dos viciados sexuais são do sexo masculino. Contudo, algumas mulheres de fato se tornam também vítimas de vício sexual, e as recomendações neste artigo são igualmente válidas para elas).

Todas as dependências são caracterizadas por esta incapacidade da parte do dependente em dizer não a seus impulsos ao vício. Se o viciado sexual sente que "tem que fazê-lo" ele o fará. Não importa quão ameaçador seja o seu comportamento para a sua família, sua profissão ou mesmo sua vida, as emoções do viciado sexual o compelem a agir segundo os seus desejos.
O fundamento de todo vício sexual é a lascívia. Contudo, lascívia não é emoção sexual ou desejo sexual. Lascívia é usar outro ser humano para a própria gratificação sexual.

A lascívia não requer contato físico com outra pessoa. Uma fotografia ou mesmo imagem mental do objeto desejado é suficiente para detonar a lascívia na mente do viciado. É por isso que a pornografia--seja em papel, na TV ou Internet--é um instrumento tão poderoso para a lascívia. Propicia as imagens que a alimentam.

A pornografia internética é particularmente viciadora porque o viciado não precisa dirigir-se a uma banca de revistas ou livraria para apanhar publicações pornográficas. Ele pode acessá-la na privacidade de seu lar.

Uma vez a pessoa esteja enredada, geralmente descobre que não consegue sair do seu vício por si mesma. Pode fazer milhares de promessas a si ou aos familiares, ou a Deus, de que vai parar, contudo mais cedo ou mais tarde está de volta praticando o seu vício.

Significa isso que está condenado a permanecer para sempre preso a isso? Absolutamente não!

O fator Deus
O ponto de partida é lidar com a lascívia. Contudo, o viciado deve reconhecer que o desejo de utilizar outra pessoa para gratificar os seus impulsos sexuais tem um domínio tão tremendo sobre ele que não consegue escapar por si só. Carece de auxílio divino e de pelo menos um amigo que teve a experiência de lidar com a obsessão sexual.

Muitos viciados oram desesperadamente a Deus para os libertarem--sem resultado, porque não estão orando da maneira correta. A fim de que Deus lide com a lascívia, o viciado deve convidar a Deus para ocupar sua mente e pedir que lhe remova esse poderoso desejo por lascívia.

Uma boa oração deve ser assim: "Deus, sou impotente sobre esse vício. Dou-Te permissão de removê-lo". Também é de ajuda agradecer a Deus por remover a lascívia: "Obrigado por remover essa lascívia de minha mente e emoções". Não é necessário esperar até que o desejo lascivo seja removido para agradecer-Lhe por fazê-lo.

Proferir essa oração pode ser muito difícil, de fato penoso, porque a lascívia é o que o viciado tanto aprecia. O viciado pode lidar com isso pedindo a Deus, quando não se acha sob tentação, para dar-lhe "o poder para rogar a Tua ajuda na próxima vez que eu for tentado à lascívia".

Respeito
O oposto da lascívia é o respeito. A lascívia desumaniza uma mulher (ou um homem na mente viciada de uma mulher) por valer-se dela como objeto para gratificar os próprios impulsos sexuais. O respeito significa valorizar uma mulher como ser humano que merece ser tratado com alta consideração, e merece ser protegido, antes que abusado. (O viciado está abusando de uma mulher em sua mente quando pensa lascivamente nela, mesmo que não chegue a tocá-la).

Assim, como pode o viciado aprender a respeitar pessoas do sexo oposto, em lugar de usá-las como objetos para satisfazer a seus desejos ilegítimos? Por orar por elas no momento exato em que as está vendo: "Deus, por favor, proteja essa mulher de qualquer mal. Leva o Espírito Santo para a vida dela. Sejam quais forem os problemas que ela esteja defrontando hoje, abençoa-a com as respostas que sabes serem as melhores para ela".

Essa oração coloca a Deus bem no meio dos desejos lascivos do viciado e começa a desmontá-los. Esteja a mulher que está contemplando numa foto diante dele, ou na vida real, ele não pode orar desse modo sem que sua atitude para com ela comece a mudar. E ao persistir em orar por uma mulher após outra, no devido tempo ele descobrirá que o seu respeito pelas mulheres começará a crescer.

Auxílio humano
Os viciados carecem também do auxílio de outros seres humanos. A pessoa cujo comportamento sexual é normal pode provavelmente empregar as sugestões acima para desfazer a tentação de fantasiar a respeito do sexo oposto. Contudo, a pessoa cujo comportamento esteja fora de controle precisa do auxílio que é propiciado pelo programa de Doze Passos.

Afortunadamente, grupos de Sexaholics Anonimous (que se poderia traduzir por 'sexólicos anônimos') estão sendo estabelecidos na maioria das grandes cidades dos EUA e Canadá, e muitos estão disponíveis em áreas rurais também. Há duas vantagens em participar dos grupos de Doze Passos. Primeiro, todos os membros são profundamente comprometidos com a confidencialidade. Em segundo lugar, o viciado encontrará apoio e simpatia de outros que compartilham de seus problemas e passaram pela experiência de rompê-los.

