BENVINDO

Minha foto

 Sou servo do Senhor desde 2001,sirvo a Deus na Igreja do Evangelho Quadrangular,  obreiro formado no Instituto Teológico Quadrangular, professor da Escola Bíblica,  casado com Elisângela a 25 anos , pai de 2 filhos maravilhosos,  buscando cada dia conhecer mais ao Senhor. Meu maior desejo é ser " uma bênção" e abençoar àqueles que estão perto e através da web os que estão longe.  Que as bênçãos do Senhor seja transbordante sobre a sua vida, sobre sua casa , sobre sua família, sobre o seu ministério, querido(a) e amado(a) irmão(ã) em Cristo Jesus. 

domingo, 30 de maio de 2010

Sofrimento Por Antecipação... Essa Não!

"Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo
fará" (Salmos 37:5).


Uma criança não se preocupa o tempo todo se sua casa estará
lá quando retornar da escola ou se seus pais prepararão uma
refeição para ela no jantar. As crianças não se preocupam
com tais coisas porque confiam em seus pais. Da mesma
maneira, nós, como cristãos, devemos confiar plenamente em
nosso Pai divino para nos fornecer tudo o que é melhor para
nossas vidas.


Por que temos nos preocupado tanto com as nossas coisas? Por
que tanta ansiedade e tanta aflição? Onde está a nossa fé?
Em que está firmada a nossa confiança?


Muitos temem ficar sozinhos mesmo quando estão rodeados de
amigos. Muitos temem ficar desempregados mesmo quando estão
trabalhando em um bom emprego. Muitos se sentem atemorizados
pelo fato de poder ficar doentes mesmo quando estão gozando
perfeita saúde. Mas a Palavra de nosso Deus nos orienta a
"descansar no Senhor" e a "entregar o nosso caminho ao
Senhor". Será que isso não é suficiente para que
aproveitemos a nossa vida para desfrutar da felicidade que
Deus tem para nos dar?


Quando sofremos por antecipação, acabamos atraindo as crises
e problemas. Quando nos deixamos guiar pela potente e
amorosa mão de Deus, as lutas e dificuldades aparecem e nem
mesmo percebemos. Os nossos olhos espirituais estão firmados
no Senhor e só conseguimos ver alegria, vitórias e bênçãos.


Temos sido cristãos autênticos? Temos confiado completamente
no Senhor? Temos colocado nossas vidas diante do altar de
Deus para que Ele nos dirija os passos e nos faça caminhar
no centro de Sua vontade? E se assim o fazemos, por que
tanta preocupação?


Deixemos de lado toda inquietude e sigamos em frente, na
força do Senhor.

Felicidade Ao Nosso Alcance

"Pois ele satisfaz a alma sedenta, e enche de bens a alma
faminta" (Salmos 107:9).


"Aceite os limites do potencial da personalidade com que
Deus lhe dotou. . . . Deus não está interessado no sucesso
medido por competição. Deus está preocupado em que o homem
desenvolva seu potencial pleno em sua vida." (Problemas
Emocionais e a Bíblia -- Dr. George Muedeking)


Quais são os seus limites? Até onde você pode chegar? Se
compreendermos o que Deus tem estabelecido para nós, não
somente alcançaremos os nossos sonhos como também seremos
muito felizes.


O grande problema de nossas frustrações ou mesmo de nossa
depressão, consiste em não estarmos satisfeitos com o que
temos ou somos. Queremos mais, e mais, e nunca estamos
contentes com nada. Deus nos deu tudo de que necessitamos
para uma vida abundante, abençoada e vitoriosa, mas, a nossa
insatisfação crônica nos impele a desejar ir sempre além dos
nossos limites.


Com isso, perdemos o regozijo das vitórias conquistadas, o
gozo das barreiras ultrapassadas, a felicidade das metas
atingidas.


O que é melhor para nós: chorar pelas decepções
experimentadas ou sorrir pelos obstáculos vencidos, mesmo
que sejam poucos? O que pode nos dar mais satisfação: colher
uma rosa ao nosso alcance, no jardim de nossa casa, ou
lamentar não poder colher uma flor rara, plantada em um
abismo inacessível? Alegremo-nos, portanto, com o que Deus
nos dá, pois, é mais do que suficiente para encher de gozo
os nossos corações.


Se continuarmos correndo em busca de uma felicidade fora de
nosso alcance, podemos não encontrá-la e, por essa causa,
deixar de viver a felicidade que já nos foi dada por Deus.

Uma Pessoa Popular

"mas, assim como fomos aprovados por Deus para que o
evangelho nos fosse confiado, assim falamos, não para
agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos
corações" (1 Tessalonicenses 2:4).


O porteiro, na estação ferroviária, exigia que todos
apresentassem seus bilhetes antes de atravessar o portão em
direção ao trem. Alguns não conseguiam encontrar prontamente
seus bilhetes e murmuravam e diziam palavrões. Uma pessoa,
que assistia a cena, dirigiu-se ao porteiro dizendo: "Parece
que você não é muito popular por aqui". O porteiro,
dirigindo seu olhar para cima, em direção ao escritório do
superintendente, falou: "Eu não me importo em ser popular e
agradar a toda a multidão. Eu tenho que obedecer ao meu
superior."


Muitas vezes perdemos a bênção de Deus porque estamos
preocupados em agradar ao mundo. Queremos nos adaptar ao
ambiente em que vivemos em vez de transformá-lo, quando este
não agrada a Deus. De que adianta eu ser "popular" e andar
longe dos caminhos do Senhor? O que o mundo pode me oferecer
em relação à eternidade? Que benefício haverá nessa
popularidade?


Como o porteiro daquela estação, que compreendia que o
melhor era obedecer ao seu superior, precisamos compreender
que o melhor para nossas vidas espirituais é obedecer ao
nosso Superior. Ele sabe o que é melhor para nós e, seguindo
a Sua vontade, sempre desfrutaremos das ricas bênçãos
celestiais.


O que diz a Palavra de Deus sobre sermos afligidos por causa
de nossa fé? "Bem-aventurados sois..." E nos diz também:
"Tende bom ânimo..."


Não há nada melhor do que agradar a Deus, ser popular nos
Céus. Assim poderemos brilhar no meio das trevas. É a melhor
maneira de sermos verdadeiramente felizes. Dessa maneira
ajudaremos a muitos que estão perdidos a encontrar o caminho
da vida eterna.

Amor -- Característica Do Cristão

"Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor é de Deus;
e todo o que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele
que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor" (1 João
4:7, 8).


Os cães da raça São Bernardo, que buscam viajantes perdidos
nos Alpes, em uma tempestade, levam sua missão muito a
sério. Um desses cães, certo dia, retornou muito tarde,
cansado de abrir caminho pelos ventos. Ele entrou em seu
canil, e deitou-se em um dos cantos, mostrando-se
descontente, apesar dos esforços de seu mestre para
encorajá-lo. Ele estava doente? Bem, não -- não em corpo,
mas de coração. Ele falhou na tentativa de ajudar alguém e
voltou envergonhado. Da mesma forma, essa atitude -- uma
tristeza no coração por não ter ajudado ao próximo, deveria
caracterizar todos os cristãos.


Temos, realmente, nos sentido tristes, ao agir com
indiferença às necessidades das pessoas que nos cercam?
Temos nos importado com o fato de estarem caminhando sem o
Senhor e, por isso, não desfrutando das Suas ricas e
maravilhosas bênçãos? Temos vivido apenas para receber as
dádivas de Deus e não para ser uma bênção em suas mãos?


De que adianta eu ser chamado de "cristão" ou "discípulo do
Senhor Jesus" se não O imito e nem sigo as Suas instruções?
A minha vida nada mais é do que insípida e sem brilho.
Poderia até dizer que sou um "cristão sem Cristo".


O Senhor espera muito mais de nós. Espera que o amemos e, da
mesma forma, amemos aos que não O conhecem. Precisamos amar
aos bons e aos que não o são; aos que crêem e aos
incrédulos; aos que Lhe abrem o coração e aos que O
rejeitam.


Você crê que o amor é uma grande característica de sua vida?
Sente-se triste quando não pode ajudar alguém?

Nadando Na Fé



"Mas Jesus, voltando-se e vendo-a, disse: Tem ânimo, filha,
a tua fé te salvou" (Mateus 9:22)


"Fé significa Abandonar Tudo e confiar em Cristo". (Phillips
Brooks)


A quem temos confiado a direção de nossas vidas? Em que
temos depositado as nossas esperanças? Como pretendemos
conquistar as nossas vitórias e como está a nossa
expectativa em relação aos nossos sonhos?


Não podemos seguir em frente sem fé. Não podemos almejar
grandes coisas sem fé. Não podemos sequer sair de nossas
casas sem fé. Precisamos acreditar que tudo irá bem, que
alcançaremos sucesso, que ultrapassaremos os obstáculos, que
não iremos esmorecer quando experimentarmos o primeiro
fracasso ou decepção, que chegaremos com regozijo ao lugar
determinado de nossa bênção.


Sim, precisamos de fé. E a garantia de uma vida abençoada
significa ter fé em Jesus. Ele é o nosso Salvador, o nosso
Senhor, o nosso Guia, o nosso melhor Amigo. Ao Seu lado o
caminho é mais florido e perfumado, as campinas são mais
verdes e tranquilas, as bênçãos são ricas e abundantes.