Alguns viciados podem estar tão intoxicados que podem requerer terapia formal. Estes devem ir em busca de profissionais especializados e licenciados. Alguns talvez requeiram até internamento clínico. Um grupo de SA ou patrocinador de SA pode encaminhar o viciado a essas fontes de tratamento.

As igrejas cristãs podem ajudar abrindo suas portas para reuniões dos Doze Passos. Se várias igrejas numa cidade o fizessem, os viciados que temem assistir a uma reunião em sua própria igreja poderia atravessar a cidade para outra reunião onde se sentiriam mais à vontade. Os que temem que essas reuniões de recuperação não sejam espirituais se comprazerão em saber que elas possuem um forte componente espiritual.

As boas novas são que há uma saída para os viciados sexuais--sejam dependentes da pornografia internética ou aos muitos outros canais para comportamento sexual inapropriado que estão disponíveis em nossa sociedade. Requer o poder de Deus, o auxílio de outros seres humanos, e um comprometimento a esforço persistente e penoso da parte do viciado. Mas onde esses três elementos são combinados, a vitória é certa.

É isso que significa o evangelho!

_______
Gary Hopkins
D
iretor do Centro de Pesquisa para Prevenção e professor-associado de ciências comportamentais da Universidade Andrews, Berrien Springs, Michigan, EUA. Transcrito de Signs of the Times, de setembro de 2002, págs. 8, 9 e 21.
JESUSVOLTARA.COM.BR
Tatiana Leal 
Deus te abençõe

__._,_.___
Atividade nos últimos dias:
x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x

Nossos Emails

Dúvidas Bíblicas: duvidasbiblicas@evangelizacaopessoal.com

Propietária do grupo: tthatthy@evangelizacaopessoal.com

Sair do Grupo: evangelizacaopessoal-unsubscribe@yahoogrupos.com.br

Nosso Site: www.evangelizacaopessoal.com

x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x

.

__,_._,___

HALLOWEEN - Dia das bruxas

 

INTRODUÇÃO:
Qual seria a necessidade de um estudo sobre o Halloween se esta é uma festa americana e de alguns países europeus?
Apesar desta festividade não ser muito conhecida pela maioria das pessoas no Brasil, ela vem ganhando um grande espaço em nossa cultura através de escolas primárias, escolas de inglês, TV, clubes, etc.
O QUE SÃO AS FESTAS DE HALLOWEEN ?
O Halloween acontece nas noites dos dias 31 de Outubro que são geralmente celebradas com festas a fantasia, fogueiras e com crianças fantasiadas de monstros, fantasmas, bruxas, etc., saindo de casa em casa pedindo doces (brincadeira de "trick or treat", "travessuras ou doces").

Hoje, Halloween é um dia importante para os lojistas americanos. É uma noite em que "as pessoas decentes se tornam exibicionistas ultrajantes". Sessenta por cento de todas as fantasias são vendidas a adultos.

No dia 31 de outubro, uma de cada quatro pessoas com idades que variam de dezoito a quarenta anos vestem algum tipo de fantasia representando certo personagem.

Para os leitores psíquicos, clarividentes e os que se declaram visionários, este é o dia mais agitado do ano. As editoras que publicam livros que vão desde astrologia até bruxaria registram um aumento colossal nas vendas. Salém, no Estado de Massachusetts, sede da bruxaria norte-americana, celebra na época do Halloween, o "festival da assombração", para expandir a temporada de verão.
SIMBOLISMO E SUAS ORIGENS :

Definição: "Hallowed" é uma palavra do Inglês antigo que significa "santo", e "e'en" também de origem inglesa significa "noite", então o significado é "Noite Santa" ou "All Hallows Eve", "Noite de Todos os Santos".

O dia 31 de outubro não é uma escolha por acaso. No calendário celta, este é um dos quatro principais dias de descanso das bruxas, os quatro dias de "meio trimestre". O primeiro, 2 de fevereiro, conhecido como Dia da Marmota, honrava a Brigite, a deusa pagã da cura. O segundo, um feriado de maio chamado Beltane, era entre os bruxos, o tempo de plantar. Neste dia os druidas executavam ritos mágicos para incentivar o crescimento das plantações. O terceiro, uma festa de colheita em agosto, era comemorado em honra ao deus sol, a divindade brilhante, Lugh. Esses três primeiros dias marcavam a passagem das estações, o tempo de plantar e o tempo de ceifar, bem como o tempo da morte e ressurreição da terra. O último, Samhain, marcava a entrada do inverno. Nesse tempo, os druidas executavam rituais em que um caldeirão simbolizava a abundância da deusa. Dizia-se que era tempo de "estado intermediário", uma temporada sagrada de superstição e de conjurações de espirito.