A fé que salva nos leva a deixar o lugar em que estamos
agora para saltar nos braços de Jesus, crendo plenamente que
Ele pode nos sustentar. É como tentar nadar. A natação
funciona da mesma maneira. Antes de começarmos a nadar,
devemos acreditar que a água pode nos sustentar. Se queremos
ser salvos, precisamos primeiro crer em Jesus para podermos
nadar no grande mar de Seu amor e eterna misericórdia. Esta
é a fé que salva.


Queremos nadar no mar do amor de Deus, no rio de Suas
misericórdias, no lago de Sua fidelidade, no riacho de Sua
paz. Queremos nadar na fé... para sempre.

Com Quem Nós Parecemos?


"Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor,
porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe (que é o
primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e
sejas de longa vida sobre a terra. E vós, pais, não
provoqueis à ira vossos filhos, mas criai-os na disciplina e
admoestação do Senhor" (Efésios 6:1-4).


Uma professora da escola bíblica pediu à sua classe de
crianças que desenhasse um retrato de Deus. Um pequeno
menino foi o primeiro a terminar e lhe disse: "Eu desenhei o
retrato de meu pai porque não sei com quem Deus parece. Eu
só sei com quem meu pai parece".


Que grande responsabilidade nós, pais, temos em relação a
nossos filhos. Devemos ser o tipo de pais que fazem os
filhos desejarem honrar pai e mãe. Precisamos guiá-los no
caminho do Senhor desde pequenos. É importante que os nossos
filhos vejam, em todo o nosso procedimento, um exemplo vivo
do que os estamos ensinando sobre as Escrituras.


Nossos filhos devem nos honrar. Temos sido dignos de honra e
respeito? Temos tratado nossos filhos, mesmo nos momentos de
correção, com o amor que eles merecem? Nossas palavras têm
sido, ao mesmo tempo, sérias e brandas? Temos procurado
abraçar nossos filhos para que saibam que os amamos e que
podem contar conosco em qualquer situação?


Se perguntarmos a nossos filhos "com quem nós parecemos?" o
que eles responderiam? Se tivessem que desenhar uma pessoa
que merece honra e respeito, lembrariam de nós? Se tivessem
de escolher passar uma tarde em frente da televisão ou
passeando no parque conosco, a decisão a nosso favor seria
imediata?


Que tipo de pais temos sido? Daqueles que amam
verdadeiramente a seus filhos, a ponto de não medir esforços
para conduzi-los no caminho de Deus e da vida eterna ou
daqueles que estão muito ocupados com seus próprios assuntos
para perder tempo com o futuro e felicidade dos filhos?

Ele Sempre Se Lembra De Nós

"e entrando no sepulcro, viram um moço sentado à direita,
vestido de alvo manto; e ficaram atemorizadas. Ele, porém,
lhes disse: Não vos atemorizeis; buscais a Jesus, o
nazareno, que foi crucificado; ele ressurgiu; não está aqui;
eis o lugar onde o puseram. Mas ide, dizei a seus
discípulos, e a Pedro, que ele vai adiante de vós para a
Galiléia; ali o vereis, como ele vos disse" (Marcos 16:5-7).


Ana estava fazendo aniversário. Durante todo o dia ficou
ansiosa para saber se seus amigos se lembrariam daquela data
tão importante. Ela não iria fazer nenhuma festa -- estava
desempregada, e estava em dúvida se alguém lhe telefonaria
para dar os parabéns. Ficou muito surpresa -- e muito feliz,
quando, no início da noite, vários de seus amigos apareceram
com bolo e refrigerantes, para comemorar, com ela, aquela
data tão importante. Emocionada ela repetiu várias vezes:
"Que presente maravilhoso! Vocês se lembraram de mim!"


O anjo disse: "Diga a Seus discípulos e a Pedro", mas, por
que "e a Pedro?" Ele era um dos discípulos. Por que ele era
o único citado e nenhum dos outros? Ele era melhor que os
demais? Não, ele era até um pouco pior. Ele negou seu Senhor
-- três vezes, e com juras e pragas. E ele estava se
sentindo muito mal por isto. Ele estava desanimado,
deprimido, quase subjugado. E Jesus o sabia muito bem. E
quis enviar uma palavra de conforto para ele. Pedro deve ter
ficado muito contente ao saber que Cristo, após a
ressurreição, lembrara-se dele de uma forma especial.


O nosso Deus jamais nos abandona. Mesmo que o ignoremos ou o
busquemos apenas nos momentos de agonia e aflição, Ele
sempre está à nossa espera, pronto a perdoar, a nos abraçar,
a nos abençoar grandemente. Nós podemos esquecer dEle -- Ele
nunca se esquece de nós.


Dias difíceis estão vindo pela frente. Dias em que muitos se
lembrarão das bebidas, dos vícios, do sexo livre, da falsa e
passageira alegria, e se esquecerão do Senhor que os ama e
se entregou por eles. apesar disso, o Senhor não esquecerá
de ninguém. Estará de braços abertos, ao final desses dias,
para receber, com amor, aqueles que arrependidos o
procurarem.


Você pode se esquecer de Deus, mas não pode esquecer que
Deus não se esquece de você.

Como Crianças

"e disse: Em verdade vos digo que se não vos converterdes e
não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no
reino dos céus" (Mateus 18:3).


Em 1985, o Los Angeles Times publicou uma história muito
interessante e humana. O fato aconteceu poucos dias depois
do terrível terremoto na Cidade do México. Um pequeno
menino, japonês-americano, ia de porta em porta, vendendo
cartões postais ao preço de 25 centavos cada. Tudo o que ele
conseguia, oferecia para ajudar as vítimas do terremoto. Um
homem comprou alguns cartões postais do pequeno menino... e,
então, perguntou a ele quanto esperava conseguir com as
vendas. O menino respondeu sem hesitar: "um milhão de
dólares!" O homem sorriu e lhe disse: "Você espera conseguir
um milhão de dólares para ajudar as vítimas do terremoto
sozinho?" "Oh não, senhor," respondeu o menino, "meu irmão
mais novo está me ajudando!"


O Senhor nos ensina muitas coisas através de crianças. Amor,
esperança, falta de preocupação, obediência, uma confiança
inabalável. Não há ansiedade, sofrimento por antecipação,
murmurações desnecessárias. Ela sabe que vai ter, acredita
na proteção, descansa sem temor.


O menino de nossa história não duvidava que ia conseguir.
Não ficou trancado em seu quarto até que tivesse certeza do
dinheiro a arrecadar, não achou que tudo seria muito
difícil. Ele simplesmente saiu em busca de seu objetivo, de
seu propósito, de seu sonho. E não era um plano
interesseiro. Ele o projetou por amor... queria ajudar... e
iria conseguir "com certeza". Isso é fé, é dedicação, é
esforço pessoal. E por que não fazemos o mesmo? Por que
duvidamos de tudo antes mesmo de começar a lutar por nossos
sonhos? Por que preferimos pensar nas dificuldades em vez de
pensar em Deus que tudo pode?


Está na hora de nos colocarmos como crianças nas mãos de
Deus. Precisamos confiar nele seja qual for a circunstância.
Esqueçamos das lutas e obstáculos e olhemos para cima. Deus
tudo pode e Ele fará. Nós conseguiremos. Ele conseguirá por
nós!

Ocasião Própria

"Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo
propósito debaixo do céu" (Eclesiastes 3:1).


C. H. Spurgeon costumava pregar, uma vez por ano, "pelos
seus órfãos". nesta grande reunião, muitos vinham ouvir o
conhecido pregador e uma oferta era recebida para o sustento
do orfanato. Após uma destas reuniões, quando ele deixava o
prédio onde o serviço havia sido realizado, um indivíduo
baixinho, "super espiritual", sem qualquer visão ou
sensibilidade em relação à obra de Deus, o abordou e
questionou: "Sr. Spurgeon, eu pensei que o senhor pregava e
orava pelas almas perdidas e não por dinheiro!" A história
relata que Spurgeon, solenemente, respondeu: "Quero que
saiba, Sr. Fulano, que normalmente eu prego pelas almas
perdidas e não por dinheiro, mas, meus órfãos não podem
comer almas e, se pudessem, meu irmão, seriam necessários
pelo menos quatro de seu tamanho para satisfazer-lhes a
fome!"


O famoso evangelista tinha um grande ministério. Muitas
vidas experimentaram uma transformação total através de suas
pregações. Ele conhecia as suas necessidades espirituais e
mostrava-lhes o caminho para o Salvador e a vida eterna.
Tinha, no Espírito, a sensibilidade para aproveitar as
oportunidades. Sabia o que era mais importante em cada
situação. Naquelas reuniões, a necessidade maior era
financeira, para que as crianças do orfanato pudessem
receber o alimento de que precisavam. Era um homem a serviço
de Deus para levar a bênção que o Senhor tinha preparado
para os Seus queridos.


Atualmente ouve-se mais sobre dinheiro do que sobre almas
perdidas, mas, não quero falar sobre isso. Cada um deve ter
a sensibilidade espiritual para saber qual a perfeita
vontade do nosso Salvador. Cada um deve saber o que é mais
importante, o que é mais urgente, o que glorifica mais o
nome de Jesus. Há momentos em que só a salvação dos perdidos
interessa; há momentos em que uma transformação de vida
precisa acontecer; há momentos em que se deve buscar um
recomeço; há momentos em que o dinheiro precisa ser
considerado. Tudo deve estar debaixo da vontade de Deus e
deve ser feito para que a bênção seja completa na vida
daqueles a quem levamos a Palavra de Deus.