Para os druidas, 31 de outubro era a noite em que Samhain voltava com os espíritos dos mortos. Eles precisavam ser apaziguados ou agradados; caso contrário, os vivos seriam ludibriados. Acendiam-se enormes fogueiras nos topos das colinas para afugentar os espíritos maus e aplacar os poderes sobrenaturais que controlavam os processos da natureza. Recentemente alguns imigrantes europeus, de um modo especial os irlandeses, introduziram o Halloween nos Estados Unidos. No final do século passado, seus costumes se haviam tornado populares. Era ocasião de infligir danos às propriedades, e consentir que se praticassem atos diabólicos não tolerados noutras épocas do ano.
A Igreja Católica celebrava originalmente o "Dia de Todos os Santos" no mês de maio e não dia 1 de novembro como é feito atualmente. O Papa Gregorio III, em 835, tentando apaziguar a situação nos territórios pagãos recém conquistados no noroeste da Europa, permitiu-lhes combinar o antigo ritual do "Dia de Samhain" ou "Vigília de Samhain" (algo parecido com o que os católicos fizeram no Brasil com os deuses africanos e os santos da igreja no tempo da escravidão). O Panteão de Roma, templo edificado para adoração de uma multiplicidade de deuses, foi transformado em igreja. Os cristãos celebravam ali o dia dos santos falecidos no dia posterior ao que os pagãos celebravam o dia de seu Senhor dos Mortos.
DRUIDAS
Estes eram membros de um culto sacerdotal entre os celtas na antiga França, Inglaterra e Irlanda que adoravam deuses semelhantes aos dos gregos e romanos, mas com nomes diferentes. Pouco se sabe sobre eles, pois os sacerdotes passavam seus ensinamentos apenas oralmente jurando e fazendo jurar segredo. Algumas práticas porém são conhecidas. Eles moravam nas florestas e cavernas, e diziam dar instruções, fazer justiça e prever o futuro através de vôo de pássaros, do fogo, do fígado e outras entranhas de animais sacrificados. Os druidas também ofereciam sacrifícios humanos e tinham como sagrados a lua, a "meia-noite", o gato, o carvalho, etc. Os druidas foram dizimados pelos romanos na França e Inglaterra antes do final do primeiro século, mas continuaram ativos na Irlanda até o quarto século.
BRUXAS E FANTASMAS

Os antigos druidas acreditavam que em uma certa noite (31 de outubro), bruxas, fantasmas, espíritos, fadas, e duendes saiam para prejudicar as pessoas.
LUA CHEIA, GATOS E MORCEGOS

Acreditava-se que a lua cheia marcava a época de praticar certos rituais ocultos. O gato estava associado as bruxas por superstição. Acreditava-se que as bruxas podiam transferir seus espíritos para gatos, então acreditava-se que toda bruxa tinha um gato. O gato era tido como "um espírito familiar" e muitos eram mortos quando se suspeitava ser uma bruxa.

Os druidas também tinham os gatos como animais sagrados, acreditando terem eles sido seres humanos transformados em gatos como punição por algum tipo de perversidade. Representavam portanto seres humanos encarnados, espíritos malvados, ou os "espíritos familiares" das bruxas. A cor do gato originalmente não era um fator importante. O morcego, por sua habilidade de perseguir sua presa no escuro, adquiriu a reputação de possuir forças ocultas. O mamífero voador também possuía as características de pássaro (para o ocultismo, símbolo da alma) e de demônio (por ser noturno). No período medieval acreditava-se que demônios transformavam-se em morcegos.
CABEÇAS DE ABÓBORA ("JACK-O-LANTERNS")

A lanterna feita com uma abóbora recortada em forma de "careta", veio da lenda de um homem notório chamado Jack, a quem foi negada a entrada no céu, por sua maldade, e no inferno, por pregar peças no diabo. Condenado a perambular pela terra como espirito até o dia do juízo final, Jack colocou uma brasa brilhante num grande nabo oco, para iluminar-lhe o caminho através da noite. Este talismã (que virou abóbora) simbolizava uma alma condenada.
"TRAVESSURAS OU DOCES – "TRICK OR TREAT"

Acreditava-se na cultura celta que para se apaziguar espíritos malignos, era necessário deixar comida para eles. Esta prática foi transformada com o tempo e os mendigos passaram a pedir comida em troca de orações por quaisquer membros mortos da família. Também neste contexto, havia na Irlanda a tradição, que um homem conduzia uma procissão para angariar oferendas de agricultores, a fim de que sua colheitas não fossem amaldiçoadas por demônios. Uma espécie de chantagem, que daí deu origem ao "travessuras ou doces" "Trick or Treat".
AS MÁSCARAS E FANTASIAS

As máscaras têm sido um meio de supersticiosamente afastar espíritos maus ou mudar a personalidade do usuário e também de comunicação com o mundo dos espíritos. Acreditava-se enganar e assustar os espíritos malignos, quando vestidos com máscaras. Também em outras culturas pessoas tem usado máscaras para assustar demônios que acreditavam trazer desastres como epidemias, secas, etc. Grupos envolvidos com magia negra e bruxaria também usam máscaras para "criar uma ligação" com o mundo dos espíritos.
AS FOGUEIRAS