Você tem aproveitado as ocasiões para levar a bênção do
Senhor aos necessitados?

"Pai, Você Está Aí?"

"Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei
mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado
me consolam" (Salmos 23:4).


Muitos anos atrás, escreve um autor desconhecido, um pequeno
menino estava deitado em sua cama, preparado para dormir. De
repente, ele vira-se na direção da cama grande onde seu pai
costumava dormir, e pergunta: "Pai, você está aí?" "Sim, meu
filho",foi a resposta. O pequeno menino, virando-se para o
outro lado, dormiu, calmo e tranquilo. Atualmente o pequeno
menino já é um homem velho de mais de setenta anos e, toda
noite, antes de ir dormir, ele olha para o alto, em direção
ao rosto do Pai Divino e pergunta: "Pai, você está aí?" E a
resposta chega, clara e forte: "Sim, meu filho."


Que coisa maravilhosa é ter a certeza de que nosso Pai está
sempre perto de nós para nos proteger e abençoar. Não apenas
na hora de dormir, mas, em toda e qualquer situação, podemos
descansar em Sua presença e entregar a Ele todas as nossas
preocupações e inquietudes.


De que temos medo? Por que não ousamos seguir adiante?
Muitas vezes sentimo-nos solitários, frustrados, derrotados.
Achamos que a vida não sabe sorrir para nós. Lemos que o
Senhor está conosco, todos os dias, mas não nos atrevemos a
acreditar nisso. Está escrito mas é para outros. Eu não
consigo vencer, não consigo lutar, não consigo ser feliz. E
quem disse que não?


O exemplo do menino de nossa ilustração é perfeito para uma
vida plena e abundante. Ao lado do Senhor nada temos a
temer. Podemos ir a todos os lugares, desfrutar da alegria
que a vida nos oferece, caminhar em direção a nossos sonhos
sem a companhia das dúvidas que tiram a paz daqueles que não
conhecem a Deus. Para que isso seja real em todos os nossos
dias, basta apenas que em todos os nossos momentos e em
todas as nossas decisões, não esqueçamos de perguntar: "Pai,
você está aí?"

Como Um Tijolo


"Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa
cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si
mesmos com muitas dores" (1 Timóteo 6:10).


O dinheiro, em si mesmo, não é um mal. O amor ao dinheiro o
é. O dinheiro é como um tijolo. Você pode usá-lo para
construir uma catedral ou para esmagar a cabeça de alguém. O
dinheiro, por si só, não é do bem nem do mal. A cobiça é a
raiz de todo o mal. (Paul W. Powell)


Sabemos que o dinheiro faz parte da vida de todos. Sem ele,
quase nada conseguimos fazer. E até que ponto temos sabido
lidar com o dinheiro? Que importância ele tem tido em nossas
vidas, especialmente na espiritual?


O missionário Paulo, personagem importante nas Sagradas
Escrituras, diz que o amor ao dinheiro é a raiz de todos os
males. E o que ele quis dizer com isso? Que é pecado ter
dinheiro, ou querer possuí-lo? Claro que não. O dinheiro,
usado com sabedoria diante de Deus, é uma grande bênção, não
somente para quem o tem como para aqueles que são abençoados
por aqueles que o tem.


Mas quando esquecemos o que é correto, o que é honesto, o
que é verdadeiro, o que é puro, em busca de riquezas, então
desagradamos ao Senhor e afastamo-nos de Sua presença.
Quando usamos o dinheiro para "comprar a bênção de Deus"
também estamos pecando. Quando gastamos mais do que
ganhamos, quando não colocamos limites no uso do dinheiro
que Deus nos dá, mergulhando em dívidas e em aflições,
também estamos nos afastando do Senhor e de tudo que Ele
pode nos proporcionar.


Se queremos ser aprovados por Deus no uso do dinheiro,
devemos colocar o que ganhamos e as nossas necessidades no
Seu altar. Deus nos orientará e, se necessário, multiplicará
o nosso salário. Ele fará cair sobre nós e a nossa casa
"chuvas copiosas de bênçãos".


Seu dinheiro tem sido usado para construir um altar para
adorar a Deus ou um muro para suas lamentações?

Qual A Resposta?


"Vós não me escolhestes a mim mas eu vos escolhi a vós, e
vos designei, para que vades e deis frutos..." (João 15:16).


Tente responder às seguintes perguntas:
1. Quem ensinou a Martinho Lutero sua teologia e o inspirou
a traduzir o Novo Testamento?
2. Quem visitou Dwight L. Moody em uma loja de sapatos e
falou-lhe sobre Cristo?
3. Quem era a mulher idosa que orou fielmente durante vinte
anos por Billy Graham?
4. Quem ajudou Charles Wesley em sua carreira como
compositor de hinos?
5. Quem eram os pais do fiel e dedicado profeta Daniel?
Então, como foi? Cerca de cinquenta por cento? Talvez vinte
e cinco por cento? Nada? Pare e reflita. Se não fosse essas
pessoas desconhecidas -- aqueles "ninguém" -- um grande
pedaço da história da igreja estaria faltando. E muitas
vidas não teriam sido alcançadas.


Você já parou para pensar em como as suas atitudes podem
mudar a história? Consegue entender que um gesto seu pode
transformar o mundo? Muitas vezes julgamos que "sozinhos"
não poderemos fazer nada, mas,um exemplo nosso, mesmo que
pareça imperceptível, pode incentivar a outros que, de igual
modo, motivarão a outros tantos a deixar-se usar por Deus
para iluminar a terra.


Eu já contei aqui, no Para Refletir, como um simples
"empurrão" mudou a minha vida e, por consequência, a vida de
milhares em todo o mundo. Se aquela jovem não tivesse me
conduzido a Jesus, eu não estaria hoje aqui, repartindo
aquela grande bênção com pessoas de diversos continentes.


E que importância aquela jovem tem? E que importância eu
tenho? O que realmente interessa é que Deus a dirigiu e
dirige a mim. Somos parte do plano divino para a salvação
daqueles que ainda não conhecem o Caminho. E sou muito
feliz, mesmo que muitos não me conheçam, por fazer parte da
história planejada pelo Senhor.


Se você não sabe, até agora, responder às cinco perguntas de
nossa ilustração, esteja certo de que o seu nome pode
constar de uma sexta pergunta, que muitos não saberão
responder, mas que estará gravado no Livro da Vida de Deus,
por toda a eternidade.

Contemplando, De Longe, As Pinceladas

"Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um
espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em
glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor" (2
Coríntios 3:18).


Um pintor de paisagens não permanece sempre junto à sua
tela. Ele não deve limitar sua atenção para os detalhes
isolados do que está pintando. De tempos em tempos ele se
afasta um pouco e anda ao redor para visualizar seu trabalho
de longe. Ele precisa ver o que as milhares de pinceladas
produziram no trabalho global. Da mesma maneira, nossa
qualidade de vida melhoraria muito se pudéssemos
contemplá-la de longe para vê-la por inteiro. Nós podemos
nos tornar tão ocupados com nossas pinceladas diárias que
acabamos não tendo nenhuma percepção real de toda a cena que
pintamos na tela dos anos. Nossa atenção pode estar tão
absorvida pelos requisitos da vida diária que temos pouca
consciência das dimensões e direção da vida propriamente
dita. Precisamos nos afastar um pouco da tela e tentar ver a
cena por inteiro. Devemos olhar além dos episódios diários
de nossas ações variadas para ver a glória de tudo. Devemos
olhar além das pinceladas para ver a arte que as pinceladas
fizeram -e continuam fazendo.


Como estamos avaliando a nossa vida aqui neste mundo? Como
Deus está avaliando o nosso testemunho? Estamos olhando
apenas o que fazemos, de perto, crendo que somos as mais
perfeitas criaturas e que, se alguma coisa está errada, é
culpa dos outros, ou temos procurado analisar o nosso
comportamento diante de nossa família, de nossa igreja, das
pessoas que estão próximas e das que poderão ser
influenciadas pelas nossas atitudes?


Quando pincelamos o quadro de nossos dias, temos em mente o
que os outros verão ou não nos importamos com isso? Queremos
agradar apenas aos nossos próprios olhos ou desejamos que a
tela de nossa vida sirva de exemplo para muitos e de bênçãos
para todos?


Se você tem olhado o quadro de sua vida apenas pelo ângulo
de seus interesses, comece a olhá-lo como se fosse outra
pessoa e veja se as pinceladas são de seu agrado.

O TEMPO




"Os dias de nossa vida sobem a oitenta anos ou,
em havendo vigor, a oitenta;
o melhor deles é canseira e enfado,
porque tudo passa rapidamente e nós voamos"
(Salmo 90:10)

O tempo passa inexoravelmente.
A carruagem do tempo não espera por nada, e vai levando cada um de nós (sem distinção de raça, credo ou condição social)
ao seu destino inevitável: A ETERNIDADE.
Queiramos ou não, mais cedo ou mais tarde atravessaremos a fronteira
que nos separa do nosso destino eterno: o céu ou o inferno.

Se você crer em Deus, na existência do céu e do inferno,
e ao morrer, não existir nada disso, você não perdeu nada,
já que tudo acabou mesmo.

Mas se você não acreditar em nada disso,
e ao morrer,
deparar-se com uma eternidade inteira pela frente,
diante de um Deus que você ignorou,
você vai se lascar.