A palavra inglesa para fogueira (de acampamento, festas, etc.) é "Bonfire". Alguém pode até pensar que quer dizer "fogo bom", mas na verdade vem de "Bone" (osso) + "Fire" (fogo). Nas celebrações da "Vigília de Samhain" nos dias 31 de outubro, os druidas acreditavam poder ver boas coisas e mal agouros do futuro através do fogo. Nestas ocasiões, os druidas construíam grandes fogueiras com cestas de diversos formatos e queimavam vivos prisioneiros de guerra, criminosos e animais. Observando a posição dos corpos em chama, eles diziam ver o futuro. Mais tarde, mulheres, crianças, filósofos e cientistas foram "assados" vivos por católicos, calvinistas e luteranos.
AS CORES LARANJA E PRETA

As cores usadas no Halloween, o laranja e o preto, também tem sua origem no oculto. Elas estiveram ligadas a missas comemorativas em favor dos mortos, celebradas em novembro. As velas de cera de abelha tinham cor alaranjada, e os esquifes eram cobertos com tecidos pretos.

FEITIÇARIA NO PASSADO

Não só os católicos durante as atrocidades da Santa Inquisição, mas também os seguidores de Lutero, durante a selvagem perseguição aos anabatistas, e os calvinistas em sua feroz intolerância, promoveram barbaridades e injustiças com a desculpa de estarem em "Guerra Santa".

Acreditava-se que mulheres com poderes de feitiçaria podiam lançar aos seus vizinhos toda espécie de sorte maléficas, como morte de gado, perda de colheita, morte de filhos, etc. Segundo a tradição, o poder mais pernicioso de tais bruxas era tornar seus maridos cegos a respeito da má conduta de suas esposas e de fazer com que as chamadas feiticeiras gerassem filhos idiotas ou aleijados. Como a caracterização de bruxas era a de velhas megeras desdentadas com hábitos excêntricos e língua venenosa, muitas mulheres com tais características foram mortas em Salem, nos EUA em 1692.

Vejam só a barbaridade: ter um filho com alguma deficiência já caracterizava a mãe como bruxa ou feiticeira. Na Europa, a figura de feiticeira era a de "uma moça linda e perversa", e grande número de adolescentes e jovens mulheres casadas foram mortas na Alemanha e França.

As primeiras perseguições ocorreram no séc. XIII e depois em 1484 com a Santa Inquisição. O papa Inocêncio II recomendava que seus inquisidores torturassem até obter provas. Durante a Revolução Protestante essa caça assumiu proporções absurdas. Lutero aconselhava que se matasse feiticeiras com menos consideração e misericórdia do que se tinha com criminosos comuns.

Sob o comando de Calvino em 1545, 34 mulheres foram queimadas ou esquartejadas (vivas) sob acusação de serem ou praticarem feitiçaria. Mulheres, moças e até crianças eram torturadas com agulhas enfiadas sob suas unhas, assando-se os pés em fogueiras ou esmagando-se as pernas sob grandes pesos "até que a medula espirrasse dos ossos", tudo isso para obriga-las a confessar "orgias repelentes com os demônios". O ápice desta histeria ocorreu no final do séc. XVI onde o número de vítimas pode ter chegado a 30 mil. Durante essa época em cidades alemãs mais de 900 mulheres foram mortas num só ano, não restando uma só mulher em algumas cidades. Até pessoas celebrizadas por nós defendiam que pessoas fossem mortas sob simples suspeita de feitiçaria.
O HALLOWEEN HOJE

O Halloween tem outros aspectos negativos além de sua herança pagã arraigada na bruxaria e sua ênfase sobre o diabo e as trevas. Alguns vândalos estão mais interessados em brincadeiras de mau gosto do que em festas. Há vários casos de criminosos e loucos distribuindo balas envenenadas ou guloseimas contendo agulhas ou lâminas. Outro perigo é o de que os motoristas não vêem as crianças com trajes típicos de cores escuras andando em ruas escuras. Todavia, tais associações com o mal não indicam que os pais que permitem celebrações do Halloween estejam colaborando com o diabo. Mas seria difícil você pensar numa virtude positiva nos festejos do Halloween. Seu simbolismo envolve demônios, fantasmas, morte, trevas, esqueletos, medo e terror.

O QUE A BÍBLIA DIZ:

Sobre o culto ao medo: II Tim.1:7

Sobre um dia especial do mal:
Salmos 118:24

O que Deus pensa dessa práticas e seus praticantes: Deut.18:9-14; Isa. 8:19; Lev. 19:26, 31; 20:6-8; 20:27;

Sobre as chantagens da esmola: Salmos 37:25 No Novo Testamento: Gal. 5:19-21; Apoc. 21:8; 22:15 Nossa resposta: Rom. 12:2; I João 4:4; Efés. 6:12; I Pedro 5:8-9; II Cor. 2:11

REFLETINDO

Existe algo de ruim nisto? Quer dizer que esta simples festividade com pessoas e crianças se fantasiando, pedindo doces é um remanescente de antigas práticas de magia negra, culto aos mortos e outras coisas sinistras?
TIRE SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES

Nos Estados Unidos foram proibidas as orações públicas. O princípio do sectarismo tirou das escolas a celebração do Natal. Mas o Halloween permanece. O abrigo de gatos de Chicago tem uma procura muito grande de gatos pretos durante os festejos de Halloween. Temendo que os gatos estivessem sendo usados em rituais macabros pelos que se auto-proclamam bruxos, a Sociedade Protetora de Animais excluiu a adoção durante essa temporada.

No Brasil e no mundo estão aparecendo pessoas se auto-intitulando bruxos.Simbolismo apenas? Pense em alguns símbolos e analise-os. Há algum significado? Há alguma importância? Há alguma influência? Exemplo: cabeça de abóbora, suástica, crânio com ossos cruzados, a cruz... Deve uma igreja acolher tais festividades? Deve um crente participar de tais festividades? Hoje, mais e mais casos de sacrifícios humanos ocorrem no mundo ocidental justamente nesta época. Até os pais da Reforma Protestante cometeram absurdos de injustiça nesta área. Não estaríamos nós celebrando a injustiça que tanto desagrada a Deus? (Isaías 6.7-8). O assunto não é algo de extrema importância. É simplesmente algo que devemos nos colocar a par para um Posicionamento ético quando alguém nos perguntar sobre a questão.

Este estudo não é para dar mais "Ibope" ao diabo. Crentes não devem temer o Halloween. Dia 31 de outubro continua sendo um dia que o Senhor Deus criou. Não há espaço aqui para extremismo e nem para fobias. Exemplo de extremismo característicos do povo Cristão: A primeira edição de "A Origem das espécies" de Darwin, foi praticamente esgotada pela corrida dos crentes para comprar o "livro herege"... nós financiamos a segunda edição do livro e, provavelmente, a popularidade da teoria. Há uns 5 anos atrás várias pessoas faziam palestras sobre a Nova Era e as igrejas estavam super alertas para a simbologia e embaixadores desse movimento. Isso gerou uma verdadeira "paranóia", ao ponto de acusarem a Junta de Missões de "Nova Era", por trazer o desenho de um arco-íris, um dos supostos símbolos, em um de seus cartazes.
BIBLIOGRAFIA:

BURNS, E. M., Western Civilizations, Their History and Their Culture, W. W. Norton & Co. Inc., New York, 1968.

ANKERBERG, J., Weldon, J., The Facts on Halloween: What Christians Need to Know. Harvest House, Oregon, 1996.

PHILLIPS, P., Robie, J., H., Halloween and Satanism. Starburst, 1987.

HURT, R., The History of Halloween and the Word of God, not published (?).

MARGADONNA, S., Halloween Oct. 31: What's It All About?, not published (?).

PHILLIPS G., Halloween: What It Is From a Christian Perspective, not published, Bay View Church, Alabama: URL: http://www.webzonecom.com/ccn/cults/issu37.txt [Sept. 1997].


Damy e Doneivan F. Ferreira, Outubro, 1997
Doneivan@zaz.com.br

Tatiana Leal 
Deus te abençõe




































HOMOSSEXUALISMO À LUZ DE Rm 1:26-27

 
 
                    HOMOSSEXUALISMO À LUZ DE Rm 1:26-27
Introdução
Desde os primórdios da humanidade, as sociedades convivem com os mais variados tipos de comportamentos sexuais. O relato bíblico da Criação em Gn 1 e 2 mostra que Deus formou o homem e a mulher para viverem em comunhão íntima, tornado-se "uma só carne". Porém o pecado infiltrou-se nos relacionamentos sexuais entre os seres humanos de tal forma que hoje a sociedade convive com uma variação enorme de perversões sexuais, tais como: narcisismo, homossexualismo, masturbação, sadismo, masoquismo, exibicionismo, pedofilia, gerontofilia, fetichismo, travestismo, incesto, pluralismo, necrofilia, bestialidade, zoofilia, voyeurismo, sexopatia acústica, renifleurismo, coprofagia, frotterurismo, entre outros.

O presente trabalho não vai entrar nos detalhes das diversas anomalias sexuais, limitando-se apenas ao estudo do homossexualismo, pois este é o tema tratado pelo apóstolo Paulo em Rm 1:26 e 27. O artigo será dividido nas seguintes seções: Estudo da referência paulina em Romanos; conceito e causas da homossexualidade; os motivos pelos quais Deus condena este comportamento sexual; terapia para a regeneração daqueles que apresentam este desvio da sua sexualidade. Ao final, será apresentado um resumo do trabalho e as conclusões encontradas.
Comentário Sobre Rm 1:26-27
Encontra-se a declaração de Paulo nas seguintes palavras:
"Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro." Romanos 1:26-27
Há um consenso geral de que Paulo referia-se aqui à prática do lesbianismo e do homossexualismo masculino. A palavra "natural" (kata physin) em oposição à "contrária à natureza" (para physin) era usada no tempo de Paulo com muita freqüência como uma maneira de estabelecer distinção entre comportamento heterossexual e homossexual. Harrison acrescenta que "Paulo usa linguagem direta, para condenar a perversão do sexo fora do seu justo lugar: dentro do relacionamento conjugal". Outro teólogo afirma que a contaminação do corpo humano é claramente manifestada no homossexualismo, pois ele é obviamente antinatural, contrário à natureza sexual.
A prática do homossexualismo era comum no mundo pagão, tendo forte presença na sociedade em geral, sendo designado como o "pecado grego". Paulo escreveu sua epístola aos Romanos na cidade de Corinto, a capital dos vícios gregos, e certamente já vira ali evidências sobre as práticas homossexuais.
Lovelace ainda diz que "contrária à natureza" significa "simplesmente contra a intenção de Deus para o comportamento sexual humano que é explicitamente visível na natureza, na função complementar dos órgãos sexuais e dos temperamentos do macho e da fêmea".
No verso 27 Paulo emprega o termo arsen 3 vezes, traduzidos na ARA por "homens". O substantivo arsenokoites ("homossexual masculino", "pederasta") é empregado pelo apóstolo como alguém que não herdará a salvação por estar sob a condenação de Deus (1Co 6:9; 1Tm 1:10). Brown ainda acrescenta que aqui a perversão sexual é vista como resultado de (e, até certo ponto, um julgamento sobre) o pecado do homem em adorar a criatura ao invés do criador.