À medida em que o tempo vai passando,
Deus está escrevendo Seus livros para o dia do juízo eterno.
Lembre-se das palavras do Senhor Jesus: "Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida". (João 5:24)

A eternidade espera por você.
Com ou sem Deus, é você quem escolhe.
ESCOLHA CRER e aceitar a salvação
que Deus oferece através de Seu Filho, Jesus Cristo.
É até uma questão de inteligência.
De lógica mesmo.
Se existir o outro lado... Deus vai estar lá.
E vai ser muito melhor p'ra mim, se eu estiver bem com Ele.

DECIDA!
FAÇA SUA ESCOLHA... 

AINDA SOU DO TEMPO

Ainda sou do tempo em que ser crente era motivo de críticas e perseguições. Nós não éramos muitos, e geralmente éramos considerados ignorantes, analfabetos, massa de manobra ou gente de segunda categoria. Os colegas da escola nos marginalizavam. Os patrões zombavam de nós. A sociedade criticava um povo que cria num Deus moral, ético, decente, que fazia de seus seguidores pessoas diferentes, amorosas, verdadeiras e puras. Não era fácil. Mas nós sobrevivemos e vencemos. Sinto falta daquela perseguição, pois ela denunciava que a nossa luz era de qualidade, e ofuscava a visão conturbada de quem não era liberto. E, por causa dessa luz, muitos incrédulos foram conduzidos ao arrependimento e à salvação. Mas hoje é diferente.
Ainda sou do tempo em que os crentes não tinham imagens em suas casas, em seus carros ou como adereços de seus corpos. Nós não tatuávamos os nossos corpos e nem colocávamos "piercings" em nossa pele. Críamos que os nossos corpos eram sacrifícios ao Senhor, e que não nos era lícito maculá-los com os sinais de um mundo decadente, um deus mundano e uma cultura corrompida. Dizíamos que tatuar o corpo era pecado. Não tínhamos objetos de culto em nossas igrejas. Aliás, esse era um de nossos diferenciais: nós éramos aqueles que não admitiam imagens em lugar algum. Mas hoje é diferente.
Ainda sou do tempo em que pornografia era pecado. Nós não considerávamos fotos eróticas ou filmes pornô um "trabalho profissional", mas uma prostituição do próprio corpo e uma corrupção moral. Ao nos convertermos, convertíamos também os nossos olhos, e abandonávamos as revistas pornográficas, os cinemas de prostituição e os teatros corrompidos. Os que eram adúlteros se arrependiam e pagavam o preço do que fizeram, e começavam vida nova. Os promíscuos mudavam seu comportamento e tornavam-se santos em todo o seu procedimento. Nós, os adolescentes, deixávamos os namoros e os relacionamentos orientados pelos filmes mundanos, e primávamos por ser como José do Egito, que foi puro, ou o apóstolo Paulo, que foi decente. Mas hoje é diferente.
Ainda sou do tempo em que nos vestíamos adequadamente para o culto. Aliás, além do nosso testemunho moral, nós nos identificávamos pelas roupas. Se pentecostais, usávamos roupas sociais bastante formais, e éramos conhecidos aonde quer que íamos, pois ninguém mais se vestia tão formalmente assim em pleno domingo à tarde. Se de outras denominações, como eu, não chegávamos a esse extremo, mas nos trajávamos socialmente, com o melhor que tínhamos, dentro de nossas possibilidades, porque críamos que, se íamos prestar um culto a Deus, a ocasião nos exigia o melhor, e buscávamos dar o melhor para Deus. Era a famosa "roupa de missa", "roupa de igreja". Mesmo pobres, tínhamos o melhor para Deus. E sempre algo decente: camisas sociais, calças bem passadas, um sapato melhor conservado, um blaizer ou uma blusa bem alinhada. As mulheres usavam seus melhores vestidos, suas melhores saias e seus conjuntos mais femininos. Mas hoje é diferente.
Ainda sou do tempo em que nossos hinos falavam de Cristo e da salvação. Cantávamos muito, e nossas músicas não eram tão complexas como as de hoje. Mas todos acabávamos por decorá-las. Suas mensagens eram simples e evangelísticas: "foi na cruz, foi na cruz", "andam procurando a razão de viver"; "Porque Ele vive, posso crer no amanhã", "Feliz serás, jamais verás tua vida em pranto se findar", "O Senhor da ceifa está chamando"; "Jesus, Senhor, me achego a ti", "Santo Espírito, enche a minha vida", "Foi Cristo quem me salvou, quebrou as cadeias e me libertou", etc. Não copiávamos os "hits" estrangeiros, ou as danças mundanas, mas buscávamos algo clássico, alegre, porém, solene. E dançar o louvor? Jamais! Não ousávamos, nem queríamos; nunca soubéramos que o louvor era "dançante"; as danças deixamos em nossas velhas vidas mundanas. Porém, mesmo não as tendo, éramos alegres e motivados. Mas hoje é diferente.
Ainda sou do tempo em que as denominações e igrejas tinham personalidade. As denominações eram poucas e bastante homogêneas. Sabíamos que a Assembléia de Deus era pentecostal e usava indumentária formal; os presbiterianos eram os melhores coristas que existiam; os adventistas tinham uma fé estranha, numa profetiza semi-contemporânea, mas tinham os melhores quartetos masculinos; os melhores solistas eram batistas, etc. Nossas liturgias eram bastante diferentes: os conservadores eram formais, seus cultos silenciosos, enquanto um orava, os outros diziam amém. Já os pentecostais oravam todos ao mesmo tempo e cantavam a Harpa Cristã. Nós nos considerávamos irmãos, não há dúvida. Mas tínhamos personalidade. Hoje tudo é diferente.
E eu não sou velho! Isso tudo não tem 26 anos ainda! Na década de 80 ser crente era ser assim! Meu Deus, como o mundo mudou! Como a chamada Igreja Evangélica se deteriorou! Hoje eu sinto vergonha de ser considerado evangélico!
Hoje é moda ser crente, ou melhor, "gospel". Você é artista pornò, mas é crente. Você é do forró pé-de-serra, mas é crente. Você é ladrão, mas é crente. Você é homossexual assumido, mas é crente. Não importa a profissão, o comportamento, a moral, a índole, ser crente é apenas um detalhe. Aliás, dá cartaz ser crente: hoje muitos cantores "viram crentes" pra vender seus cds encalhados, pois o "povo de Deus" compra qualquer coisa. Não há diferença entre o santo e o profano, o consagrado e o amaldiçoado, o lícito e o proibido, o justo e o injusto. Qualquer coisa serve. O púlpito pode ser uma prancha de surf, uma cama de motel ou um palanque eleitoral; a forma não importa. Ser crente é apenas um detalhe, uma simples nomencalatura religiosa.
Hoje os crentes tatuam as suas peles, mesmo sabendo que a bíblia condena o uso de símbolos e marcas no corpo de quem se consagra a Deus. Criamos nossos próprios símbolos, nossos próprios estigmas e nossas próprias tribos. Hoje há denominações que dão opções de símbolos para que seus jovens se tatuem. O "piercing" deixou de ser pecado, e passou a ser "fashion", e está pendurado na pele flácida de roqueiros evangélicos e "levitas" das igrejas, maculando a pureza de um corpo dedicado ao Deus libertador. Mulheres há que enchem seus umbigos e outras partes de pequenas ferragens, repletas de vaidade e erotismo mundano, destruindo, assim, qualquer padrão cristão de consagração corporal. Meninos tingem seus cabelos de laranja, e mocinhas destróem seus rostos com produtos, pois agora todo mundo faz, e "Deus não olha a aparência". (Ainda bem, pois se olhasse, teria ânsia de vômito...)
Hoje ir à igreja é como ir ao mercado ou às barracas de feira e de artesanato: um evento efêmero, informal, meramente turístico. Não há mais cuidado algum no trajo cultuante. Rapazes vão de bermudas, calções (e, pasmem os senhores, de sungas!), até sem camisa, porque Deus não é "bitolado, babaca ou retrógrado". Garotas usam suas minissaias dos "rebeldes" e exibem umbigos cheios de "piercings", estrelinhas e purpurinas pingando dos cabelos e roupas, numa passarela contínua do modismo eclesiástico. Se alguém ainda vai modestamente ao culto, seja jovem, seja velho, ou é "novo convertido", ou é "beato". É típico encontrarmos pastores dizendo aos "engravatados": "pra que isso, irmão? Vai fazer exame laboratorial?" E, continuamente, vão demolindo qualquer alicerce de reverência e solenidade para o ato do culto.
Hoje as nossas músicas pouco falam de Cristo. Somos bitolados por um amontoado de "glórias", "aleluias", "no trono", "te exaltamos", "o teu poder", etc. Misturamos essas expressões, colocamos uma pitada de emoções, imitamos os ícones dos megaeventos de louvores, e gravamos o nosso próprio cd, que, de diferente, tem a capa e o timbre de algumas vozes, talvez alguns instrumentos, mas, no mais, não passam de cópias das cópias das cópias. E Jesus? Ah, quase nunca o mencionamos, e, quando o fazemos, não apresentamos qualquer noção do que Ele é ou representa para o nosso louvor. Não falamos mais que Ele é o caminho, a verdade e avida, não o apresentamos como Senhor e Salvador, não informamos ao ouvinte o que se deve fazer para tê-lo no coração, apenas citamos seu nome ou dizemos um aleluia para ele.
Hoje, entrar em uma igreja é como ter entrado em todas: é tudo igual. O mesmo sistema, as mesmas cantorias, a seqüência de eventos, os rituais emocionais, as pregações da prosperidade, de libertação de maldições ou de megassonhos "de Deus" (como se Deus precisasse sonhar, como se fosse impotente ou dependente da vontade humana). Transformamos nossas igrejas em filiais de uma matriz que não sabemos nem aonde fica, mas que se representa nas comunidades da moda. Não há mais corais, não há mais solistas, não há mais escolas dominicais fortes, não há mais denominações com características sólidas, não há mais nada. Tudo é a mesma coisa: uma hora e meia de "louvor", meia hora de "ofertas" e quinze minutos de "pregação", ou meia hora de "palavra profética e apostólica". Que desgraça!
Hoje trouxemos os ídolos de volta aos templos: são castiçais, bandeiras de Israel, candelabros, reproduções de peças do tabernáculo do velho testamento, bugigangas e quinquilharias que vendemos, similares aos escapulários católicos que tanto criticávamos. Hoje não nos atemos a uma cruz sem Cristo, simbólica apenas. Hoje temos anjinhos, Moisés abrindo o Mar Vermelho, Cristo no sermão da Montanha. O que nos falta ainda? Nossas bíblias, para serem boas, têm que ser do "Pastor fulano", com dicas de moda, culinária, negócios e guia turístico. Hoje temos bíblias para mulheres, para homens, para crianças, para jovens, para velhos, só falta inventarmos a bíblia gay, a bíblia erótica, a bíblia do ladrão, a bíblia do desviado. Bíblias puras não prestam mais. E, mesmo tendo essas bíblias direcionadas, QUASE NINGUÉM AS LÊ! Trazemos rosas para consagrar, rosas murchas para abençoar e virar incenso em casa, sal groso para purificar, arruda para encantar, folhas de oliveira de Israel e água do Rio Jordão (Tietê?) para abençoar, vara de Arão, de Moisés, e sabe lá de quem mais! Voltamos às origens idólatras! Parece o povo de Israel, que, ao morrer um rei justo, emporcalhavam o país com suas idolatrias e prostitutas cultuais. E se alguém ousa ser autêntico, é taxado de retrógrado. Com isso, surgem os terríveis fundamentalistas, que abominam tudo, ou os neopentecostais, que são capazes de transformar a igreja num circo, fazendo o povo rir sem parar ou grunir como animais.
Meu Deus, o que será daqui há alguns anos? Será que teremos que inventar um nome novo para ser evangélico à moda antiga? Parece que batista, assembleiano, presbiteriano, luterano ou metodista não define muita coisa mais! Será que ainda haverá púlpitos que prestem, pastores que pastoreiem, louvores que louvem a Deus? Será que seremos obrigados a usar "piercing" para nos filiarmos a alguma igreja? Será que nossos cultos serão naturistas? Será que ainda haverá Deus em nosso sistema religioso?
É CLARO QUE HÁ EXCEÇÕES! E eu bendigo a Deus porque tenho lutado para ser uma dessas exceções. É claro que o meu querido leitor, pastor, louvador, membro de igreja, missionário, também tem buscado ser exceção. Mas eu não podia deixar de denunciar essa bagunça toda, esse frenesi maligno, esse fogo estranho no altar de Deus! Quando vejo colegas cuspindo no povo, para abençoá-los, quando vejo pastores dizendo ao Espírito Santo "pega! pega! pega!", como se fosse um cachorrinho, quando vejo pastores arrancando miúdos de boi da barriga dos incautos doentes que a eles se submetem, quando vejo um evangelho podre arrastando milhões, quando vejo colegas cobrando dez mil reais mais o hotel, ou metade da oferta da noite, para pregar o evangelho, então eu me humilho diante de Deus, e digo: "Senhor, me proteje, não me deixa ser assim!"
Que Deus tenha piedade de nós.

O PODER DA PACIÊNCIA


"Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa". Hebreus 10:36
A Palavra de Deus promete que o homem paciente será perfeito e completo, e não lhe faltará coisa alguma. (Tiago 1:4).
Um homem paciente é um homem poderoso, mesmo que as pessoas apresentem um comportamento difícil e desafiador ele se mantém amoroso e com bons pensamentos.
Sem paciência não podemos perseverar para vermos os resultados de nossa fé. Não recebemos nada após cremos imediatamente. Existe um período de espera no tocante a receber de Deus. É durante este período que nossa fé é testada e purificada. Só experimentaremos a alegria de vermos aquilo que cremos se perseverarmos e esperarmos pacientemente.
A paciência não é apenas a habilidade de se esperar, mas também a de se manter uma boa atitude enquanto se espera. Esperar é uma parte da vida que não pode ser ignorada. Vamos passar uma boa parte de nossas vidas esperando; se não aprendermos a fazer isto bem (pacientemente), seremos miseráveis.
Deus é tão paciente conosco. E devemos imitá-lo.
Se encoraje a buscar efetivamente a paciência. Isto te levará para a dimensão do poder de Deus.

Aguarde Na Linha

"Porque necessitais de perseverança, para que, depois de
haverdes feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa"
(Hebreus 10:36).


Uma mulher, que havia assistido a um espetáculo
internacional, de dança, constatou, ao chegar em casa, que
havia perdido um de seus brincos de brilhantes. Além do
grande valor material da jóia, havia também um valor
sentimental, por tratar-se de herança de sua mãe. Bastante
aflita, telefonou ao gerente do teatro perguntando se haviam
encontrado a jóia durante a limpeza do salão. O gerente
pediu-lhe que aguardasse na linha enquanto iria perguntar ao
responsável pela manutenção do local. Ao encontrar o
administrador, soube que a jóia havia sido achada e guardada
em um lugar seguro. O gerente retornou ao telefone para dar
a excelente notícia à senhora, mas, ela já havia desligado.
Sem saber o nome da dona do brinco, aguardou que tornasse a
ligar e até colocou um anúncio em um jornal, mas nunca mais
teve qualquer notícia dela.


Podemos pensar no quão impaciente era aquela senhora. Por
causa de alguns minutos de espera acabou perdendo
definitivamente a sua jóia preciosa. Muitos de nós,
cristãos, agimos da mesma maneira. Oramos ao Senhor,
apresentamos a Ele as nossas necessidades, mas, não temos
paciência de esperar, ao ouvir: "aguarde na linha". Como
resultado, perdemos a alegria da oração respondida e o
regozijo da recompensa por uma fé perseverante.


Deus tem o tempo certo e a forma correta de nos abençoar.
Nós somos precipitados em nossa ansiedade. Queremos tudo na
mesma hora, da nossa maneira, sem parar para medir possíveis
consequências. O Senhor nos prepara para receber a bênção e,
quando ela chega, nosso coração se enche de grande
felicidade e gratidão.


Se você está buscando a realização de um grande sonho, tenha
paciência... persevere...E se o Senhor lhe mandar "aguardar
na linha", não desligue jamais seu canal de comunicação com
Ele.

Surpreendente Graça

 "Tudo é possível ao que crê" (Marcos 9:23).


É bem conhecido o fato de que John Newton, autor do hino
"Amazing Grace" (Surpreendente Graça) antes de entregar sua
vida para Cristo, era capitão de um navio que transportava
escravos da África Ocidental para a Inglaterra e América. O
que nem todos sabem, é que Newton continuou no negócio
escravo ainda por algum tempo. A única diferença é que
passou a tratar da sua carga humana com mais compaixão. Só
mais tarde Deus abriu seus olhos para os horrores de seu
comércio e ele tornou-se um pastor, pregando com zelo contra
a escravidão ilegal no Império Britânico. Deus lida com cada
um de nós de forma diferente. Com John Newton houve um
processo gradual de amadurecimento espiritual até que se
transformasse no homem que Deus desejava que fosse.


É surpreendente a graça com que Deus trata com todos nós.
Ele transforma o grande pecador em alguém que busca
santificar sua vida e engrandecer o nome do Senhor. Ele nos
tira da agonia de uma grande tempestade e nos coloca seguros
em um mar de calmaria e bonança. Ele nos livra das densas
trevas e nos faz caminhar sob a luz de um sol vivificante.
Ele nos liberta do "nada" e nos faz regozijar com o "tudo".
Tudo é possível ao que crê e não há circunstância que tire a
nossa alegria.


Às vezes julgamos demorada a nossa bênção. Às vezes a nossa
mudança tarda um pouco. Mas, a bênção sempre vem. Newton
demorou um pouco a experimentar a "surpreendente graça" do
Senhor Jesus, mas ela chegou, fez dele um novo homem, uma
bênção plena e verdadeira. O velho homem Newton era ligado à
escravidão, mas, o novo homem Newton entregou a vida pela
libertação de todos os perdidos -- tanto os da raça negra
como de todas as demais.


Se a sua vida ainda não foi completamente transformada,
confie no Senhor. Se a sua bênção está demorando um pouco,
creia no Senhor. A maravilhosa graça de Deus alcança a todos
e logo virá para encher seu coração.

Umas Poucas Velhas Senhoras




"Vós sois o sal da terra; mas se o sal se tornar insípido,
com que se há de restaurar-lhe o sabor? para nada mais
presta, senão para ser lançado fora, e ser pisado pelos
homens" (Mateus 5:13).


William Willimon, professor de Teologia, lembra quando um
amigo visitou a União Soviética, nos anos 1970. Ao retornar,
ele anunciou que a igreja por trás da Cortina de Ferro era
"irrelevante porque só tinha poucas velhas senhoras". Dr.
Willimon escreve: "Olhando agora para trás, depois da ruína
do comunismo, as dificuldades de reconstrução da União
Soviética depois de um longo período de bancarrota
espiritual, eu espero que meu amigo diga: 'graças a Deus
pelas poucas velhas senhoras'. Sua existência produzia uma
repreensão política, visível e contínua, para os
Soviéticos."