Conceito e Causas da Homossexualidade

Uma vez comprovado que o tema que Paulo abordou em Rm 1:26-27 foi mesmo a homossexualidade, tanto masculina quanto feminina, faz-se necessário um maior aprofundamento sobre o estudo deste comportamento sexual.
O homossexual é considerado uma pessoa com tendência a dirigir o desejo sexual para outra pessoa do mesmo sexo, ou seja, ele (ou ela) sente atração erótico-sexual por parceiro do mesmo sexo. Maranon apresenta uma definição mais completa sobre a homossexualidade nas seguintes palavras:
Por mais classificações que se façam desta anormalidade, a base patogenética é sempre a mesma: uma sexualidade recuada, de polivalência infantil que, por circunstâncias externas, condiciona sob diferentes formas seu objetivo erótico em sentido homossexual.
Baseando-se no relatório de Kinsey, os homossexuais pretendem que sua condição seja considerada "uma espécie de forma alternativa de sexualidade, homóloga e simétrica à heterossexualidade".
Bergler, porém, vê a homossexualidade como uma espécie de "síndrome neurótica", caracterizada por alguns estigmas bem definidos, a saber: uma elevada dose de masoquismo psíquico, levando o homossexual a situações de desconfianças e humilhações; medo, ódio, fuga em relação ao sexo oposto; insatisfação constante e insaciabilidade sexual; megalomania; depressão; sentimento patológico de culpa; ciúme irracional; e inadmissibilidade psicopática.
As pesquisas com relação às causas da homossexualidade ainda não são consideradas de todo consistentes; porém, elas podem ajudar na orientação de uma profilaxia social com relação ao homossexualismo. Gius afirma que "não se verificam quadros de aberração cromossômica ligados primitivamente à homossexualidade", o que descarta sua origem genética, pois "em todos os casos de homossexualidade masculina examinados, o sexo genético correspondia ao sexo fenotípico (respectivo) e faltavam sinais de qualquer alteração cromossômica verdadeira".
Mesmo os defensores da origem genética da homossexualidade admitem que a eventual "predisposição inata" só se transforma em efetivo desejo homossexual por força de fatores desencadeadores de natureza psicossocial, dentre os quais: obsessiva ligação com uma mãe autoritária ou possessiva; falta de uma figura paterna significativa como modelo de identificação; experiências de iniciação na infância ou adolescência; e fixação ou regressão da personalidade a níveis auto-eróticos, com supervalorização do falo (órgão sexual masculino).
O homossexual é um homem ressentido por acreditar que não tem o corpo que sua mente mereceria. Freud também considerava que o meio onde as crianças se desenvolvem é fator determinante de sua sexualidade.