Quando Cristo disse a seus discípulos: "Vós sois o sal da
terra", estava mostrando a importância da presença dos
cristãos neste mundo. Como embaixadores dos Céus, temos o
propósito de transformar as trevas em luz, a maldade em
bondade, o ódio em amor, a desesperança em fé verdadeira e
inabalável.


Talvez pensemos: "Somos poucos, fracos, irrelevantes, mas,
isso não é verdade. Somos o povo escolhido de Deus, temos a
graça que vem do alto, a força do nosso Senhor Jesus Cristo.
Como o pequeno e jovem Davi, podemos vencer os gigantes da
desonestidade, da corrupção, da mentira, da incredulidade.
Somos mais do que vencedores e, seguros nas mãos de Deus,
engrandeceremos o nome de Jesus.


Assim como aquelas poucas velhas senhoras foram fiéis e
dedicadas ao Senhor, precisamos nos colocar na presença de
Deus com humildade e obediência. Ele conta com o nosso
trabalho, com as nossas orações, com a nossa disposição de
construir um mundo muito melhor, cheio de paz e alegria,
onde as tempestades espirituais cedam lugar aos raios
abençoados de sol.


Como aquelas poucas velhas senhoras, sejamos sal para este
mundo, tornando-o agradável e aprazível.

Costumamos Praticar?



"O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e
vistes em mim, isso praticai; e o Deus de paz será convosco"
(Filipenses 4:9).


Um pastor estava fazendo uma visita a um campo missionário.
Enquanto se deslocava de um lugar para outro, na companhia
de obreiros locais, ouviu do líder: "Estamos indo a um dos
nossos principais pontos de reunião. O senhor gostaria de
fazer uma saudação e entregar uma pequena mensagem aos que
estarão reunidos ali?" O pastor concordou, mas, estava um
pouco relutante devido à barreira do idioma, ao qual não
sabia falar. O guia, que já estava naquele país há muitos
anos, já dominando perfeitamente o idioma, procurou deixá-lo
tranquilo, dizendo: "Eu interpretarei para você. Nós
praticaremos um pouco antes do início da reunião. Estou
certo que não haverá nenhuma dificuldade". "Eu tentarei",
respondeu o pastor, "embora eu não tenha o hábito de
praticar o que prego!" Pode até ser engraçado o que o pastor
disse, mas suas palavras expressam um problema que todos
nós, cristãos, enfrentamos: Não costumamos praticar o que
pregamos.


Realmente é interessante a afirmação daquele pregador. Ele
se referia a "ensaiar" antes da pregação, mas muitos de nós,
filhos do Deus Altíssimo, não praticamos, na forma de viver,
aquilo que pregamos das Sagradas Escrituras. Proclamamos com
muito entusiasmo que o cristão deve amar ao próximo e até
aos inimigos. E será que é isso mesmo que fazemos? Pregamos
que a fé nos faz descansar nos braços de nosso Salvador.
Temos sido, assim, inabaláveis em nossa fé? Pregamos que não
há outro caminho a não ser o Senhor Jesus. Será que nunca
nos desviamos, procurando alguns "atalhos"?


Sei que tudo isso decorre do fato de sermos humanos, falhos,
inconstantes, mas tudo seria muito diferente se, além de
pregarmos a Palavra de Deus, a "praticássemos" em todos os
momentos de nossas vidas.


É difícil ser santo? Claro que é! É impossível ser santo?
Não! Dependemos exclusivamente do Senhor e, confiando em Sua
força e poder, alcançaremos a vitória desejada.


Você costuma viver aquilo que prega?

Isto É Tudo O Que Eu Quero



O Senhor é o meu pastor; nada me faltará" (Salmos 23:1).


Em seu belo livro "Nada Me Faltará", Robert Ketchum conta a
história de uma professora da escola bíblica que perguntou a
seu grupo de crianças se alguma delas poderia citar O Salmo
23 por inteiro. Uma menina loura, de pouco mais de quatro
anos, estava entre aqueles que levantaram suas mãos. Um
tanto cética, a professora lhe perguntou se seria capaz de
citar o Salmo inteiro. A pequena menina levantou-se de sua
cadeira, aproximou-se da frente da turma, curvou o corpo em
um pequeno cumprimento e disse: "O Senhor é meu pastor e
isto é tudo que eu quero". Curvou-se novamente e voltou para
sua cadeira. Ela pode ter omitido alguns versos, mas,
conseguiu capturar tudo o que havia no coração de Davi ao
escrever o Salmo 23.


E o que nós estamos querendo neste mundo? Quais são os
nossos principais sonhos? Pelo que temos nos esforçado todos
os dias de nossas vidas? O que está faltando para nossa
verdadeira felicidade?


Provavelmente muitos responderiam às perguntas acima citando
belos carros, casa na praia ou no campo, muito dinheiro e
coisas semelhantes a estas. Mas, será que essas coisas
garantem, verdadeiramente, a felicidade de uma pessoa? Será
que todos os ricos são felizes?


A menina de nossa história, de menos de cinco anos de idade,
disse que "tudo o que queria" se resumia a ser conduzida
pelo Senhor, como a ovelha que se sente feliz quando é
guiada pelo seu pastor. Não poderia também ser o nosso tudo?
Não deveria ser a principal razão de nossa felicidade?
Quando Cristo, o nosso Senhor, é o nosso pastor, guiando
nossas vidas pelas campinas da alegria e pelas águas do
refrigério, sabemos que todas as coisas nos são possíveis,
que todas as lutas serão coroadas de vitórias, que cada um
de nossos sonhos será realizado.


E você, o que quer?

Construção Sólida

"E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os
ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa; contudo não
caiu, porque estava fundada sobre a rocha" (Mateus 7:25).


A durabilidade de qualquer edifício depende de três coisas:
os materiais utilizados, conhecimento exercitado em sua
construção e sua fundação. materiais inferiores, mesmo
usados com habilidade, não podem suportar por muito tempo os
elementos da natureza. Nem os materiais superiores, se
usados com negligência, poderão resistir. Uma combinação de
materiais perfeitos e sabedoria na construção é necessário
para que o edifício permaneça por longo tempo. É necessário
também que seja construído sobre uma fundação sólida.


Precisamos aplicar as mesmas verdades na construção de
nossas vidas. Os materiais a serem empregados devem ser
escolhidos com cuidado e o trabalho da estrutura deve ser
realizado com planejamento e sabedoria. Sua base deve ser
fundamentada sobre terreno sólido.


Jesus desafia a cada um de nós, no Sermão do Monte, a
construir para a eternidade. Ele nos persuade a rejeitar
materiais inferiores como o egoísmo, a luxúria, a hipocrisia
e o ódio. Tais materiais só conduzem a fracassos e
destruição.


Os materiais que Ele recomenda para que a construção de
nossas vidas permaneça por longo tempo, até a eternidade,
são: humildade, mansidão, retidão, misericórdia e pureza. A
qualidade destes materiais foi testada e provada através dos
séculos.


Nós devemos estar atentos às instruções do Mestre Arquiteto.
Seguindo Suas recomendações, não correremos o risco de ver
nossa casa espiritual ruir.


Construa com Cristo -- Construa para a eternidade!

Quem É "Você"?

"Acautelai-vos do fermento dos fariseus, que é a hipocrisia"
(Lucas 12:1).


Andrea Miller, em seu livro "A Mulher Solteira" faz uma
confissão interessante que descreve uma hipócrita dos tempos
modernos. Recordando cada um de seus dias, ela percebeu que
estava vivendo, na realidade, três vidas. Uma delas era a de
uma jovem executiva de empresa, vestindo roupas
profissionais que a faziam parecer uma mulher de negócios. À
noite e nos fins de semana, ela modificava os cabelos e as
vestes e caminhava com um olhar e balanço diferentes. Quando
escrevia para os pais, em casa, empreendia uma terceira
personalidade. Para eles, ela continuava sendo uma menina
pura e ingênua, que trabalhava muito duro. A pergunta
principal aqui é: Quem é "você"? O real "você" está de pé?


Que personalidade temos apresentado àqueles que nos cercam?
Uma para cada circunstância ou a verdadeira? Temos procurado
"dançar conforme a música" ou, em qualquer ocasião, temos
demonstrado aquilo que realmente somos?


Muitas vezes nós, cristãos, utilizamos essa estratégia: no
trabalho somos aquilo que o nosso chefe ou ambiente exigem;
na rua ou na faculdade, somos aquilo que agrada aos nossos
amigos; em casa, somos aquilo que nossos pais desejam que
sejamos; na igreja, somos os mais santos e dedicados homens
e mulheres de Deus. Para Deus, não passamos de hipócritas e
incrédulos!


Muito mais felizes seremos, eu tenho certeza, se formos
apenas nós mesmos. Somos falhos, pecadores, cheios de
defeitos, mas amamos ao nosso Senhor Jesus Cristo. Se
acertamos, glorificamos ao Salvador e agradecemos pelas Suas
bênçãos. Se erramos, confessamos e pedimos perdão, pois, o
Seu amor não tem fim e Ele está pronto a nos abraçar e
dizer: "Não temas que Eu sou contigo". Ele conhece nossas
fraquezas e mesmo quando tropeçamos e caímos, Ele está ao
nosso lado para nos estender a mão e nos ajudar a levantar.


Quem é "você"? A pessoa verdadeira?

Árvores Em Júbilo

"Alegrem-se os céus, e regozije-se a terra; brame o mar e a
sua plenitude. Exulte o campo, e tudo o que nele há; então
cantarão de júbilo todas as árvores do bosque" (Salmos
96:11, 12).


O cristianismo não é uma voz no deserto, mas uma vida no
mundo. Não é uma idéia no ar, mas, pés no chão seguindo no
caminho de Deus. Não é algo exótico para ser mantido debaixo
de uma redoma de vidro, mas uma planta resistente para
produzir doze meses de frutos em todos os tipos de tempo.
(Maltbie D. Babcock)


O que tem sido o Cristianismo para nós? Uma experiência em
uma certa noite, que foi vivida e esquecida? Uma empolgação
passageira que logo se esfriou e foi jogada em uma gaveta
com a etiqueta "coisas passadas"? Algo que marcou nossas
vidas mas que, após várias tentativas, não conseguimos
repetir?


O Cristianismo precisa estar vivo e brilhante em todas as
nossas atitudes. Não é algo que devemos manter guardado,
como um presente especial que estimamos muito, mas uma pedra
preciosa que precisa ser mostrada a todos, todos os dias, em
todas as ocasiões. É o caminho de nossa felicidade, o
perfume que precisa alcançar a todos que nos cercam, um
propósito que nos conduzirá ao porto eterno celestial.


Quando escondemos a bênção que recebemos ao abrir o coração
para o Senhor Jesus, apagamos a sua luz, impedimos a sua
propagação, tornamo-nos árvores secas e sem frutos, não
glorificamos a Deus.


A vida cristã é maravilhosa. É Cristo vivendo em nós; somos
nós vivendo em Sua presença. Não existe experiência mais
gloriosa e mais gratificante. O mundo é como um bosque e nós
somos as árvores cantando com grande júbilo. Enquanto
cantamos, os céus se alegram, a terra se enche de regozijo.
Tudo é felicidade quando os verdadeiros cristãos estão
fazendo a sua parte, brilhando e iluminando o mundo para que
o Salvador seja engrandecido.

Temos Perdido Nosso Tempo?

"Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu
caminho" (Salmos 119:105).


George Mueller disse a respeito da Palavra de Deus: "O vigor
de nossa vida espiritual será proporcional à posição em que
a Bíblia ocupa em nossas vidas e pensamentos. Eu digo isso
por uma experiência de 54 anos. Os primeiros três anos
depois de abrir meu coração para o Senhor foram de total
negligência à Palavra de Deus. Mas, desde que eu comecei a
buscá-la com diligência, a bênção tem sido completa. Grandes
maravilhas eu tenho experimentado nos estudos diários. Eu
considero um dia perdido quando não passo um bom tempo
diante da Palavra de Deus."


E nós, que tempo temos dedicado ao estudo das Escrituras?
Que lugar a Palavra do Senhor ocupa em nossas vidas
espirituais? Temos usado a Bíblia apenas debaixo do braço
quando vamos à igreja, no final de semana ou tem sido um
manual de vida abundante para cada dia de nossas vidas?


Ela nos ensina a viver debaixo da direção do Senhor; a amar
aos nossos irmãos e amigos e até àqueles que não são uma
coisa e nem outra; a caminhar sobre campinas verdejantes e a
confiar no Deus que tudo pode. Quando ela faz parte de
nossos dias, a incerteza foge, a desesperança desaparece, as
murmurações ficam do lado de fora de nossas portas.


A Palavra de Deus traz ânimo e fortalece a nossa fé. Ela nos
ensina o caminho da verdade e nos mostra que Jesus é o
melhor Amigo. Ela é o fundamento perfeito para o edifício de
nossas vidas espirituais.


O que podemos dizer de nosso tempo? Nós o estamos ganhando,
sendo dirigidos por Deus através de Sua palavra ou o temos
perdido, ignorando-a completamente? Temos procurado direção
em sendas duvidosas ou temos ido direto ao manancial de
bênçãos, seguro e verdadeiro, que é a Bíblia Sagrada?


O Senhor é tudo para nós e a Sua Palavra uma maneira de
conhecer a Sua vontade.

O Grande Perito

"Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante
do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a
divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta
para discernir os pensamentos e intenções do coração"
(Hebreus 4:12).


Uma pequena fábrica teve que interromper suas operações
quando uma peça vital de seu maquinário quebrou. O mecânico
da empresa não conseguiu resolver o problema e precisaram
chamar um perito. Ele examinou a máquina por alguns momentos
e, então, pegou um pequeno martelo e bateu na máquina em um
determinado lugar. Tudo voltou a funcionar perfeitamente. O
perito apresentou uma conta de 100 dólares. O proprietário
ficou furioso ao ver o valor e exigiu que ele apresentasse
uma conta especificada. O perito preencheu a nota como
segue: 1 dólar para bater na máquina e 99 dólares para saber
onde bater.


Deus usa a Sua Palavra para nos bater onde precisamos ser
consertados. Às vezes sentimos dor, outras ficamos furiosos,
mas o certo é que tudo volta a funcionar perfeitamente
quando Deus opera em nossas vidas.


O que temos feito quando sentimos que as coisas não vão bem
para nós? Tentamos ajeitar a situação por nossas próprias
forças? Confiamos em nossa habilidade de recomeçar após uma
frustração? Rejeitamos qualquer intervenção dAquele que é
perito em fazer-nos viver abundantemente? Ou logo
paralizamos tudo e apresentamos o problema no altar de Deus,
certo que Ele sabe o lugar certo e a hora certa de agir?


Muitas vezes pagamos um alto preço por buscar outras formas
de consertar as nossas vidas. Pagamos um pouco aqui, onde um
amigo indicou que seria bom, pagamos outro pouco ali, onde
um vizinho disse que seria o melhor caminho, e, por fim,
verificamos que perdemos tempo e a "máquina de nossa vida"
continua ruim ou até pior do que antes.


O preço do perito é muito alto, mas Ele resolve qualquer
problema. E, o melhor de tudo, o preço já foi pago. O Senhor
Jesus pagou todo o preço na cruz do Calvário.


Não entregue sua felicidade a mecânicos espirituais
inexperientes. Entregue-a ao grande Perito Jesus Cristo!

Eu Não Temerei!

"De modo que com plena confiança digamos: O Senhor é quem me
ajuda, não temerei; que me fará o homem?" (Hebreus 13:6)


Os turcos, tendo torturado os pais de uma pequena menina
armênia, diante de seus olhos, voltaram-se para a criança e
disseram: "Você concorda em renunciar sua fé em Jesus, para
continuar vivendo?" A menina respondeu: "Eu não deixarei o
meu Salvador". "Então, será jogada aos cachorros!" Ela foi
lançada para um canil de ferozes e famintos cães selvagens e
deixada lá. Na manhã seguinte eles voltaram ao local e
encontraram a pequena menina de joelhos, orando, e a seu
lado, o maior e mais selvagem de todos os cachorros,
protegendo-a e atacando a todos os cães que tentavam se
aproximar dela. Os homens fugiram apavorados, gritando: "Há
um Deus aqui! Há um Deus aqui!"


Até que ponto estamos preparados para testemunhar de nossa
fé? Estamos seguros de nossa decisão, por Cristo? Cremos,
realmente, que não existe um outro Caminho e que no Senhor
está a nossa alegria e salvação eterna?


Aquela menina, mesmo diante da possibilidade de morrer, não
renunciou a Cristo. E nós? Estamos preparados para fazer o
mesmo? Ou o negamos para agradar os amigos de rua? Ou o
negamos para nos adaptar à forma de trabalhar de nosso
chefe? Ou o negamos em nossas atitudes diante de nosso
próximo?


Quando levamos objetos de nosso trabalho para casa, estamos
virando as costas para Deus. Quando aceitamos mentir para
ajudar o nosso patrão em suas trapalhadas, estamos negando o
Senhor. Quando "colamos" nas provas da Faculdade ou de
qualquer outro curso, estamos declarando que não conhecemos
a "Verdade" e, por isso, estamos envergonhando ao nosso
Salvador.


O Senhor é quem nos protege e sustenta. Sem Ele nada somos e
nada temos. Em qualquer situação, não temeremos.


Seja um verdadeiro cristão. Não tenha medo!

Seguro Da Alma

"Somente em Deus espera silenciosa a minha alma; dele vem a
minha salvação" (Salmos 62:1).


Um pequeno menino, que tinha o Senhor Jesus no coração,
subiu no colo de seu tio e falou: "Tio George, Papai disse
que você teve sua casa, carro e celeiro segurados, mas, ele
teme que você não tenha sua alma segurada. Tio George, você
tem sua alma segurada?" O tio George respondeu: "Não, Filho,
eu temo que não tenha minha alma segurada." Ele deixou a
casa imediatamente para o celeiro. Depois de certo tempo ele
retornou e, com um rosto radiante, disse para seu sobrinho:
"Agora, Filho, eu tenho minha alma segurada."


Por que nos preocupamos com tantas coisas que são
passageiras e não nos importamos com o que, realmente, tem
valor e permanecerá para sempre? Por que estamos sempre
ansiosos por casas, carros, roupas novas, cabeleireiro e
coisas semelhantes, cuja duração é efêmera?