Snoek divide estes fatores determinantes em três categorias:
1. Fisiológicos - Nenhuma das teorias (genética, hormonal, morfológica) foi comprovada;
2. Familiares - Uma mãe dominante, juntamente com um pai apagado; uma supermãe, tão envolvente que para o filho só existe uma mulher, que é ela; a mãe frustrada no seu relacionamento com o marido, incutindo na cabeça das filhas que homem nenhum tem valor; um superpai que exige uma virilidade impossível de ser alcançada pelo filho; os pais desejam um menino, mas nasce uma menina;
3. Sociais – O unissexismo, que ocorre na forma do segregacionismo ou do igualitarismo; o anarquismo; e a sedução por adultos.
Por Que Deus Condena o Homossexualismo?
Deus abençoou o homem e a mulher e lhes deu o mandamento de serem fecundos e multiplicarem-se (Gn 1:28). O casamento é a "união de duas pessoas que originalmente foram uma, depois foram separadas uma da outra, e agora no encontro sexual do casamento se uniram novamente". Lovelace acrescenta dizendo que "não é por acidente que toda forma de expressão sexual fora da aliança do casamento seja explícita ou implicitamente condenada no restante das Escrituras".
A sociedade atual está cada vez mais perdendo de vista o princípio que Deus definiu para a união sexual entre os seres humanos: um homem e uma mulher, unidos pelo compromisso eterno do matrimônio. Em virtude deste crescente desvio do padrão idealizado por Deus no princípio, é que têm surgido todas estas anomalias sexuais descritas até aqui. Hoje já se convive até mesmo com o "casamento" entre homossexuais e a adoção de filhos por estes "casais".
O propósito de Deus é que o homem junte-se com a mulher e os dois formem "uma só carne" (Gn 2:24), constituindo-se numa família heterossexual, na qual os filhos poderão ser educados em meio a um ambiente sadio e livre de preconceitos.
Este ideal está totalmente corrompido na sociedade moderna, e as relações sexuais passaram a ser apenas um meio de obter prazer a qualquer custo, sem atentar para as orientações dadas por Deus no passado, e para os perigos de não seguir estas orientações. A atual sociedade já aprendeu a conviver pacificamente com o outrora chamado "pecado grego", vendo os homossexuais como apenas "um pouco diferentes".
Deus condena o homossexualismo porque ele é totalmente contrário ao propósito original das relações sexuais: procriação e/ou prazer. Segundo Boice, apenas em se olhar para a anatomia dos órgãos sexuais do homem e da mulher já deveria haver argumento suficiente para convencer de que as práticas homossexuais não são normais. Tanto o Judaísmo quanto o Cristianismo sempre reconheceram esse fato, defendendo que o homossexual está sob a condenação de Deus.
Cura Para o Homossexual
Após verificar que o homossexualismo está arraigado fortemente na sociedade hodierna, faz-se necessário apresentar ao portador desta anomalia sexual um meio de regeneração e retorno ao ideal divino. A terapia de aconselhamento para o homossexual consiste em "escutar a quem pede ajuda, a fim de facilitar-lhe a decifração, por ele mesmo, de seu próprio discurso... levando a uma convivência mais saudável consigo mesmo e, em vários casos, chega-se à heterossexualidade".
Talvez o maior problema a princípio seja romper as barreiras da solidão e da incomunicabilidade que a sociedade erige em relação aos homossexuais. Gatti defende que o ponto de partida deve ser a total aceitação do homossexual como pessoa, a plena compreensão de seu drama, e a mais leal solidariedade a seus sofrimentos e a seus problemas. Para o auxílio pastoral ao homossexual são sugeridos os seguintes passos:

1. Reconhecimento e confissão de que sua atitude e conduta são errados;
2. Ele deve admitir e reconhecer seu problema;
3. Deve confessar o pecado a Deus e a um conselheiro espiritual, e depois deve pedir a Deus que o purifique e perdoe;
4. O homossexual que busca a cura deve pedir a Deus que lhe dê um espírito de arrependimento;
5. Pode-se considerar a possibilidade de uma libertação de demônios;
6. O conselheiro deve repetir a promessa de que o indivíduo poderá mudar;
7. O homossexual deve concordar em submeter-se a um plano de disciplina que Deus possa usar para concretizar a mudança desejada;
8. Entre o homossexual e o conselheiro deve haver sinceridade absoluta;
9. O homossexual deve começar a participar de uma comunidade cristã compreensiva;
10. O conselheiro deve ser paciente.
Para o homossexual, como para qualquer outro homem, no fim é apenas a graça do Espírito Santo com seus misteriosos dinamismos que é capaz de tornar a cura do homossexual possível. Acima de todos os meios educativos e terapêuticos, é sempre na graça de Deus que o homem pecador deve confiar.
O Dr. José Maria concorda com o pensamento de que a igreja deve ser o conduto para a ajuda aos homossexuais que desejarem um retorno aos desejos sexuais naturais de cada ser humano. Ele afirma que "a igreja será o último reduto para a consolidação dos conceitos familiares" nos próximos anos.

Resumo e Conclusão
O homossexualismo está presente na história humana desde o seu princípio. Biblicamente, encontra-se referências à homossexualidade já no relato de Sodoma e Gomorra (Gn 19:4-5), de onde advém o termo "sodomia" como referência à homossexualidade e outras anomalias do gênero; bem como no período dos Juízes (Jz 19:22). Moisés também fez referências a esta prática sexual entre o povo de Israel (Lv 18:22; 20:13), condenando-a e considerando-a abominável aos olhos de Deus, punível mesmo com a morte.
No Novo Testamento, a referência clássica à homossexualidade, tanto feminina quanto masculina, encontra-se na epístola de Paulo aos Romanos (Rm 1:26 e 27). Porém, o apóstolo também faz outras referências à condenação divina sobre esta prática (1Co 6:9-10; 1Tm 1:9-11).
O presente trabalho analisou o texto de Romanos, observando a quase unanimidade entre os teólogos e comentadores de que Paulo realmente referia-se na passagem em estudo ao homossexualismo. Porém, é crescente o grupo de eruditos que não aceitam esta interpretação usual, e tentam reinterpretar as declarações paulinas, aplicando-as aos dias atuais, onde a homossexualidade tornou-se já parte comum do cotidiano das grandes cidades.
Através dos estudos e pesquisas científicas consultadas, verifica-se que é reduzida a probabilidade de que as tendências homossexuais sejam o resultado de uma "deformação genética" ou algum caractere hereditário. Ao contrário, é grande o número de estudiosos da psicologia humana que acreditam que este comportamento sexual advém de fatores psicossociais vividos na infância (até os 5 anos de idade, principalmente), e que acarretam traumas e complexos que podem levar o indivíduo a desenvolver o homossexualismo durante sua vida.
Apesar de Deus condenar este comportamento anômalo, em virtude de desvirtuar-se do Seu propósito para o relacionamento sexual e matrimonial, Ele concede ao homossexual desejoso de regenerar-se uma opção de cura, que está disponível através de Sua infinita graça e misericórdia pelas mazelas que atingem a humanidade.
Como representantes de Deus e instrumentos Seus para distribuição de Sua graça ao mundo pecador, os cristão não devem olhar o homossexualismo como uma doença típica de pessoas "despudoradas"; mas devem encarar o problema com o mesmo amor fraternal e solidariedade que Jesus demonstrou em Seu convívio com o ser humano. Resta ao cristão ouvir e atentar ao conselho do próprio apóstolo Paulo: "Tudo posso, nAquele que me fortalece" (Fp 4:13).
Gilson Medeiros da Silva

Tatiana Leal 
Deus te abençõe

__._,_.___

Um livro diferente

no mail with banners







Um livro diferente  
                  Atos 8.26-40 
São mais desejáveis do que ouro, mais do que muito ouro depurado; e são mais doces do que o mel e o destilar dos favos. Salmo 19.10
Nossa professora de estudos religiosos entregava exemplares do Novo Testamento. Alguns de meus colegas consideraram a obra apenas mais um livro para ser encapado - mais um em nossa já abarrotada carteira. Mais uma coisa para aumentar o volume de nossa pesada mochila escolar.
Para nós, que conhecíamos e amávamos o Novo Testamento, o livro significava algo mais. Estávamos felizes em poder encapar os livros por fora, mas queríamos, ainda mais, abri-los e mostrar as "boas-novas" àqueles amigos e amigas para quem o interior também estava encoberto. Como queríamos contar a eles que a Bíblia não é apenas mais um livro para ser encapado! Ela é uma dádiva para ser mostrada ao mundo.

          
Quando partilhei as boas-novas da Bíblia?

                 Nicola Priest (Inglaterra)
                     

Ventos





ENQUANTO SOPRAM OS VENTOS!

Certo fazendeiro possuía terras ao longo do litoral. Ele constantemente anunciava estar precisando de empregados. A maioria de pessoas estava pouco disposta a trabalhar em fazendas do litoral. Temiam as horrorosas tempestades que varriam constantemente aquela região, fazendo estragos nas construções e nas plantações. Procurando por novos empregados, ele recebeu muitas recusas. Finalmente, um homem baixo e magro, de meia idade, se aproximou do fazendeiro. Você é um bom lavrador? Perguntou o fazendeiro. Bem, eu posso dormir enquanto os ventos sopram. Respondeu o pequeno homem. Embora confuso com a resposta, o fazendeiro, desesperado por ajuda, o empregou. O pequeno homem trabalhou bem ao redor da fazenda, mantendo-se ocupado do alvorecer até o anoitecer. E, o fazendeiro estava satisfeito com o trabalho do homem. Então, uma noite, o vento uivou ruidosamente. O fazendeiro pulou da cama, agarrou um lampião e correu até o alojamento do empregado. Sacudiu o pequeno homem e gritou: Levanta! Uma tempestade está chegando. Amarre as coisas antes que sejam arrastadas. O pequeno homem se virou e disse de maneira calma: Não senhor! Eu já tinha lhe dito que posso dormir enquanto os ventos sopram. Enfurecido pela resposta, o fazendeiro estava pronto para despedi-lo imediatamente. Em vez disso, ele se apressou para preparar o terreno devido à tempestade. Do empregado, trataria depois. Mas, para seu assombro, o proprietário descobriu que todos os montes de feno tinham sido cobertos com lonas e estavam firmemente presos ao solo. As vacas estavam bem protegidas no celeiro, os frangos nos viveiros... Todas as portas estavam muito bem travadas. As janelas bem fechadas e seguras. Tudo foi amarrado. Nada poderia ser arrastado. O fazendeiro entendeu naquele momento o que seu empregado quis dizer anteriormente. Então, retornou para sua cama para também dormir enquanto o vento soprava.
MORAL: O que quer nos dizer essa história? Quando se está preparado espiritual, mental e fisicamente, você não tem nada a temer. A pergunta que resta é: Você pode dormir enquanto os ventos sopram em sua vida?


Disse Jesus: Em verdade, em verdade vos digo, que aquele que ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, têm a Vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a Vida. Jo.5,24

"Não há nada que seja maior evidência de insanidade do que fazer a mesma coisa dia após dia e esperar resultados diferentes"
Albert Einstein
Capitão Darany Oliveira - PMPR