A nossa vida é muito mais importante. A nossa salvação é
muito mais importante. A eternidade é muito mais longa e,
portanto, mais importante. Se abrirmos os nossos olhos para
as coisas espirituais, considerando a eternidade com Deus,
teremos mais comunhão com o Senhor, Ele cuidará de nós, e
todas as coisas citadas acima serão acrescentadas à nossa
vida sem que precisemos sofrer desnecessariamente por elas.


O nosso Deus sabe do que necessitamos. Sabe o que nos fará
realmente felizes. Ele nos ama e cuidará de cada dia de
nossa existência.


Ficamos, às vezes, aflitos por ter que viajar e deixar a
casa sozinha. Ficamos temerosos por deixar o carro
estacionado em um lugar deserto. Perdemos noites de sono
pelos negócios e finanças que nos deixam intranquilos. Tudo
bens materiais, tudo coisas passageiras.


Quando fazemos um "seguro" de nossa alma, entregando-a aos
cuidados de Jesus, passamos a gozar da verdadeira paz que
excede o entendimento. Não mais nos preocupamos com a
eternidade e também não nos preocupamos com as coisas
materiais. O Senhor cuidará de tudo. A nós cabe apenas
descansar... e sorrir... e viver!

Filhos Da Verdade

"Vós tendes por pai o Diabo, e quereis satisfazer os desejos
de vosso pai; ele é homicida desde o princípio, e nunca se
firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele
profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é
mentiroso, e pai da mentira" (João 8:44).


"Em Nova Iorque, Denie Davis, uma auxiliar de escritório,
recebeu de seu chefe uma ordem para mentir. Ela se recusou,
mesmo sabendo que poderia perder o emprego. Quando estava
arrumando seus pertences, o chefe reconsiderou a sua
demissão, reconhecendo o grande valor de sua ética cristã."
(Esmeril C. Williams)


Temos sido reconhecidos por nossa ética e testemunho
cristãos? O brilho de Cristo em nossas vidas tem sido a
nossa prioridade? Temos tido plena consciência de que, como
filhos de Deus, devemos glorificar ao Senhor em todo o
tempo?


Às vezes perdemos a comunhão com Deus e vemos nossas vidas
espirituais desabarem por causa de nossa fraqueza e
inconsistência. Deixamo-nos enganar pelas armadilhas deste
mundo e, para ganhar um pouco, acabamos perdendo tudo.


Um dos principais motivos de perdermos o bom relacionamento
com o Senhor é a mentira. Muitas vezes achamos que existem
"tamanhos" de mentiras, considerando as "pequenas" mentiras
como se não fossem importantes. Mas o Senhor nos adverte que
o pai da mentira é o diabo, tanto das pequenas como das
grandes.


Nós somos do Senhor. Ele é a Verdade e nós somos Seus
filhos. Nada temos com a mentira, não queremos união com a
mentira, achamos que toda a mentira, pequena ou grande, é
mentira e contrária à vontade de Deus. Temos prazer em estar
entre os filhos da verdade, em jamais trocá-la por nada
neste mundo, em nos conservar fiéis ao Senhor em toda e
qualquer circunstância.


Você tem certeza de que está entre os filhos da verdade?

Do Tamanho De Uma Baleia!

"Tu tens feito grandes coisas; ó Deus, quem é semelhante a
ti?" (Salmos 71:19)


Uma caricatura mostrava dois esquimós pescando através de
buracos no gelo. Um dos esquimós abriu um pequeno buraco, do
tamanho de uma tampa de bueiro, para poder ver a água. O
outro abriu um buraco imenso, que parecia alcançar a
extremidade do horizonte, da forma de uma baleia!


Ao analisarmos a caricatura descrita acima, podemos refletir
a respeito de nossa fé. Que estamos esperando? Até que ponto
confiamos naquilo que estamos buscando? A nossa esperança
tem sido pequena, quase imperceptível, ou não pode ser
medida, alcançando muito além de nossos olhos físicos?


Quando a nossa confiança é minúscula e os nossos anseios são
limitados ao alcance de nossos olhos, como que através de um
pequeno buraco, não atingimos os nossos propósitos e não
desfrutamos da alegria que Deus quer nos dar. Quando a nossa
fé é ilimitada e aprendemos que tudo é possível para Deus e
para o que crê, não há limite para os nossos sonhos e nem
para a nossa esperança.


Por que, muitas vezes, não recebemos aquilo que pedimos a
Deus? Quase sempre porque pedimos e não cremos, realmente,
que receberemos. Quantas vezes já dissemos para nós mesmos:
"Eu sei que dificilmente receberei o que estou pedindo"?


,Estamos necessitando de uma grande bênção mas, nossa fé e
nossa esperança, são muito pequenas. Oramos pedindo muito e
esperamos apenas receber pouco. Muito mais felizes seremos
quando pedirmos pouco, crendo que poderemos receber muito.
Deus sabe o que é melhor para nós e o tamanho do "buraco"
espiritual que precisamos abrir.


Não adianta pescarmos através de um pequeno buraco, do
tamanho de uma tampa de bueiro, se pretendemos pescar uma
baleia. É melhor construirmos um buraco do tamanho de uma
baleia, pois, se o peixe que Deus mandar for menor, de
qualquer forma o pescaremos!

Sinal De Adição

"Posso todas as coisas naquele que me fortalece" (Filipenses
4:13).


Um pai levou seu filho pequeno para visitar uma grande
catedral. Quando os dois se aproximavam do altar, o menino
apontou para uma cruz que se erguia no fundo e perguntou:
"Papai, por que existe aquele grande sinal de adição lá em
cima?" Se pensamos que o Cristianismo subtrai alguma coisa
de nossas vidas, estamos completamente enganados. A vida
cristã apenas adiciona o que existe de melhor para a nossa
existência.


Às vezes pensamos que a vida com Cristo apenas nos tira "os
prazeres" do mundo. Não podemos beber, não podemos fumar,
não podemos jogar, não podemos ter uma vida sexual livre,
não podemos isso e aquilo. Mas não é verdade. Quando Cristo
está no nosso coração, percebemos que "podemos todas as
coisas". E podemos tudo porque Cristo nos fortalece.


Se eu não fumo, nem bebo, nem tenho uma vida sexual
desregrada, é porque aprendi a amar ao Senhor e a cuidar de
minha saúde, tanto física como espiritual. Por que fazer
coisas que poderão me trazer aflições logo adiante? Por que
estragar a minha vida com ações que não me garantirão uma
felicidade permanente?


Em vez de pensar no sinal de subtração, do "não posso" eu
prefiro me regozijar com o sinal de adição, do "eu posso
tudo". Eu posso amar, mesmo quando me ignoram; posso cantar,
mesmo quando estou debaixo de sérias dificuldades; posso
crer que os meus sonhos serão realizados, mesmo que tudo
indique o contrário; posso, mesmo agora, glorificar a Deus
por escrever meu nome no livro dos Céus.


Sim, eu sou muito feliz por tudo que Deus adicionou à minha
vida desde o dia em que tive um maravilhoso encontro com o
meu Salvador. Deus me deu um sorriso que não existia, uma
paz que nunca havia experimentado, uma vida abundante que
jamais pensei um dia ter.


Obrigado, Senhor, pela cruz, pelo sinal de adição em todos
os meus dias, pelo amor que preenche toda a minha alma.
Aleluia!

Sonhos

Sonhos!! Quem não tem um sonho? Sonhar é peça fundamental para viver. Se não temos um sonho a vida parece não ter sentindo, mas quando um novo sonho entra em nossa vida nos da ânimo, é vida nova.
Hoje trago uma mensagem para refletirmos sobre isso.

Reflitam!!


Quando os nossos sonhos se acabam, fica um vazio imenso, Uma vontade de parar, De desistir de tudo...

É um período difícil, em que os dias, as horas, e até os segundos são longos...

Não conseguimos progredir...

Falta vontade, motivação...

Fechamo-nos para tudo e para todos, como se nada importasse, nada tivesse algum valor...

Vamos nos destruindo pouco a pouco...

Por que será que muitas coisas em que acreditamos, chegam ao fim?

Acreditamos na felicidade eterna, e muitas vezes ela não passa de um pequeno tempo...

Tempo suficiente para deixar uma saudade infinita...

Até que um dia...

Um novo sonho começa a dar o ar de sua graça, chegando de mansinho, tentando abrir os cadeados do nosso coração...

Estamos trancados, com um enorme medo de sofrer de novo. Mas mesmo assim, o novo sonho vem chegando, trazendo na mala tudo de novo...

E como todo novo sonho, é regado de novidades que fascinam, mexendo com emoções adormecidas, trazendo de volta a emoção de viver, amar, recomeçar!

Nesta hora, quando tudo ressurge, podemos avaliar melhor a vida...

Temos que transformar cada pequeno instante, em grandes momentos...

Eliminar tudo que maltrata o nosso corpo, o nosso espírito, e dar lugar somente ao que nos engrandece como verdadeiro ser humano e filho de Deus!

E se os seus sonhos estiverem nas nuvens, não se preocupe...

Eles estão no lugar certo.

Construa os alicerces, e SUBA!

Nunca desista de ser feliz!

SONHE, pois o SONHO comanda a vida!!!

Atreve-te a SONHAR e encontra a FELICIDADE .
Eliene Menezes


Caros amigos!! Sonhem, dê emoção a sua vida. Pense que um sonho pode sim virar realidade, é somente questão de traçar metas, trabalhar e acreditar que tudo se concretiza!!